Correio de Carajás

MPF apura improbidade pelo descaso e omissão de autoridades contra invasão garimpeira em área indígena no Pará

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O Ministério Público Federal (MPF) abriu nesta segunda-feira (22) apuração sobre a ocorrência de improbidade administrativa por parte de autoridades responsáveis por evitar a invasão garimpeira em terras dos indígenas Munduruku no sudoeste do Pará. Apesar de cobranças que os indígenas e o MPF vêm fazendo nos últimos anos sobre a necessidade de o poder público combater a ilegalidade, o tema vem sendo tratado com descaso e omissão, considera o MPF.

Os primeiros alertas dos indígenas e do MPF foram divulgados em 2012. Nos últimos anos o problema piorou, e o MPF expediu recomendação em 2017, e ajuizou ação em 2018. A ação provocou a realização de operação, mas, apesar de recomendação do MPF, o combate não continuou.

Em junho de 2020 o MPF voltou a ajuizar ação. Dois meses depois chegou a ser iniciada uma ação de fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), que foi interrompida após visita do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da intervenção do Ministério da Defesa. As circunstâncias da interrupção incluíram suspeitas de vazamento de informações sigilosas e transporte de garimpeiros em aviões da Força Aérea Brasileira (FAB), e estão sendo investigadas em dois inquéritos do MPF.

Leia mais:

Enquanto o Poder Executivo segue inerte, desde o último dia 14 a tensão na área vem aumentando, com a chegada de grande número de pás carregadeiras a uma região – o igarapé Baunilha, em Jacareacanga – próxima a uma das principais bacias que garante a vida Munduruku, a bacia do rio Cururu. Helicóptero filmado na área é suspeito de dar escolta aos criminosos. O MPF voltou a pedir atuação urgente de forças federais, sem respostas até o momento. Na última sexta-feira (19), grupo armado impediu indígenas de desembarcarem na área.

Além de instaurar notícia de fato para apuração de improbidade administrativa por parte das autoridades responsáveis pelo combate ao garimpo ilegal, também nesta segunda-feira (22) o MPF instaurou notícia de fato para verificação da ocorrência de dano coletivo aos indígenas porque os criminosos falsificam os registros dos resultados para dar a aparência que a mineração ocorreu em lavras legalizadas fora de áreas indígenas, e as compensações financeiras aos municípios são calculadas com base nessas informações falsas. (Fonte: Ascom MPF)

Comentários

Mais

Exposição on-line apresenta obras produzidas por artistas de Parauapebas

Exposição on-line apresenta obras produzidas por artistas de Parauapebas

Já está disponível na página do Movimenta Pebas, a exposição virtual das três obras produzidas no programa de residência artística…
Estudos fraudados não deslegitimam artigos que comprovam ineficácia da cloroquina contra a covid-19

Estudos fraudados não deslegitimam artigos que comprovam ineficácia da cloroquina contra a covid-19

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR:    Médico norte-americano apresenta evidências enganosas ao sugerir conspiração da ciência contra cloroquina. Texto publicado em…
Mutirão, em Marabá, vacina mais de 10 mil pessoas acima dos 45 anos

Mutirão, em Marabá, vacina mais de 10 mil pessoas acima dos 45 anos

A partir desta segunda-feira (21), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) retomou a vacinação contra a covid-19 para quem está…
É falso que senadores republicanos tenham descoberto origem da covid-19

É falso que senadores republicanos tenham descoberto origem da covid-19

INVESTIGADO POR:  VERIFICADO POR:  Conteúdo verificado: Texto publicado em site na internet segundo o qual senadores republicanos revelaram que já…
Temperatura sobe e agita o verão de Parauapebas

Temperatura sobe e agita o verão de Parauapebas

Junho chegou e com ele a onda de calor mais forte do ano na região amazônica. As temperaturas podem superar…
Projeto que cria linhas de ônibus turísticas em Parauapebas será votado nesta terça (22)

Projeto que cria linhas de ônibus turísticas em Parauapebas será votado nesta terça (22)

Consta na pauta da Sessão Ordinária desta terça-feira (22) da Câmara Municipal de Parauapebas o Projeto de Lei Nº 54…