Correio de Carajás

Mortes por acidentes no trânsito de Parauapebas aumentam 46,15%

MAIO AMARELO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Órgãos de trânsito e de saúde realizam campanha durante o mês de conscientização com o objetivo de reduzir os índices

Foram registradas 19 mortes no trânsito de Parauapebas apenas nos quatro primeiros meses de 2021. O número significa um aumento de 46,15% dos óbitos em comparação ao mesmo período do ano anterior, 2020, quando 13 pessoas perderam a vida nessas circunstâncias. Durante todo o ano passado, 74 óbitos foram registrados. Menos graves, mas também incômodos, são os acidentes com danos materiais, que aumentaram 39,05%, passando de 233 para 324.

O número de vítimas lesionadas também teve aumento. Enquanto 56 saíram feridas no quadrimestre inicial de 2020, em 2021 foram 75, ou seja, 33,92% a mais. Em todo o ano de 2020 foram atendidas 898 vítimas de acidentes na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e 3.298 no Hospital Geral de Parauapebas (HGP). O Serviço Móvel de Urgência (Samu) atendeu 987 ocorrências de trânsito.

Os dados foram coletados pelo Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT) e pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) que integram neste mês a oitava edição da campanha nacional “Maio Amarelo”, de prevenção a acidentes de trânsito.

Leia mais:

Parauapebas registrava, em janeiro deste ano, uma frota de 108.472 veículos, oito mil a mais que o registrado um ano atrás, em janeiro de 2020, quando a frota era de 100.415 veículos, segundo dados do Ministério da Infraestrutura.

Juntas, as motocicletas e motonetas somam a maior parte de veículos transitando em Parauapebas (54.501), seguidas dos automóveis (31.846) e das caminhonetes (10.926). As informações, entretanto, não contemplam os dados referentes aos veículos com placas registradas em outros municípios, muito comuns nas ruas da cidade.

Ronaldo Ribeiro, diretor de Alta e Média Complexidade da Semsa, lembra que a Organização Mundial de Saúde (OMS) elenca os acidentes de trânsito como o primeiro responsável por mortes de pessoas na faixa etária de 15 a 29 anos e também contribuem para a superlotação das portas de entrada de urgência e emergência do município.

Ronaldo Ribeiro: “Atendemos pelo menos 10 vítimas todos os dias em 2020, o que é alarmante”

“Temos algumas características, como uma das maiores frotas de veículos do estado, mas isso por si só não justifica o elevado índice de acidentes que temos. Atendemos pelo menos 10 vítimas de acidentes de trânsito todos os dias em 2020, o que é alarmante”, destaca, ressaltando que as equipes médicas costumam verificar sinais familiares entre os pacientes, o que traça um padrão destes casos.

“Há alta transferência de energia, índice que utilizamos na medicina de urgência e significa que teve alta velocidade na hora do acidente, a gente consegue perceber pelas lesões, além do uso de álcool, a gente percebe a halitose, o cheiro de álcool bastante presente no hálito do paciente”, adverte.

Conforme o diretor, o excesso de acidentes sobrecarrega o sistema de saúde e afeta a vida dos envolvidos, tanto causadores quanto inocentes que acabam acometidos. “As consequências são várias, desde simples escoriações até fraturas, amputações, deformidades e óbito”.

AÇÕES

Para melhora desse quadro, o diretor geral do DMTT, Rafael Pinheiro de Santos, destaca que o órgão tem focado em ações de educação, que serão intensificadas neste mês, fiscalização e engenharia, reforçando a sinalização. Mudanças no trânsito, acrescenta, também vem sendo estudadas e testadas.

Rafael Pinheiro: “(Acidentes) ocorrem por fator humano, por imprudência, negligência e imperícia”

Destaca, porém, que é necessária a conscientização daqueles que estão no trânsito. “O fator humano é o que prepondera nessas ocorrências de acidente. Nosso levantamento aponta que ocorrem por fator humano, por imprudência, negligência e imperícia”, afirma, acrescentando que o município está montando o Plano de Mobilidade Urbana (PMU) para tentar melhorar o tráfego, o que deve impactar também em redução de acidentes.

Rafael Pinheiro ressalta a importância dos envolvidos nos sinistros acionarem o órgão de trânsito para o registro, auxiliando no mapeamento das áreas de risco. “A gente não consegue identificar onde está necessitando de uma sinalização, fiscalização ou orientação no trânsito sem esse registro, que é feito na hora”. Os chamados devem ser feitos ao número (94) 3356 0611/118.

Nilton Lima, coordenador do Núcleo de Educação para o Trânsito do DMTT, informa que a programação teve início de forma virtual e a partir desta semana iniciam-se ações presenciais, como palestras e blitzes educativas, intensificando a conscientização no trânsito junto condutores, empresas e até crianças.

Nilton Lima: “Em 90% dos casos de acidentes a responsabilidade é do ser humano”

“Em 90% dos casos de acidentes a responsabilidade é do ser humano. Ele não sabia que o sinal vermelho é pra parar? Ele não sabia que ele não pode passar numa faixa de pedestre quando tem um pedestre pra atravessar? Todos nós sabemos, às vezes até a criança já sabe, isso vai crescendo com a gente, mas na hora da prática há aquele segundo de desatenção, de relaxamento, que pode ser fatal”, chama a atenção. (Luciana Marschall)

Comentários

Mais

Mega-Sena: aposta única leva prêmio de R$ 43,2 milhões

Mega-Sena: aposta única leva prêmio de R$ 43,2 milhões

Uma aposta feita em Balneário Camboriú (SC) levou o prêmio de R$ 43,2 milhões da Mega-Sena. O apostador acertou as…
Bolsonaro faz 'motociata' em SP ao lado de apoiadores

Bolsonaro faz 'motociata' em SP ao lado de apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro está em passeata pela cidade de São Paulo, em manifestação organizada por integrantes de clubes de…
Aos 80 anos, morre o ex-vice-presidente Marco Maciel

Aos 80 anos, morre o ex-vice-presidente Marco Maciel

Morreu neste sábado (12), aos 80 anos, o ex-vice-presidente da República Marco Maciel. Segundo o genro do político, Joel Braga,…
Capacitação de profissionais é aposta para combater trabalho infantil

Capacitação de profissionais é aposta para combater trabalho infantil

No lugar da boneca e do carrinho, a enxada e a vassoura. No lugar do tempo para estudo e descanso,…
Casal passou a morar junto e construiu sua “família”

Casal passou a morar junto e construiu sua “família”

  A história de Juliana Milhomem e Victoria Kaline é semelhante à de Polyana e Amanda. Ambas se conheceram em…
Mulheres que são felizes com outras mulheres

Mulheres que são felizes com outras mulheres

“Consideramos justa toda forma de amor”. Parafraseando Lulu Santos, começamos essa história com o trecho da emblemática música “Toda forma…