Correio de Carajás

Polícia pega suspeitos de jogar desafeto de ponte

: Momento em que investigador conduz suspeito para prestar depoimento na delegacia/ Foto: Evangelista Rocha
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Passados oito meses do assassinato de Iuri Sousa Gonçalves, que foi espancado e jogado da ponte do Rio Tocantins, o Departamento de Homicídios conseguiu colocar as mãos em dois dos envolvidos. Mas ainda faltam mais três ou quatro para serem presos, conforme explicou o delegado Toni Rinaldo Rodrigues de Vargas, que preside o inquérito sobre o caso. “A partir de agora temos 30 dias para aprofundar as investigações em busca da qualificação, localização e prisão dos demais responsáveis”.

Delegado Toni Vargas pede ajuda da população pelo Disque Denúncia

A captura da dupla aconteceu na manhã de ontem (10). Um deles foi identificado apenas pelas iniciais de W. B. L. F. e o outro é um adolescente em conflito com a lei, que foi apreendido e entregue ao Centro de Internação do Adolescente Masculino (CIAM).

O crime ocorreu no dia 2 de junho 2019. A vítima além de ter sido perseguida e espancada, fora jogada da ponte rodoferroviária de Marabá. O motivo do crime: Iuri seria integrante de uma facção criminosa, enquanto que os acusados seriam pertencentes a outra facção. Mas o delegado disse que ainda precisa se aprofundar para saber se esta versão realmente procede.

Leia mais:
Iuri foi espancado e jogado da ponte do Rio Tocantins em junho
 

Durante esses oito meses de investigação, a polícia tentou de tudo para chegar aos acusados, inclusive utilizou câmeras de segurança instaladas no trajeto da vítima e dos criminosos, do São Félix até a ponte rodoferroviária, mas resolução das imagens não era boa o bastante para identificar os suspeitos.

Ainda segundo o delegado, foram três meses só fazendo diligências, até que uma testemunha que estava oculta apareceu e delatou os envolvidos. O nome dessa testemunha, por razões óbvias, sob sigilo.

Pelo que a polícia apurou na época do crime, Iuri e sua companheira estavam em uma casa noturna, no São Félix, e voltaram em uma motocicleta de carona com uma terceira pessoa, mas foram seguidos por seis criminosos em duas motos. Os bandidos os alcançaram em cima da ponte, chutando a moto e, assim, obrigando o piloto a parar o veículo. Foi então os covardes começaram a sessão de espancamento contra a vítima, que não teve a menor chance de defesa e foi jogada no rio. (Chagas Filho)

Mais

Moto roubada duas vezes é recuperada em Parauapebas

Moto roubada duas vezes é recuperada em Parauapebas

Ladrão que rouba ladrão… não escapa da prisão: Uma moto roubada duas vezes foi recuperada nesta sexta-feira (7) na Vila…
Justiça aceita denúncia e Monique e Dr. Jairinho se tornam réus

Justiça aceita denúncia e Monique e Dr. Jairinho se tornam réus

A juíza Elizabeth Machado Louro, da 2ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, decretou…
Polícia confirma três mortes em acidente com monomotor

Polícia confirma três mortes em acidente com monomotor

Três pessoas morreram no acidente aéreo envolvendo um monomotor, ocorrido na tarde de quinta-feira (6), em uma área de garimpo na divisa…
Polícia Federal apreende 100 toneladas de minério manganês

Polícia Federal apreende 100 toneladas de minério manganês

A Polícia Federal apreendeu em Redenção, no sudeste do Pará nesta quinta-feira (7) duas carretas carregadas com cerca de 100…
Traficante armado luta com policial militar e acaba morto

Traficante armado luta com policial militar e acaba morto

Iago Almeida dos Santos, de 20 anos, morreu em uma intervenção policial registrada na noite desta quinta-feira (6), em Parauapebas.…
Vítima de triplo baleamento morre e irmã nega envolvimento com facção

Vítima de triplo baleamento morre e irmã nega envolvimento com facção

Thalison Henrique da Silva Rodrigues, de 20 anos, morreu nesta quinta-feira (6) no Hospital Geral de Parauapebas, para onde foi…