Correio de Carajás

Polícia prende conselheiro tutelar suspeito de extorsão

Com base em denúncias de uso do cargo de conselheiro tutelar rural do município de Cametá para obter vantagens indevidas de criminosos que praticaram violência sexual contra crianças e adolescentes e não reportar os casos às autoridades competentes, a Polícia Civil prendeu na última quinta-feira (15) o conselheiro João Almiro da Costa Leão.

A prisão do conselheiro tutelar ocorreu durante a operação “Ártemis”, que cumpriu mandado de prisão preventiva sob a suspeita de corrupção passiva, envolvendo três denúncias contra ele. “O suspeito alegava ter influência junto às autoridades do Poder Judiciário e do Ministério Público, descredibilizando assim a atuação das instituições de proteção aos direitos das crianças e dos adolescentes”, informa Walter Resende, delegado-geral da Polícia Civil do Pará.

Após constatar a conduta criminosa, que ocorreu inclusive em períodos de intensa movimentação popular, como o Carnaval, a equipe efetuou a prisão do homem, que, no exercício da função, praticou o crime também em regime de plantão.

Leia mais:

“A prisão demonstra a atuação incansável da Polícia Civil no combate aos crimes contra crianças e adolescentes no município de Cametá, sobretudo pela importância da atribuição inerente ao ofício desempenhado pelo investigado, o qual deveria exercer a função de proteção dos direitos das crianças e adolescentes, mas agia como agente violador de direitos, com o intuito de obter vantagem econômica ilícita para si mesmo”, destaca Diana de Bulhões Jobim, titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Criança e ao Adolescente (Deaca) de Cametá, na região nordeste do Pará. (Antonio Barroso – Freelancer)