Correio de Carajás

PF desencadeia operação que investiga responsáveis por ataques contra a Vale

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
20 Visualizações

A Polícia Federal cumpre hoje, segunda-feira (7), em Parauapebas dois mandados de prisão temporária e três mandados de busca e apreensão em decorrência da Operação Extortore, que investiga os responsáveis “por diversos atos de sabotagem praticados em Parauapebas/PA, com o propósito de compelir à empresa Vale S.A. ao pagamento de valores pecuniários indevidos”, conforme a assessoria de comunicação.

A PF afirma que desde maior do ano passado, torres de transmissão de energia utilizadas pela empresa para desenvolvimento das atividades foram alvos de ataques criminosos. Os envolvidos desparafusavam as bases das torres, que ficavam na iminência de cair. Em seguida, os criminosos entravam em contato com um funcionário da área de segurança da empresa Vale S.A., indicavam as torres que foram atacadas e exigiam quantias que chegavam a 15 milhões de reais para cessarem os ataques.

A investigação foi iniciada pela Polícia Civil e depois assumida pela Polícia Federal quando se constatou que as mesmas pessoas também foram responsáveis por atacar a Estrada de Ferro Carajás, em outubro de 2016, mediante a detonação de explosivos que causaram danos à estrutura da Estrada de Ferro.

Leia mais:

Após este episódio, acrescenta a PF, as ameaças cessaram por um período, dificultando o aprofundamento das investigações. Nos últimos meses, os atos voltaram a ser praticados e começaram a ser realizadas promessas de que uma série de ataques aconteceria.

Dentre os crimes investigados estão, Extorsão, Explosão, Perigo de Desastre Ferroviário, Atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública e Fabricação de artefato explosivo. As penas somadas ultrapassam 30 anos de reclusão.

“De acordo com o dicionário da língua portuguesa, a palavra Extortor, ou seja, aquele que pratica extorsão, tem origem no latim extortore, daí o nome da operação cujo objetivo foi justamente prender o indivíduo identificado como responsável pelas ligações e ameaças praticadas”, explica a Polícia Federal. (Da Redação com informações da Ascom/PF)

A Polícia Federal cumpre hoje, segunda-feira (7), em Parauapebas dois mandados de prisão temporária e três mandados de busca e apreensão em decorrência da Operação Extortore, que investiga os responsáveis “por diversos atos de sabotagem praticados em Parauapebas/PA, com o propósito de compelir à empresa Vale S.A. ao pagamento de valores pecuniários indevidos”, conforme a assessoria de comunicação.

A PF afirma que desde maior do ano passado, torres de transmissão de energia utilizadas pela empresa para desenvolvimento das atividades foram alvos de ataques criminosos. Os envolvidos desparafusavam as bases das torres, que ficavam na iminência de cair. Em seguida, os criminosos entravam em contato com um funcionário da área de segurança da empresa Vale S.A., indicavam as torres que foram atacadas e exigiam quantias que chegavam a 15 milhões de reais para cessarem os ataques.

A investigação foi iniciada pela Polícia Civil e depois assumida pela Polícia Federal quando se constatou que as mesmas pessoas também foram responsáveis por atacar a Estrada de Ferro Carajás, em outubro de 2016, mediante a detonação de explosivos que causaram danos à estrutura da Estrada de Ferro.

Após este episódio, acrescenta a PF, as ameaças cessaram por um período, dificultando o aprofundamento das investigações. Nos últimos meses, os atos voltaram a ser praticados e começaram a ser realizadas promessas de que uma série de ataques aconteceria.

Dentre os crimes investigados estão, Extorsão, Explosão, Perigo de Desastre Ferroviário, Atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública e Fabricação de artefato explosivo. As penas somadas ultrapassam 30 anos de reclusão.

“De acordo com o dicionário da língua portuguesa, a palavra Extortor, ou seja, aquele que pratica extorsão, tem origem no latim extortore, daí o nome da operação cujo objetivo foi justamente prender o indivíduo identificado como responsável pelas ligações e ameaças praticadas”, explica a Polícia Federal. (Da Redação com informações da Ascom/PF)

Comentários

Mais

Equipes da Sefa e Receita Federal apreendem quase 16 mil pares de calçados falsificados

Equipes da Sefa e Receita Federal apreendem quase 16 mil pares de calçados falsificados

Equipes da Receita Federal do Brasil e Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa) apreenderam, no último dia 15, na unidade…
Filho adotivo de Flordelis diz que mãe sabia do assassinato do marido

Filho adotivo de Flordelis diz que mãe sabia do assassinato do marido

Ao depor hoje (19) no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados, Lucas dos Santos de Souza, filho adotivo da…
Polícia de Parauapebas investiga se vídeo com ameaça está relacionado a homicídios

Polícia de Parauapebas investiga se vídeo com ameaça está relacionado a homicídios

Nesta segunda-feira (19) entrou em circulação via WhatsApp e outras redes sociais um vídeo no qual dois supostos membros do…
Polícia afirma que tem provas suficientes para concluir inquérito

Polícia afirma que tem provas suficientes para concluir inquérito

A Polícia Civil do RJ já tem provas suficientes para concluir o inquérito da morte do menino Henry Borel, independentemente de um novo…
Jovem vira escudo humano e bandidos o matam com 3 tiros em Redenção

Jovem vira escudo humano e bandidos o matam com 3 tiros em Redenção

Mais um crime com características de “acerto de contas” chocou a população de Redenção, no sul do Pará. Na noite…
Homem é assassinado no meio da rua no Bairro São Félix

Homem é assassinado no meio da rua no Bairro São Félix

Um homem, identificado como José Ribamar Oliveira, de 33 anos, foi morto a golpes de faca na madrugada de domingo…