Correio de Carajás

Patriotismo: MAB doa mil cestas básicas a famílias carentes

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
2 Visualizações

O que é patriotismo? Essa palavra bem frequente na boca de muitos políticos tem se tornado apenas isso: uma palavra. Mas ser patriota, amar a pátria é muito mais do que um discurso, é demonstrar zelo pelos seus concidadãos, especialmente em momentos de crise, como este em que vivemos agora.

Pensando nisso e agindo como verdadeira instituição patriota, o Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) fez a doação de mil cestas básicas para atender 500 famílias que estão passando por dificuldades financeiras devido a esse período de pandemia da covid-19.

O recurso para a compra dos componentes das cestas básicas veio da Fundação Banco do Brasil, que aprovou projeto enviado pelo MAB, por meio de sua instituição jurídica, que é a Adevima – Associação de Desenvolvimento à Vida e ao Meio Ambiente –, para atender as regiões que têm como municípios polos Marabá, Altamira e Itaituba.

Leia mais:

No caso de Marabá, a distribuição das mil cestas básicas ocorreu em duas etapas, maio e junho, atendendo moradores da periferia local e também de municípios vizinhos, como Itupiranga, Nova Ipixuna e uma comunidade rural que está acampada na Fazenda Landi, no município de São João do Araguaia.

Os camponeses acampados no Landi também receberam a doação

À frente do MAB, Cristiano Medina explica que a doação das cestas é uma forma da instituição se solidarizar com as famílias que estão em dificuldade durante esse período de isolamento social. “Às vezes muitas delas perderam a renda, de modo que a cesta é uma forma de dar uma certa dignidade para essas famílias”, ressalta.

Medina também chama atenção para o fato de que as cestas básicas têm produtos cultivados por agricultores familiares. “O legal da cesta, em si, é que tem esse complemento; parte dela, tirando os produtos químicos, advém da agricultura familiar, como cheiro-verde, alface, banana, macaxeira, abóbora”, exemplifica Cristiano.

Por outro lado, Gilda de Freitas, da Adevima, explica as famílias beneficiadas pela doação das cestas foram escolhidas por meio de um cadastro prévio que é feito pela entidade, devido a outros projetos sociais que vêm sendo tocados pela Adevima. “A gente já mapeou e já tem um perfil dessas famílias que dependem de uma renda”, explica. (Chagas Filho)

Comentários
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mais

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Conforme prometido previamente, a categoria dos músicos da noite de Marabá, que estão sem poder trabalhar há várias semanas, em…
Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

O relatório “Transparência das informações ambientais na Amazônia Legal: o acesso à informação e a disponibilização de dados públicos”, lançado…
MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

O Ministério da Educação (MEC) vai abrir, nos dias 3 e 4 de maio, as inscrições para as bolsas remanescentes…
Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

A cultura paraense é marcada por forte influência indígena. A contribuição do povo mais antigo no solo brasileiro pode ser…
Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Confusão e negligência no combate à Covid-19 fazem com que a pandemia esteja longe de terminar, mas a situação pode…
MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

Entre os dias 10 e 21 de abril, o Movimento Sem Terra (MST) tem ações afirmativas programadas em torno da…