Correio de Carajás

Operação amplia seus resultados em municípios que mais desmatam no Pará

A operação começou em junho de 2020 e nas 12 primeiras etapas embargou até o momento 206.765 hectares de áreas exploradas

AMAZÔNIA VIVA

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Equipe de forças da Segurança Pública atuaram no combate à exploração ilegal da floresta

O balanço da 13ª etapa da Operação Amazônia Viva, coordenada pela Força Estadual de Combate ao Desmatamento (FECD) e divulgada pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) apresenta os resultados dos esforços direcionados ao combate a crimes ambientais em cinco municípios que aparecem na lista dos que mais desmatam no Pará.

O relatório dessa fase apresenta apreensões de maquinários e madeira, destruição de acampamentos, procedimentos policiais e outros resultados obtidos pela equipe, que atuou em campo desde 11 de junho, formada por fiscais da Semas, integrantes das Polícias Civil e Militar, Bombeiros e do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves.

Nos municípios de São Félix do Xingu, Altamira, Novo Progresso, Itaituba e Trairão foram constatados 18.489,69 hectares de área desmatada, com checagem direta nos locais explorados ilicitamente. Foram destruídos 72 acampamentos e apreensão de 6 tratores e 2 caminhões, 21 motosserras, 2 sopradores, 2 bombas de combustível, 130 litros de combustível, 3 bombas elétricas, 9 baterias, 1 inversor e 6 rádios comunicadores, que eram utilizados na exploração ilegal da floresta.

Leia mais:

Duzentos e setenta e sete metros cúbicos de madeira foram apreendidos, sendo 82,28 m³ em tora e 194,72 m³ serrada. Consta ainda no balanço a apreensão de 230 quilos de carne de caça, que foi inutilizada. Os procedimentos policiais lavrados foram 10 Termos Circunstanciais de Ocorrência (TCO), 3 Inquéritos Policiais (IPL) e 3 perícias criminais. Duas armas calibre 28 foram apreendidas e também 14 munições.

Nos procedimentos administrativos da operação estão registrados 22 autos de Infração, 34 Termos de Apreensão, 18 Termos de Depósito, 7 Termos de Embargo, 5 Termos de Doação e 14 Termos de Inutilização/Destruição – 6 tratores, 2 caminhões, 130 litros de combustível, 194,72 m³ de madeira serrada e 82,28 m³ de madeira em tora.

OPERAÇÃO

A Operação Amazônia Viva começou em junho de 2020 e nas 12 primeiras etapas concluídas embargou até o momento 206.765 hectares de áreas exploradas clandestinamente e apreendeu 7.831 m³ de madeiras exploradas de forma ilegal e maquinários utilizados nos crimes ambientais, como tratores e caminhões, além e outros bens e equipamentos usados para a atividade ilegal – motosserras, bombas, armas e outras.

Índices comparativos entre o mês de junho de 2020 e junho deste ano, produzidos pela Semas, demonstram que em áreas de gestão estadual houve redução de 27% no desmatamento. Os números apontam para uma diminuição de 190 km² de área desmatada ano passado, para 139 km² de desmatamento em junho de 2021. Quando as áreas de responsabilidade federal são acrescidas aos cálculos, a variação de redução no Pará vai a 25%: desmatamento de 644 km² em junho de 2020 e 480 km² desmatados em junho deste ano.

O Plano Estadual Amazônia Agora (PEAA), que visa ao combate do desmatamento e redução da emissão dos Gases Efeito Estufa (GEE), para fazer o Pará chegar à neutralidade de emissões de carbono até 2036, tem quatro eixos de sustentação: Regulariza Pará – regularização fundiária e ambiental; Territórios Sustentáveis – apoio e fomento aos produtores rurais, além da recuperação de áreas degradadas; Fundo Amazônia Oriental – captação de recursos para os projetos do Plano; e o Comando e Controle – combate aos crimes ambientais com a Força Estadual de Combate ao Desmatamento e aperfeiçoamento do Licenciamento Ambiental. (Ag. Pará)

Comentários

Mais

Covid-19: Anvisa diz que não há estudo conclusivo sobre 3ª dose

Covid-19: Anvisa diz que não há estudo conclusivo sobre 3ª dose

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) afirmou em comunicado hoje (23) que ainda não há evidências suficientes para uma…
ONS prevê cenário energético "sensível" até novembro

ONS prevê cenário energético "sensível" até novembro

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) revisou as previsões para o atendimento de energia ao Brasil até novembro e…
DJ Ivis pede perdão a Pamella Holanda em suposta carta lida pelo advogado do cantor

DJ Ivis pede perdão a Pamella Holanda em suposta carta lida pelo advogado do cantor

A cearense Pamella Holanda, vítima de agressões de DJ Ivis, revelou que o cantor enviou uma suposta carta, por meio do advogado, com um pedido de perdão.…
Rede estadual retoma aulas no início de agosto

Rede estadual retoma aulas no início de agosto

A redução do número de novos casos e de óbitos por Covid-19, bem como a adesão à vacinação contra o…
Clarice, a jovem que anda nua em Parauapebas, não está abandonada

Clarice, a jovem que anda nua em Parauapebas, não está abandonada

Uma cena comum em Parauapebas e que choca muita gente é a de uma mulher andando sem roupas pelas ruas…
Mãe pede ajuda para comprar cadeira de banho para o filho

Mãe pede ajuda para comprar cadeira de banho para o filho

Com grande parte do corpo atrofiado, conseguindo movimentar apenas uma das mãos e a cabeça, o jovem Handriw Rafael Vasconcelos…