Correio de Carajás

Mirante no encontro dos rios ainda não tem prazo de conclusão

Segundo a Prefeitura, seguem em ritmo normal neste fim de ano/ Fotos: Divulgação PMM
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A construção da extensão da Orla de Marabá, no encontro dos rios Tocantins e Itacaiúnas, no Bairro Francisco Coelho e também no Bairro Amapá segue mesmo com o início do período de inverno. É o que confirmou ontem ao CORREIO a Prefeitura de Marabá. A fase atual é a de colocação das 89 peças de concreto, por módulo, com 30 metros de comprimento cada, totalizando 14 módulos. O prazo para a conclusão era este final de ano, mas o poder público não citou, na nota enviada ao Jornal, sobre os motivos do atraso e nem fala em novo prazo.

Uma vez pronto, o local servirá de mirante ao encontro dos rios

A construção, no entanto, chama muita atenção dos marabaenses, que vislumbram o surgimento de um novo ponto turístico, onde antes ficavam casebres ameaçados de desabamento. Foi essa característica, aliás, que garantiu o recurso do Governo Federal, mais especificamente da Defesa Civil Nacional. Trata-se de dinheiro para construção de estruturas como muro de arrimo em áreas com risco de desabamento. A parceria com a Prefeitura de Marabá, que toca a obra, garantirá a parte da urbanização, tornando o local uma área de visitação apropriada.

No Amapá, a outra frente da obra à margem do Itacaiúnas

O valor total da obra está orçado em mais de 42 milhões de reais (R $42.170.000,00).

Leia mais:

NO CANTEIRO

Os operários trabalham na colocação das colunas de concreto de sustentação da laje que dá continuidade a orla. “A colocação das peças pré-moldadas ou colunas em concreto, como acontece agora, é uma etapa superior a instalação dos blocos de fundação na cabeça das estacas que já foram realizadas, as estacas servem de apoio para o pórtico, e formarão a estrutura da contenção”, explica o engenheiro Thiago Lobo, da Secretaria de Viação e Obras Públicas (SEVOP).

O engenheiro teme a subida do nível dos rios e a suspensão das atividades temporariamente. “A obra está seguindo no ritmo esperado, está indo bem, só nos preocupa a subida do rio que pode paralisar nossas atividades por tempo indeterminado, mas a obra está em ritmo bom”, comenta o engenheiro. (Da Redação)

Mais

Recém-nascido com doença rara é transferido de Marabá para Porto Alegre

Recém-nascido com doença rara é transferido de Marabá para Porto Alegre

O pequeno Enrico Ferro, de 22 dias, foi transferido de Marabá, sudeste do Pará, para Porto Alegre, no Rio Grande…
Correio FM e TV Correio têm programação especial no Dia das Mães

Correio FM e TV Correio têm programação especial no Dia das Mães

A manhã de sábado (8) foi comemorando um Dia das Mães antecipado, com gostinho de quero mais. “Foi só um…
Legado de Melquíades à educação de Marabá

Legado de Melquíades à educação de Marabá

A educação marabaense, nas últimas quatro décadas, recebe, de alguma forma, as digitais de Melquíades Justiniano da Silva. Esse baiano,…
Postagem que associa Doria e Lulinha na compra da Coronavac é falsa

Postagem que associa Doria e Lulinha na compra da Coronavac é falsa

  Falso No site oficial da Nasdaq, bolsa de valores dos Estados Unidos onde está listada a Sinovac, fabricante da…
DMTU faz o lançamento do Movimento Maio Amarelo

DMTU faz o lançamento do Movimento Maio Amarelo

Com o objetivo de colocar em pauta o tema da segurança viária, o Movimento Maio Amarelo nasce com a proposta…
Dia 10 de maio marca a emancipação de oito municípios da região

Dia 10 de maio marca a emancipação de oito municípios da região

Esta segunda-feira, 10 de maio, será um feriado especial para muitas cidades do Pará. Mais precisamente para 15 municípios, que…