Correio de Carajás

Parauapebas: Solenidade marca troca de faixas de alunos de Karatê

Fotos: Theiza Cristhine
Fotos: Theiza Cristhine
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Alunos da Associação Ramos Parauapebense de Karatê trocaram de faixa neste final de semana. O evento ocorreu no sábado (14), no Bairro Primavera, quando foram trocadas 44 faixas.

Deste total, 16 alunos trocaram a faixa branca pela amarela, seguidos por 13 que mudaram da faixa amarela para a vermelha, nove que passaram da vermelha pela laranja e três que foram da faixa laranja para a verde. Dois outros atletas foram da faixa verde para a roxa e, por fim, um da faixa roxa para a marrom.  

O professor de karatê Sebastião Ramos, mais conhecido como professor Ramos, conta que todo final de ano é realizado um exame geral de faixas em todas as categorias, da branca a marrom. “Os alunos fizeram o exame de faixa escrita e a parte prática”, explicou.

Leia mais:
Sebastião Ramos: “Temos uma rede abrangendo a criança e o adolescente”

Ramos comemora a importância do evento que a cada ano ganha mais adeptos e destaca que o esporte muda a vida das crianças. “É de uma grande importância para as crianças, o karatê ensina as crianças a quebrar as barreiras desde pequenos. Quando uma criança é treinada a formação de faixa é a formação de caráter, vai subindo, desenvolvendo”, destaca o professor.

O professor Ramos dedica-se a projetos sociais há 30 anos. “Começou com karatê, hoje nosso projeto tem outras atividades como o balé, capoeira, linguagem de libras, aulas de violão, atendimento com psicólogas. Temos uma rede abrangendo a criança e o adolescente”, comemora Ramos, ao citar que crianças a partir dos 4 anos pode se candidatar a participar de um dos segmentos dos projetos, que recebe apoio através de parcerias com a Prefeitura. 

De aluno a professor, essa é a trajetória de José Gleik, que aos 11 anos entrou na Associação como aluno. Hoje, aos 40 anos, segue o legado de Sebastião Ramos e há oito anos dedica-se a ensinar a arte marcial a iniciantes. “Sou o segundo dan faixa preta de Karatê, o local no início era bem diferente e aos poucos foi evoluindo bastante, estou carregando o legado do meu professor. Comecei a buscar o karatê por curiosidade e fui me identificando com a arte, sobre a disciplina e o respeito mútuo”, diz.

José Gleik entrou como aluno e hoje é professor

De acordo com ele, é um legado que o atleta carrega. “Para mim, é uma satisfação muito grande passar o que aprendi, aprendi coisas boas”, garante Gleik, que é contra a violência e afirma que muitas pessoas pensam errado sobre a luta. “A gente tenta buscar o equilíbrio mental, emocional, é isso que a gente tenta passar para os alunos. A gente não precisa ser bom de soco ou de chute e sim ter a disciplina, o respeito”, defende.

Um dos aprendizes da arte marcial é Marcos Vinicius Pereira que aos 12 anos já ostenta a faixa roxa e sonha em ser lutador de UFC. “Aprendi no karatê a ter respeito, disciplina, a ter bom comportamento, educação, tudo isso”.

Marcos Vinicius conta que aprendeu no karatê a ter respeito e disciplina

O esporte também tem espaço para as mulheres. Maria Clara Reis de 9 anos é um exemplo disso, a menina que já tem faixa vermelha deseja ser policial quando crescer. “O karatê significa muito para mim, porque é muito legal e dá para gente lutar”.

Maria Clara, aos nove anos, já conquistou a faixa vermelha

O repórter Ronaldo Modesto, colaborador do Correio de Carajás, fez bonito no retorno ao esporte. No exame prático de faixas trocou a branca pela amarela.  (Theíza Cristhine)

O repórter Ronaldo Modesto também mudou de faixa

Comentários

Mais

Covid: Marabá inicia vacinação da população em geral no dia 19

Covid: Marabá inicia vacinação da população em geral no dia 19

A notícia mais esperada e sonhada pela população de Marabá finalmente foi confirmada na tarde desta quarta-feira (16) pela Prefeitura…
É falso que jogador dinamarquês tenha se vacinado antes de sofrer mal súbito

É falso que jogador dinamarquês tenha se vacinado antes de sofrer mal súbito

INVESTIGADO POR: VERIFICADO POR:    Tuíte informa como fonte uma entrevista feita para uma rádio italiana, cuja existência a própria…
Estudo com hidroxicloroquina não comprova eficácia no ‘tratamento precoce’

Estudo com hidroxicloroquina não comprova eficácia no ‘tratamento precoce’

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR:  É enganosa postagem no Twitter que associa um estudo pré-publicado, portanto sem revisão dos pares, com…
Produtores de citrus, na região, precisam se cadastrar na Adepará

Produtores de citrus, na região, precisam se cadastrar na Adepará

Com o objetivo de realizar um trabalho preventivo e obter dados dos produtores de citrus – laranja, limão e tangerina…
Ao contrário do que afirma post, ivermectina em altas doses pode causar até convulsão

Ao contrário do que afirma post, ivermectina em altas doses pode causar até convulsão

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR: É enganosa postagem de médico no Twitter e no Instagram afirmando que a ivermectina é um…
Saiba quem não deve tomar a Sputnik V; Anvisa autorizou Pará a comprar vacina

Saiba quem não deve tomar a Sputnik V; Anvisa autorizou Pará a comprar vacina

A importação da vacina Sputnik V ao Pará, aprovada nessa terça-feira, 15, deverá ser realizada sob condições controladas. Por isso de acordo…