Correio de Carajás

Ministério da Saúde anuncia antecipação da chegada de 1,2 milhão de doses da vacina infantil contra a Covid

Doses de vacina da Pfizer para crianças Foto: Divulgação/Pfizer
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Segunda remessa chegaria no dia 20, mas agora passou para o próximo domingo (16). Primeiro lote começa a ser enviado para os estados nesta sexta-feira (14).

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, anunciou em suas redes sociais nesta sexta-feira (14) a antecipação da chegada da segunda remessa de doses da vacina da Pfizer contra a Covid para crianças. Com isso, o lote de 1,2 milhão de doses chegará no domingo (16). A previsão inicial de segunda remessa era chegar no dia 20.

“E a nossa sexta-feira começa com uma ótima notícia. A segunda remessa de doses da vacina pediátrica da Pfizer foi antecipada para o dia 16/01, serão mais 1,2 milhão de doses. E fechando o mês de janeiro, no dia 27/01 serão mais 1,8 milhão de doses. Vamos em frente”, escreveu o secretário.

O primeiro lote, com 1,2 milhão de doses, chegou ao Brasil nesta quinta-feira (14) e, nesta sexta, começa a chegar aos estados. Em alguns deles, a vacinação de crianças de 5 a 11 deve começar no fim de semana.

Leia mais:

A terceira remessa de janeiro, com 1,8 milhão de doses, é esperada para o dia 27.

Compra de vacinas

 

O envio das doses para crianças faz parte do acordo firmado no dia 29 de novembro entre o governo federal e a farmacêutica americana, que contempla a disponibilização de 100 milhões de vacinas ao Brasil ao longo de 2022.

A negociação também prevê que o ministério da saúde tenha a opção de aumentar o número de doses previstas para serem entregues ao país em até 50 milhões de vacinas adicionais, elevando o número total para 150 milhões de doses neste ano.

Vacinação infantil

 

De acordo com o governo, a vacinação infantil ocorrerá:

  • em ordem decrescente de idade (das crianças mais velhas para as mais novas), com prioridade para quem tem comorbidade ou deficiência permanente e para crianças quilombolas e indígenas;
  • sem necessidade de autorização por escrito, desde que pai, mãe ou responsável acompanhe a criança no momento da vacinação;
  • com intervalo de oito semanas – um prazo maior que o previsto na bula, de três semanas.

(Fonte:G1)

Comentários

Mais

Jairo Milhomem é afastado da coordenação da Defesa Civil de Marabá

Jairo Milhomem é afastado da coordenação da Defesa Civil de Marabá

A Defesa Civil de Marabá tem um novo coordenador, pelo menos por enquanto. O cargo agora está sendo assumido, de…
Prefeito de Tucuruí decreta Situação de Emergência por causa da enchente

Prefeito de Tucuruí decreta Situação de Emergência por causa da enchente

Mais de duas centenas de famílias estão desabrigadas em decorrência da elevação do nível do Rio Tocantins no município de…
Garoto de 2 anos compra mais de R$ 10 mil em móveis com celular da mãe

Garoto de 2 anos compra mais de R$ 10 mil em móveis com celular da mãe

O que você faria se seu filho de 2 anos pegasse seu celular e fizesse um gasto alto em móveis?…
BNDES amplia para R$ 150 milhões Fundo Socioambiental

BNDES amplia para R$ 150 milhões Fundo Socioambiental

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) ampliou o orçamento do Fundo Socioambiental na modalidade Apoio Continuado de…
Anvisa determina recolhimento de autoteste de covid-19

Anvisa determina recolhimento de autoteste de covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou o recolhimento de mais um autoteste de covid-19 – o meuDNA PCR-LAMP Autocoleta…
Tamanduá é resgatado pela Semma no Rio Tocantins

Tamanduá é resgatado pela Semma no Rio Tocantins

Nesta terça-feira (25) a equipe de fiscalização da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Marabá (Semma), em ação conjunta com…