Correio de Carajás

O turismólogo que virou dono de ótica

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Um convite do irmão para abrir uma franquia da Triton em Marabá foi o passo que mudaria os rumos profissionais de Henrique Rocha, escolhido Jovem Empreendedor do ano de 2017 em Marabá. Há apenas 6 anos ele ainda trabalhava na sua profissão de origem, como Turismólogo, tendo chegado a Marabá para trabalhar em um dos maiores hotéis da cidade. Ele topou o desafio do irmão, foi para a iniciativa privada e desde então ajustou o negócio para o ramo de ótica, sem medo de entrar em um nicho que já contava com grandes empresas no mercado.

“Nunca pensei nisso, como seria a relação com outras óticas. Cuidei em investir e em cuidar bem dos meus clientes. Queria que todos saíssem satisfeitos e se retornassem relatando algum problema, trocava os óculos, as lentes, até que estivessem 100% felizes”, conta sobre a sua relação com a clientela. Não apenas isso: em 5 anos de Óticas Helena (nome em homenagem a sua mãe), Henrique foi se preparar melhor para o desafio, participando de eventos do setor, entendendo o processo de fabricação, etc.

A VIDA

Leia mais:

Henrique Antônio Rocha tem 35 anos, é natural de Patos de Minas (MG), casado com Thamara Souza e tem duas filhas. O irmão que lhe convidou para trabalhar com a marca Triton foi Jober Frederico Rocha. Após período inicial de sucesso representando a franquia de óculos esportivos, Henrique identificou a demanda por óculos de grau e ajustou o negócio abrindo a Óticas Helena. Continuou com a Triton no Shopping, com um quiosque. Desde então, Jober mudou de ramo, mas o irmão, já apaixonado pelo novo trabalho, continuou prosperando.

Além de turismo, é formado em Gerenciamento de Varejo. Ele também tem curso técnico em ótica e optometria. A partir das lojas de Marabá, já expandiu o negócio com filiais em Tucuruí, Parauapebas, Canaã dos Carajás e até fora do estado, na pujante Imperatriz (MA). A primeira loja ainda existe no mesmo ponto, no cruzamento da Av. São Francisco com a Rua Sérvulo Brito, no coração do comércio da Cidade Nova.

A GUINADA COM A EXPANSÃO NO MESMO SEGMENTO

Na origem do negócio com a franquia Triton, quando ainda não tinha alcançado a estabilidade, Henrique trabalhou paralelamente com corretagem de imóveis. A primeira filha estava a caminho e as contas estavam maiores. “Foi um momento crucial em que pensei muito se mudava de ramo novamente ou insistia em ótica”, conta. Sobre o mercado: “Eu pensei que se eu conseguisse fazer um bom trabalho, conquistando a todo dia um cliente, confiando na propaganda boca a boca, eu conseguiria vencer e fui”.

No dia a dia da franquia de óculos esportivos, muitos clientes pediam indicação de uma ótica para óculos de grau, e Henrique indicava as lojas de referência do setor em Marabá, até perceber ali uma demanda a ser atendida. “É uma necessidade básica, sempre vai ter gente precisando de óculos de grau. Dali em diante eu fui estudar sobre o ramo, fui me preparar e mudei”, relata.

Um montador de óculos experiente chamado Tavares, que havia recém-saído de uma das óticas da cidade, foi trabalhar com Henrique e foi fundamental no aprendizado do patrão sobre o negócio e nos primeiros passos da Óticas Helena. “Eu fui estudando e com o tempo aprendi, também. Semana ´passada eu estava viajando, em um curso, não deixo de participar”.

O empresário também destaca a importância do investimento em tecnologia. Comprou equipamentos modernos e tem seu próprio laboratório. Questionado sobre o que fez o cliente optar pelas suas óticas, Henrique responde: “Primeiramente o compromisso para com ele. Se voltou relatando que não ficou bom o trabalho, eu repito. Ele tem de sair da ótica satisfeito. É o nosso diferencial. Construímos uma relação de confiança. Ele sabe que primeiro eu quero vê-lo feliz. O dinheiro está no segundo plano”.

PREMIAÇÃO

Membro do Conselho de Jovens Empresários (Conjove), Henrique teve o nome escolhido pelos colegas de entidade durante votação em uma lista tríplice. Com isso, ele receberá na noite desta terça-feira (14) o prêmio de Jovem Empreendedor do ano 2017, entregue pelo quarto ano consecutivo. (Da Redação)

Um convite do irmão para abrir uma franquia da Triton em Marabá foi o passo que mudaria os rumos profissionais de Henrique Rocha, escolhido Jovem Empreendedor do ano de 2017 em Marabá. Há apenas 6 anos ele ainda trabalhava na sua profissão de origem, como Turismólogo, tendo chegado a Marabá para trabalhar em um dos maiores hotéis da cidade. Ele topou o desafio do irmão, foi para a iniciativa privada e desde então ajustou o negócio para o ramo de ótica, sem medo de entrar em um nicho que já contava com grandes empresas no mercado.

