Correio de Carajás

PMs são absolvidos da morte de conselheiro tutelar em Itupiranga

Arnaldo Ramos (ao centro) com os clientes Webert Santana e Rony Paiva, após o júri/ Foto: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Três policiais militares e um cidadão comum foram absolvidos do crime; um quatro PM aguarda julgamento de recurso. O Júri Popular aconteceu em Belém.

Terminou por volta das 18h de ontem (22), em Belém, o julgamento de três policiais militares e um cidadão civil acusados do assassinato do conselheiro tutelar Rondinele Wagner Maracaípe, ocorrido na cidade de Itupiranga, em 11 de janeiro de 2017. Os quatro foram absolvidos das acusações de homicídio e tentativa de assassinato de outro conselheiro, Jorge Edilson Ferreira da Silva, que foi baleado na época. Também foram inocentados das acusações de coação no curso do processo e milícia.

Os absolvidos foram Rony Marcelo Alves Paiva, Webert Santana da Silva, Allan Douglas Branco Rodrigues, e Railson Oliveira da luz (este último não é policial).

Segundo o advogado Arnaldo Ramos, que atuou na defesa de Rony Marcelo, o júri foi desaforado para Belém por causa do risco de parcialidade dos jurados de Itupiranga e da segurança de todos. “O conselho de sentença da capital entendeu que não houve provas suficientes de autoria”, afirmou.

Leia mais:

Como o julgamento foi desmembrado, outro policial militar acusado, João Oliveira dos Santos Júnior, entrou com recurso para atacar a pronúncia. Ou seja. Para ser inocentado sem ir a júri popular. O recurso ainda será julgado.

Outro acusado de envolvimento no caso, Elvis Fernandes da Silva foi impronunciado pelo crime de homicídio (ou seja: inocentado pelo Poder Judiciário), mas responde pelo crime de formação de milícia, que será julgado pela Vara de Crimes Organizados de Belém.

Esse caso envolve ainda o 3º sargento PM, Josafá Pinheiro da Silva, que também era réu no processo, mas foi assassinado, a tiros, no dia 19 de dezembro de 2020, na BR-230 (Transamazônica), entre a entrada da cidade de Itupiranga e o Distrito de Cajazeiras.

Por outro lado, o policial Rony Paiva, inocentado ontem, também era acusado da morte do advogado Danilo Sandes, ocorrido em Araguaína (TO), mas está solto por ordem do Superior Tribunal de Justiça. Além dele, o outro PM João Oliveira, que ainda aguarda recurso no caso do conselheiro, está preso em Araguaína, também sob acusação de envolvimento no assassinado do advogado Danilo Sandes.

(Chagas Filho)

Comentários

Mais

Vítima recebe ligação informando onde está sua moto roubada

Vítima recebe ligação informando onde está sua moto roubada

Um caso curioso teve início no último domingo (5), com um assalto a mão armada contra Marcilene Siqueira do Santos,…
Acusado de matar ex-namorada é condenado a 23 anos de prisão

Acusado de matar ex-namorada é condenado a 23 anos de prisão

Cassiano Araújo Silva, de 32 anos, acusado do assassinato da ex-namorada, a adolescente Kesia Alves Bezerra, de 17 anos, recebeu…
Carreta tomba na PA-287, motorista morre e populares saqueiam carga

Carreta tomba na PA-287, motorista morre e populares saqueiam carga

Uma carreta com carregamento de hortifrúti tombou na Rodovia PA-287, entre Redenção e Conceição do Araguaia, sul do Pará. O…
Idoso é sequestrado em São João e libertado em Marabá 8 horas depois

Idoso é sequestrado em São João e libertado em Marabá 8 horas depois

Raimundo Nonato Cruz, de 66 anos, foi sequestrado por volta das 13 horas desta terça-feira (7). O idoso estava em…
Assassinado na VS-10 é identificado

Assassinado na VS-10 é identificado

Foi identificado o homem morto nesta segunda-feira (6) na divisa entre os bairros São Lucas II e Morada Nova, no…
Homem é preso por agressão à companheira

Homem é preso por agressão à companheira

Na noite desta segunda-feira (6), a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de violência doméstica registrada no Vale…