Correio de Carajás

Mirante no encontro dos rios ainda não tem prazo de conclusão

Segundo a Prefeitura, seguem em ritmo normal neste fim de ano/ Fotos: Divulgação PMM
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A construção da extensão da Orla de Marabá, no encontro dos rios Tocantins e Itacaiúnas, no Bairro Francisco Coelho e também no Bairro Amapá segue mesmo com o início do período de inverno. É o que confirmou ontem ao CORREIO a Prefeitura de Marabá. A fase atual é a de colocação das 89 peças de concreto, por módulo, com 30 metros de comprimento cada, totalizando 14 módulos. O prazo para a conclusão era este final de ano, mas o poder público não citou, na nota enviada ao Jornal, sobre os motivos do atraso e nem fala em novo prazo.

Uma vez pronto, o local servirá de mirante ao encontro dos rios

A construção, no entanto, chama muita atenção dos marabaenses, que vislumbram o surgimento de um novo ponto turístico, onde antes ficavam casebres ameaçados de desabamento. Foi essa característica, aliás, que garantiu o recurso do Governo Federal, mais especificamente da Defesa Civil Nacional. Trata-se de dinheiro para construção de estruturas como muro de arrimo em áreas com risco de desabamento. A parceria com a Prefeitura de Marabá, que toca a obra, garantirá a parte da urbanização, tornando o local uma área de visitação apropriada.

No Amapá, a outra frente da obra à margem do Itacaiúnas

O valor total da obra está orçado em mais de 42 milhões de reais (R $42.170.000,00).

Leia mais:

NO CANTEIRO

Os operários trabalham na colocação das colunas de concreto de sustentação da laje que dá continuidade a orla. “A colocação das peças pré-moldadas ou colunas em concreto, como acontece agora, é uma etapa superior a instalação dos blocos de fundação na cabeça das estacas que já foram realizadas, as estacas servem de apoio para o pórtico, e formarão a estrutura da contenção”, explica o engenheiro Thiago Lobo, da Secretaria de Viação e Obras Públicas (SEVOP).

O engenheiro teme a subida do nível dos rios e a suspensão das atividades temporariamente. “A obra está seguindo no ritmo esperado, está indo bem, só nos preocupa a subida do rio que pode paralisar nossas atividades por tempo indeterminado, mas a obra está em ritmo bom”, comenta o engenheiro. (Da Redação)

Comentários

Mais

Mudanças na Transamazônica começam a funcionar nesta sexta-feira (6)

Mudanças na Transamazônica começam a funcionar nesta sexta-feira (6)

Os motoristas que trafegam pela rodovia Transamazônica poderão utilizar as mudanças das novas rotas já nesta sexta-feira (6). As equipes…
Pará recebe mais uma remessa de vacina contra a Covid-19 nesta quinta-feira (5)

Pará recebe mais uma remessa de vacina contra a Covid-19 nesta quinta-feira (5)

O Pará recebeu, na tarde desta quinta-feira (5), mais 97.110 doses da vacina Pfizer. Esta é a 52º remessa que…
MP diz que Sérgio Hondjakoff era mantido em cárcere privado em clínica, ator nega

MP diz que Sérgio Hondjakoff era mantido em cárcere privado em clínica, ator nega

O ator Sérgio Hondjakoff, de 37 anos, conhecido por fazer o personagem Cabeção em “Malhação”, da TV Globo, estava entre os internos…
Biomédica que ajudou a sequenciar DNA do coronavírus é homenageada com boneca

Biomédica que ajudou a sequenciar DNA do coronavírus é homenageada com boneca

A biomédica brasileira Jaqueline Góes de Jesus foi uma das cientistas escolhidas pela fabricantes de brinquedos Mattel para ser homenageada…
Transformação digital é desafio do MEC com volta de aulas presenciais

Transformação digital é desafio do MEC com volta de aulas presenciais

O secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC) Victor Godoy Veiga afirmou hoje (5) que o retorno às aulas presenciais nas escolas públicas de todo o país…
Butantan recebe matéria-prima para 8 milhões de doses de vacina

Butantan recebe matéria-prima para 8 milhões de doses de vacina

O Instituto Butantan recebeu, hoje (5), mais 4 mil litros de insumo farmacêutico ativo (IFA), o suficiente para produzir cerca…