“Nunca pensei nisso, como seria a relação com outras óticas. Cuidei em investir e em cuidar bem dos meus clientes. Queria que todos saíssem satisfeitos e se retornassem relatando algum problema, trocava os óculos, as lentes, até que estivessem 100% felizes”, conta sobre a sua relação com a clientela. Não apenas isso: em 5 anos de Óticas Helena (nome em homenagem a sua mãe), Henrique foi se preparar melhor para o desafio, participando de eventos do setor, entendendo o processo de fabricação, etc.

A VIDA

Henrique Antônio Rocha tem 35 anos, é natural de Patos de Minas (MG), casado com Thamara Souza e tem duas filhas. O irmão que lhe convidou para trabalhar com a marca Triton foi Jober Frederico Rocha. Após período inicial de sucesso representando a franquia de óculos esportivos, Henrique identificou a demanda por óculos de grau e ajustou o negócio abrindo a Óticas Helena. Continuou com a Triton no Shopping, com um quiosque. Desde então, Jober mudou de ramo, mas o irmão, já apaixonado pelo novo trabalho, continuou prosperando.

Além de turismo, é formado em Gerenciamento de Varejo. Ele também tem curso técnico em ótica e optometria. A partir das lojas de Marabá, já expandiu o negócio com filiais em Tucuruí, Parauapebas, Canaã dos Carajás e até fora do estado, na pujante Imperatriz (MA). A primeira loja ainda existe no mesmo ponto, no cruzamento da Av. São Francisco com a Rua Sérvulo Brito, no coração do comércio da Cidade Nova.

A GUINADA COM A EXPANSÃO NO MESMO SEGMENTO

Na origem do negócio com a franquia Triton, quando ainda não tinha alcançado a estabilidade, Henrique trabalhou paralelamente com corretagem de imóveis. A primeira filha estava a caminho e as contas estavam maiores. “Foi um momento crucial em que pensei muito se mudava de ramo novamente ou insistia em ótica”, conta. Sobre o mercado: “Eu pensei que se eu conseguisse fazer um bom trabalho, conquistando a todo dia um cliente, confiando na propaganda boca a boca, eu conseguiria vencer e fui”.

No dia a dia da franquia de óculos esportivos, muitos clientes pediam indicação de uma ótica para óculos de grau, e Henrique indicava as lojas de referência do setor em Marabá, até perceber ali uma demanda a ser atendida. “É uma necessidade básica, sempre vai ter gente precisando de óculos de grau. Dali em diante eu fui estudar sobre o ramo, fui me preparar e mudei”, relata.

Um montador de óculos experiente chamado Tavares, que havia recém-saído de uma das óticas da cidade, foi trabalhar com Henrique e foi fundamental no aprendizado do patrão sobre o negócio e nos primeiros passos da Óticas Helena. “Eu fui estudando e com o tempo aprendi, também. Semana ´passada eu estava viajando, em um curso, não deixo de participar”.

O empresário também destaca a importância do investimento em tecnologia. Comprou equipamentos modernos e tem seu próprio laboratório. Questionado sobre o que fez o cliente optar pelas suas óticas, Henrique responde: “Primeiramente o compromisso para com ele. Se voltou relatando que não ficou bom o trabalho, eu repito. Ele tem de sair da ótica satisfeito. É o nosso diferencial. Construímos uma relação de confiança. Ele sabe que primeiro eu quero vê-lo feliz. O dinheiro está no segundo plano”.

PREMIAÇÃO

Membro do Conselho de Jovens Empresários (Conjove), Henrique teve o nome escolhido pelos colegas de entidade durante votação em uma lista tríplice. Com isso, ele receberá na noite desta terça-feira (14) o prêmio de Jovem Empreendedor do ano 2017, entregue pelo quarto ano consecutivo. (Da Redação)

Comentários

Mais

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Fiocruz: acordo vai combater transmissão congênita da doença de Chagas

Um convênio assinado hoje (14) pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a agência internacional Central Internacional para a Compra de…
Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa

Em 2020, foram abertas 3,3 milhões de novas empresas, segundo levantamento da Serasa Experian. O número representa um crescimento de…
Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Covid: saúde mental piorou para 53% dos brasileiros sob pandemia, aponta pesquisa

Mais da metade dos brasileiros entrevistados por uma pesquisa declararam que sua saúde emocional e mental piorou desde o início…
Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

Como escolher um bom café? Mitos e curiosidades sobre a bebida queridinha dos brasileiros

A segunda bebida mais consumida no mundo é também aquela que hoje serve como instrumento para aproximar ainda mais as…
Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Terminam hoje inscrições para o Sisu do primeiro semestre

Termina hoje (14), às 23h59, o prazo de inscrições para o processo seletivo do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do primeiro semestre…
Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão judicial ratifica atuação da Arcon no combate ao transporte clandestino

Decisão favorável do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), no final do mês passado, ratifica o poder de…