Professor Ederson Santos foi assassinado friamente com dois tiros no rosto/ Foto: reprodução
Ads

A equipe do Departamento de Homicídios da Polícia Civil em Marabá está perto de colocar as mãos no homem que tirou a vida do professor Ederson Costa dos Santos, de 28 anos, na madrugada do último sábado (4), após uma discussão de trânsito no Núcleo Cidade nova. Toda a ação foi filmada por câmeras de segurança localizadas no perímetro onde o crime ocorreu. A vítima era professor de Automação do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Pará (IFPA), Campus Industrial de Marabá.

Ads

Durante coletiva para a Imprensa na manhã de ontem, segunda-feira (6), o delegado Ivan Pinto da Silva, que investiga o crime, mandou um recado para o acusado: “Eu repito para o autor do disparo, venha para a Delegacia de Homicídios e dê sua versão porque a gente vai chegar a você”.

O delegado confirmou que já tem toda a identificação do veículo do acusado (modelo e placa), mas prefere não divulgar por enquanto. “A gente está aguardando o autor, ele sabe que tem que comparecer aqui”, reafirma o delegado Ivan Silva, acrescentando que o professor foi morto com dois tiros de pistola na cabeça.

O assassinato aconteceu próximo de 1h20 da madrugada de sábado. Segundo o delegado Ivan Silva, a confusão que resultou em morte começou ainda na Rodovia Transamazônica, onde o professor deu um “cavalo de pau” com seu veículo e acabou atingindo o carro que vinha atrás (que seria um Fox de cor vermelha).

Ederson não parou para prestar auxílio ao motorista e continuou a dirigir, entrando na Avenida Tocantins, onde parou o veículo em frente ao Sesi. Logo em seguida o condutor do carro abalroado chegou e estacionou seu automóvel e os dois começaram a discutir. O professor vinha de um bar e dava carona a duas alunas, mas elas não saíram em momento nenhum do veículo. Já o acusado estava com sua namorada.

“A discussão demorou em torno de cinco minutos e quando parecia ter cessado, ele foi alvejado com dois disparos”, relata o delegado, ao reafirmar que o Departamento de Homicídios vai chegar à autoria do homicídio.

Essa certeza de que o caso será solucionado está ancorada em alguns fatores, como as testemunhas que presenciaram o crime e principalmente as câmeras de segurança de uma clínica particular que filmaram toda a cena, desde quando os carros pararam, o momento dos disparos, até a hora em que a vítima foi recolhida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU).

Ainda de acordo com o delegado Ivan Pinto da Silva, já foram ouvidas as duas estudantes que estavam no carro com a vítima, assim como dois professores que trabalhavam com Ederson no IFPA. Além disso, mais 10 pessoas já foram intimadas a prestar depoimento sobre o caso.

O delegado comentou que, caso o acusado não se apresente, ele vai tornar públicas as imagens da execução do professor para que o acusado possa ser reconhecido por outras pessoas, as quais poderão delata-lo por meio do Disque Denúncia.

LUTO NO IFPA

Pelo Facebook, o IFPA emitiu nota de pesar pela morte do professor, que trabalhava na instituição. “É com muita tristeza que o Campus Marabá Industrial informa o falecimento do professor Ederson Costa dos Santos. A instituição enfatiza o empenho e dedicação no excelente trabalho prestado nesses quatro anos como servidor do Instituto Federal do Pará (IFPA)”, diz a nota.

Em razão do homicídio, o Campus Industrial do IFPA, que funciona na Folha 22, decretou luto oficial e as atividades do instituto ficam suspensas até esta quarta-feira (8).

Dois professores que trabalhavam com a vítima deram entrevista na Correio FM ainda na manhã de sábado para falar sobre o assunto. Eles disseram ter sido pegos de surpresa pela notícia e confirmaram que as aulas foram suspensas. Os dois profissionais se disseram estarrecidos com a estupidez desse crime, motivado por uma discussão banal de trânsito.

(Chagas Filho)

Ads