Correio de Carajás

Mulheres, parentes de presos, fazem manifestação em frente ao Fórum

Com cartazes, faixas e caixa de som, o intuito do ato é chamar a atenção do Poder Judiciário - Foto: Evangelista Rocha

MARABÁ

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Cerca de 30 mulheres, mães e companheiras de detentos presos em unidades prisionais de Marabá, se reuniram na manhã desta terça-feira, 15, em frente ao prédio do Fórum Cível de Marabá, no Núcleo Cidade Nova, para reivindicar, de forma pacífica, informações sobre os internos, solicitar o retorno das visitas presenciais, acesso às assistentes sociais, entre outros assuntos.
Com cartazes, faixas e caixa de som, o intuito do ato, segundo Ludmilla Lima dos Reis, 50 anos, que coordena a manifestação do grupo, é chamar a atenção do Poder Judiciário para que elas consigam ter um acompanhamento sobre o estado de saúde dos parentes.

O grupo entregou um ofício no gabinete do juiz da Vara de Execuções Penais, Caio Marco Berardo – Foto: Evangelista Rocha

“Sabemos que estamos em um cenário de pandemia. Logo no começo foram encerradas as visitas, mas duas casas penais já voltaram com as presenciais. A última vez que nós tivemos visita foi em janeiro. Lá é disponibilizada a chamada de vídeo, mas funciona para umas e outras não, porque tem muita gente que mora em sítio, fazenda e não tem alcance de celular”, argumenta.
Ludmilla afirma que a intenção de se reunirem em frente ao Fórum é para que possam ser recebidas pelas autoridades judiciais para uma conversa e solicitarem apoio para que possam visitar presencialmente seus familiares.
“Sabemos que eles cometeram crimes e precisam pagar. Mas a mesma lei que me ampara, que estou em liberdade, ampara eles também”, finaliza.
O grupo entregou um ofício no gabinete do juiz da Vara de Execuções Penais, Caio Marco Berardo.
O magistrado não estava no momento. Contudo, a assessora do gabinete, Ana Letícia, recebeu o documento e informou à equipe do CORREIO que a demanda será passada ao juiz e que ele vai verificar se é necessário abrir um procedimento para o caso. (Ana Mangas)

Comentários

Mais

Redes de pesca, arma e equipamentos são apreendidos no Lago de Tucuruí

Redes de pesca, arma e equipamentos são apreendidos no Lago de Tucuruí

Durante fiscalização ambiental na região do Lago de Tucuruí para o combate à pesca predatória, a Secretaria de Meio Ambiente…
Mãe acusa Samu por óbito e serviço diz que bebê já estava morta

Mãe acusa Samu por óbito e serviço diz que bebê já estava morta

Na manhã desta sexta-feira (23), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi chamado ao Residencial Alto Bonito, em…
Se beber, não vandalize a viatura

Se beber, não vandalize a viatura

Um fato atípico foi registrado em Marabá no início da semana e divulgado nesta sexta-feira (23). Na madrugada da última…
Ex padrasto é condenado a mais de 13 anos por estuprar enteada

Ex padrasto é condenado a mais de 13 anos por estuprar enteada

A Polícia Civil de Marabá cumpriu na noite desta quinta-feira (22) mandado de prisão contra Fernando Dias Xavier, de 33…
Câmeras flagram baleamento de Bruce Lee

Câmeras flagram baleamento de Bruce Lee

Na noite desta quarta-feira (21), Bruce Lee Henrique Coelho dos Santos foi baleado duas vezes, na perna e na cabeça,…
Moto roubada é recuperada em menos de 24 horas

Moto roubada é recuperada em menos de 24 horas

Motocicleta que havia sido roubada há menos de um dia foi encontrada na noite desta quarta-feira (21), em Marabá. Ana…