Correio de Carajás

Netflix acrescenta novo filme sobre Pelé no rol de documentários

Foto: Reuters
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Um novo filme sobre Pelé é o mais recente lançamento de uma série de documentários que tem sido descrita como a era de ouro de filmes sobre esportes.

Documentários sobre o jogador de basquete norte-americano Michael Jordan, o jogador de futebol argentino Diego Maradona e o piloto brasileiro de Fórmula 1 Ayrton Senna estão encantando fãs com suas visões de bastidores da atuação e da personalidade dos grandes astros esportivos.

“Pelé”, lançado nesta terça-feira (23) na Netflix, almeja dar o mesmo tratamento a um homem que é sinônimo de Brasil no mundo todo.

Leia mais:

“Acho que pensávamos que ele era um cara do qual todos, inclusive os torcedores de futebol, tinham um conhecimento bastante superficial”, disse o codiretor Ben Nicholas à Reuters. “Mas realmente queríamos explicar como este garoto se tornou o personagem mítico que ele se tornou”.

O filme se concentra no período entre 1958 e 1970, quando o Brasil conquistou três das cinco Copas do Mundo que possui e se estabeleceu como o país do futebol. Fora de campo, os dias de glória do final dos anos 1950, quando a produção cultural única do Brasil tomou o mundo de assalto, deu lugar a tempos sombrios na esteira do golpe militar de 1964.

O foco principal está no papel de Pelé nos triunfos dos três Mundiais, e particularmente na Copa de 1970, quando ele levou o que se considera um dos maiores times de futebol de todos os tempos à vitória no México.

O êxito, disseram os diretores, foi vital para a criação do mito Pelé. Depois de estrear na Copa do Mundo de 1958 com 17 anos, Pelé se machucou no segundo jogo de 1962 e só desempenhou um papel pequeno. Ele voltou a se machucar depois de sofrer faltas persistentes no torneio de 1966 na Inglaterra e ameaçou jamais disputar outra Copa, mas mudou de ideia, decidindo que levar a seleção brasileira à conquista do título em 1970 o consolidaria como uma lenda.

“Se Pelé e o Brasil não vencem em 1970, ele não se torna Pelé e o Brasil não se torna realmente o Brasil”, disse o codiretor David Tryhorn. “Este é o selo de qualidade da identidade de Pelé e da identidade do país”.

O filme de 108 minutos evita comparações com Maradona, Lionel Messi ou Cristiano Ronaldo, três jogadores citados com frequência como rivais de Pelé pelo título de maior jogador da história.

Ao invés disso, a homenagem se concentra na condição de desbravador de Pelé.

“Sei que houve grandes jogadores antes dele, mas ele foi o verdadeiro pioneiro, ele foi o Elvis, foi o Neil Armstrong”, disse Tryhorn. (Agência Brasil)

Comentários
Ximbinha lança música “Nova Redenção” nesta quinta-feira

Ximbinha lança música “Nova Redenção” nesta quinta-feira

Cumprindo o isolamento social durante a pandemia da Covid-19, o guitarrista paraense Ximbinha está aproveitando esse tempo para produzir novas…
Festival In-Edit começa amanhã e terá 50 documentários musicais

Festival In-Edit começa amanhã e terá 50 documentários musicais

Memórias, histórias e trajetórias de grandes nomes da música mundial, exploradas pelo cinema documental, estão novamente em foco na 13ª…
Mestres do Universo | Trailer da nova série tem He-Man, nostalgia e ação; veja

Mestres do Universo | Trailer da nova série tem He-Man, nostalgia e ação; veja

Mestres do Universo: Salvando Eternia, a nova série animada dedicada ao bravo guerreiro-príncipe He-Man produzida pela Netflix, ganhou seu primeiro trailer.…
William Bonner diz que fará anúncio no Jornal Nacional e web questiona aposentadoria

William Bonner diz que fará anúncio no Jornal Nacional e web questiona aposentadoria

O apresentador William Bonner contou em publicação nas redes sociais que o Jornal Nacional desta quinta-feira (10) terá um anúncio especial. Com…
Indiana Jones 5: filme pode trazer um jovem Indy

Indiana Jones 5: filme pode trazer um jovem Indy

Esta semana conferimos as primeiras fotos das filmagens de Indiana Jones 5, a produção está a todo vapor no Reino…
'Quero que as pessoas se sintam orgulhosas de serem quem são', diz Iza

'Quero que as pessoas se sintam orgulhosas de serem quem são', diz Iza

“Fecha a rua lá no gueto, vai ter samba lá no gueto, joga bola lá no gueto, ela é cria…