Correio de Carajás

Parauapebas: Polícia entende que mulher agiu em legítima defesa

Cerca apareceu pichada próximo de onde Aylan foi morto /Foto: Ronaldo Modesto
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O delegado Elcio de Deus, diretor da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, informou nesta segunda-feira (10) que já foi colhido depoimento da mulher que esfaqueou e matou Aylan Lima Lima, o alemão, de 18 anos, na madrugada de domingo (9), dentro de uma residência na Rua 7, no Bairro Vila Nova, em Parauapebas.

Diferente do que foi veiculado inicialmente, entretanto, o delegado afirma que Aylan é acusado de ter tentado estuprar uma mulher de 25 anos que está internada no Hospital Geral de Parauapebas (HGP), após ter sido ferida a faca, e não uma criança de 10 anos, embora esta também estivesse no imóvel.

Ao perceber o ataque à vítima, outra mulher adulta que estava na residência esfaqueou o homem. O corpo dele foi encontrado pela Polícia Civil caído na cozinha, de camiseta e sem as calças e roupa íntima.

Leia mais:

O diretor não divulgou os nomes das mulheres envolvidas no caso, mas confirmou que a responsável por defender a vítima de estupro alegou legítima defesa e que o inquérito está sendo encaminhado neste sentido.

O delegado não pôde fornecer detalhes sobre o parentesco das pessoas envolvidas, pois não é o responsável pela investigação e desconhecia esse dado. O caso está nas mãos do delegado plantonista Gabriel Henriques Alves Costa. Este, procurado por telefone nesta segunda, não quis se manifestar.

MUROS PICHADOS

Ainda no domingo uma cerca do bairro apareceu pichada com a assinatura “PCC”. No texto, o pichador afirma que mataram “um irmão” e falaram que ele era estuprador, mas afirma que seria mentira.

Enquanto a equipe da TV Correio gravava imagens no local do crime, um grupo de moradores jovens se aproximou, afirmando conhecer Aylan e um deles concedeu entrevista, sem querer se identificar, defendendo o jovem morto.

“É mentira que o cara é estuprador, é mentira, o cara é ‘nóis’, o cara não precisava disso, não. Ele tinha a mulher dele e a hora que ele quisesse a mulher dele ele tava com a mulher dele. Isso aí é ‘forjação’ porque os caras correram atrás dele aqui dentro. Ele bêbado e os caras correndo atrás dele pra matar ele. É porque não vimos porque se a gente tivesse visto não tinha ficado assim, não”, declarou.

Ao fim, ele acrescenta que Aylan era nascido no bairro e nega novamente que fosse estuprador. “O cara era tudo certo, da quebrada, era ‘um cria’, vai ficar só a saudade”, finalizou. (Luciana Marschall e Ronaldo Modesto)

Mais

Câmeras da PM em Marabá identificam foragidos e veículos roubados

Câmeras da PM em Marabá identificam foragidos e veículos roubados

A segurança pública de Marabá conta, a partir de agora, com um sistema mais moderno de comunicação. Quem ligar para…
Vítima de homicídio é encontrada em campo de futebol

Vítima de homicídio é encontrada em campo de futebol

A 15ª Seccional Urbana de Tucuruí ficará encarregada de investigar o assassinato de um homem identificado pelo nome de Josiel…
Operação policial no Jacarezinho deixa pelo menos 25 mortos

Operação policial no Jacarezinho deixa pelo menos 25 mortos

Uma operação da Polícia Civil do RJ contra o tráfico de drogas no Jacarezinho, na Zona Norte do Rio, deixou 25…
Trotes atrapalham as ações da polícia em Marabá

Trotes atrapalham as ações da polícia em Marabá

Todos os dias a Polícia Militar de Marabá atende diversas ligações falsas, os chamados trotes. Muitas das vezes, a equipe…
PRF apreende 105 toneladas de minério ilegal em caminhão na BR-222

PRF apreende 105 toneladas de minério ilegal em caminhão na BR-222

Um caminhão que transportava 105 toneladas de minério ilegal foi apreendido pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), no sudeste do Pará.…
Foragido da justiça é linchado por populares da Folha 16 após esfaquear homem

Foragido da justiça é linchado por populares da Folha 16 após esfaquear homem

Por volta das 16 horas desta quarta-feira, 5, um homem foi esfaqueado na Folha 16, no bairro Nova Marabá. A…