Correio de Carajás

Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 2,99%

Foto: Marcello Casal Jr
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) deste ano subiu de 2,65% para 2,99%. A estimativa está no boletim Focus de hoje (26), publicação divulgada todas as semanas pelo Banco Central (BC) com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Para 2021, a estimativa de inflação subiu de 3,02% para 3,10%. A previsão para 2022 e 2023 não teve alteração: 3,50% e 3,25%, respectivamente.

O cálculo para 2020 está acima do piso da meta de inflação que deve ser perseguida pelo Banco Central. Essa meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 4% em 2020, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,5% e o superior, 5,5%.

Leia mais:

Para 2021, a meta é 3,75%, para 2022, 3,50%, e para 2023, 3,25%, com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo em cada ano.

Juros básicos

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, estabelecida atualmente em 2% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do BC.

Para o mercado financeiro, a expectativa é que a Selic encerre 2020 em 2% ao ano. Para o fim de 2021, a expectativa é que a taxa básica chegue a 2,75% ao ano. Para o fim de 2022, a previsão é 4,5% ao ano e para o final de 2023, 6% ao ano.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

PIB e dólar

As instituições financeiras consultadas pelo BC ajustaram a projeção para a queda da economia brasileira este ano de 5% para 4,81%. Para o próximo ano, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – é de crescimento de 3,42%. Em 2022 e 2023, o mercado financeiro continua projetando expansão do PIB em 2,50%.

A previsão para a cotação do dólar é encerrar o ano em R$ 5,40. Para o fim de 2021, a expectativa é que a moeda americana fique em R$ 5,20. (Agência Brasil)

Mais

Sefa apreende máquina agrícola e bebidas em Marabá

Sefa apreende máquina agrícola e bebidas em Marabá

A unidade de controle de mercadorias em trânsito de Carajás, da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), em Marabá, sudeste…
Carreata marca luta contra abuso e exploração sexual de menores em Marabá

Carreata marca luta contra abuso e exploração sexual de menores em Marabá

Dia 18 de maio de 1963 um crime bárbaro chocou o Brasil. Araceli Cabrera Sanches, de apenas oito anos de…
Venda de consórcios dispara em Marabá

Venda de consórcios dispara em Marabá

A venda de consórcios registrou um forte crescimento em 2020, e segue em ritmo acelerado nos primeiros meses de 2021,…
Mais de 700 famílias já estão cadastradas para regularização

Mais de 700 famílias já estão cadastradas para regularização

Segue em ritmo intenso e, mesmo assim, com os cuidados de praxe devido à pandemia, o trabalho de cadastramento de…
Grave colisão entre caminhões causa morte e bloqueia pista

Grave colisão entre caminhões causa morte e bloqueia pista

Pelo menos uma pessoa morreu numa colisão entre dois caminhões na tarde desta segunda-feira (17) na BR-155, entre a sede…
Prefeitura libera segunda parcela do Renda Emergencial

Prefeitura libera segunda parcela do Renda Emergencial

  A Prefeitura Municipal de Curionópolis, inicia nesta terça-feira, 18 de maio, o pagamento da segunda parcela do Programa Renda…