Correio de Carajás

Marcelo Queiroga é nomeado ministro da Saúde

Foto: Fabio Pozzebom
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O médico cardiologista Marcelo Queiroga tomou posse hoje (23) no cargo de ministro da Saúde, em solenidade privada no Palácio do Planalto. O decreto de nomeação foi assinado pelo presidente Jair Bolsonaro e publicado em edição extra do Diário Oficial da União.

Na mesma publicação, também consta a exoneração de Eduardo Pazuello do cargo. O anúncio de substituição do comando da pasta foi feito na semana passada por Bolsonaro. No dia seguinte, Queiroga concedeu entrevista e destacou a importância da população se engajar nas medidas de prevenção à covid-19, incluindo o uso de máscaras e distanciamento social.

Marcelo Queiroga é natural de João Pessoa e se formou em medicina pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Ele fez especialização em cardiologia no Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro. Ele atua na área de hemodinâmica e cardiologia intervencionista. Atualmente, preside a Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Leia mais:

Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que o novo ministro “atende aos critérios técnicos e ao perfil de reputação ilibada exigidos para o cargo, com ampla experiência na área, não só da saúde, mas de gestão”. De acordo com o ministério, o nome de Queiroga foi submetido ao procedimento de consulta, obrigatório a quem assume cargos em comissão e funções de confiança.

Na análise de vida pregressa, não foram encontrados óbices jurídicos à nomeação, segundo a pasta. “Dentre os registros verificados, constatou-se que a Ação Penal – noticiada recentemente pela mídia – por suposta apropriação indébita previdenciária foi julgada improcedente, com absolvição de Marcelo Queiroga, conforme certidão emitida pela 16ª Vara Federal da Seção Judiciária de Paraíba”, diz a nota.

Com a nomeação, Queiroga é o quarto ministro da Saúde desde o começo da pandemia de covid-19. Passaram pela pasta, neste período, os médicos Luiz Henrique Mandetta, que estava desde o início do governo Bolsonaro, e Nelson Teich, seguido depois pelo general Eduardo Pazuello, do Exército. (Agência Brasil)

Comentários

Mais

Carmén Lúcia mantém quebra de sigilo de secretário do Ministério da Saúde

Carmén Lúcia mantém quebra de sigilo de secretário do Ministério da Saúde

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido para suspender a quebra dos sigilos de Arnaldo Correia de Medeiros,…
Brasil adere a acordo dos EUA para exploração pacífica do espaço

Brasil adere a acordo dos EUA para exploração pacífica do espaço

Nesta terça-feira, 15, o Brasil oficializou em uma cerimônia no Palácio do Planalto, o acordo de adesão ao programa Artemis, liderado…
Nunes Marques suspende quebras de sigilo aprovadas pela CPI

Nunes Marques suspende quebras de sigilo aprovadas pela CPI

O ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu duas liminares suspendendo as quebras de sigilos telefônicos e…
Evento com Bolsonaro em Marabá será no Parque de Exposição e aberto

Evento com Bolsonaro em Marabá será no Parque de Exposição e aberto

O maior evento de entrega de títulos de domínio e regularização fundiária do país. Assim está sendo tratada a solenidade…
Auxílio emergencial será prorrogado por mais 3 meses, afirma Guedes

Auxílio emergencial será prorrogado por mais 3 meses, afirma Guedes

O governo vai prorrogar o auxílio emergencial aos mais vulneráveis por mais três meses, informou ao Broadcast (sistema de notícias em tempo…
STF mantém quebras de sigilo da CPI da Covid

STF mantém quebras de sigilo da CPI da Covid

Os ministros Ricardo Lewandowski e Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negaram, no sábado (12) pedidos para suspender…