Correio de Carajás

Metropolitana se torna Centro Universitário

Nova sede da Metropolitana, feita a partir de moderna tecnologia, começa a funcionar em fevereiro/ Fotos: Evangelista Rocha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Há 11 anos funcionando em Marabá, a Metropolitana elevou de patamar e agora não é mais faculdade, mas sim uma instituição universitária. Com isso, a Metropolitana terá liberdade de criar cursos e os seus diplomas são registrados sem depender de outras instituições. Além disso, o quadro de professores terá agora um percentual maior de mestres e doutores. A informação foi confirmada pelo professor José Tafner, presidente do Centro de Ensino Superior de Marabá, Paragominas e Parauapebas.

José Tafner, aos 78 anos, continua um visionário apaixonado pela educação

Ele explica que a instituição tem hoje 20 cursos autorizados pelo Ministério da Educação (MEC), dos quais nove já estão reconhecidos. Foi justamente esse reconhecimento que possibilitou que a Metropolitana se tornasse Centro Universitário.

Entre os cursos ofertados hoje pela Metropolitana estão Administração, Ciências Contábeis, Direito, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Pedagogia, além das Engenharias Civil, Elétrica, Mecânica e de produção. Além disso, José Tafner adiantou que, para 2019, serão implantados mais quatro cursos, sendo  Medicina Veterinária, Biomedicina, Agronomia e Arquitetura e Psicologia.

Leia mais:

A instituição tem hoje cerca de 3,2 mil alunos, sendo 1,7 mil em Marabá, quase mil em Parauapebas e cerca de 600 em Paragominas. Para garantir um ambiente de pesquisa, a Metropolitana conta com bibliotecas físicas e duas bibliotecas virtuais.

Uma das novidades implantadas no ensino-aprendizagem da Metropolitana é a disposição dos acadêmicos nas salas de aula. Eles ficam divididos em mesas com oito carteiras em cada, produzindo ambiente para trabalho em grupo e fugindo do modelo tradicional adotado desde a evolução industrial, em que os estudantes ficam enfileirados em carteiras tendo o professor à frente.

Disposição das mesas nas 73 salas de aula revela inovação no ensino-aprendizagem

Nesse modelo, o professor deixa de ser o centro da sala de aula e atua como um facilitador entre o conteúdo e os estudantes. “A exigência do ensino moderno é que o aluno aprenda, que ele saia sabendo”, resume o Prof. Tafner, ao explicar que nesse modelo, o estudante é impelido a estudar para ter que discutir com os colegas e tudo isso é observado pelo professor.

NOVA CASA

A partir de fevereiro de 2019, a Metropolitana estará em sede própria, em área localizada na margem da Rodovia BR-230, nas proximidades do Delta Park (hoje chamada de Campus II). Trata-se de um investimento de R$ 24 milhões, sendo R$ 4 milhões na aquisição do terreno e R$ 20 milhões na construção.

A megaestrutura dispõe de 73 salas de aula, salas para laboratórios, de reunião, salas administrativas e ainda um auditório. Mas o diferencial da nova sede é o material usado na construção. Não há tijolos. A estrutura é metálica com painéis em ACM – sigla em inglês de Aluminum Composite Material. Nas lajes há apenas uma fina camada de concreto com “drywall” (parede seca), correspondente a um sistema construtivo que não utiliza argamassa, formado por um perfil metálico, com placas de gesso acartonado. “É uma das tecnologias mais modernas em termos de construção”, afirma José Tafner.

Segundo ele, toda essa estrutura – que é gigantesca – foi também uma prova do empreendedorismo da Metropolitana, que não está restrito aos cursos, mas à própria essência da instituição. “Empreendedorismo não se ensina retoricamente, temos que mostrar que estamos fazendo”, resume.

(Chagas Filho)

Comentários

Mais

Mais de 300 processos agrários envolvem a Serra das Andorinhas

Mais de 300 processos agrários envolvem a Serra das Andorinhas

As indenizações de cerca de 400 pessoas que alegam não ter sido contempladas com a criação do Parque Estadual da…
Vara Agrária de Marabá agenda desocupação de duas fazendas

Vara Agrária de Marabá agenda desocupação de duas fazendas

No último dia 6 de junho uma decisão publicada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) determinou a suspensão de ordens ou…
Reflexões sobre depressão e suicídio

Reflexões sobre depressão e suicídio

Um jovem de 28 anos tirou a própria vida se atirando na direção de uma carreta em movimento. O caso…
Marabá tem 2 entre os 10 piores trechos de rodovias do País

Marabá tem 2 entre os 10 piores trechos de rodovias do País

No ranking das dez piores ligações rodoviárias do País, boa parte das estradas está situada em regiões agrícolas, dificultando o…
Inflação em Marabá sobe 1,07% em apenas um mês

Inflação em Marabá sobe 1,07% em apenas um mês

O Laboratório de Inflação e Custo de Vida de Marabá (Lainc), da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará…
Desemprego cai para 13,7%, revela pesquisa do Ipea

Desemprego cai para 13,7%, revela pesquisa do Ipea

O desemprego recuou para 13,7% em junho, último mês do trimestre móvel iniciado em abril. O percentual foi atingido depois…