Correio de Carajás

Marabá realiza ato em solidariedade a vítimas

Ato público foi realizado na manhã de ontem em frente à sede do poder judiciário local/ Foto: Evangelista Rocha
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Na manhã de ontem, quarta-feira (27), aconteceu em Marabá um ato público em solidariedade às vítimas de Mariana e Brumadinho, cidades mineiras que foram palco de tragédias devido ao rompimento de barragens de rejeito da mineradora Vale. A manifestação aconteceu em frente ao prédio do Fórum de Justiça de Marabá.

O evento foi encabeçado por sete entidades e reuniu estudantes, professores, pesquisadores, sindicalistas, trabalhadores em geral e moradores de áreas próximas a barragens.

Integrante do Centro de Educação, Pesquisa e Assessoria Sindical e Popular (Cepasp), Raimundo Gomes da Cruz Neto, um dos organizadores do evento, explica que o ato se justifica porque nesta região existem três grandes barragens de rejeito da mineradora Vale: em Parauapebas (Projeto Ferro Carajás), Marabá (Cobre Salobo) e Canaã dos Carajás (Cobre Sossego).

Leia mais:

Por outro lado, Cristiano Medina, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), observa que o rompimento de barragens não é um desastre ambiental, mas sim um crime movido pelo sistema de mineração equivocado existente no Brasil. Segundo ele, a população da região precisa estar atenta porque o Pará tem mais de 90 barragens de rejeito.

De fato, milhares de famílias de camponeses e também moradores de áreas urbanas vivem no entorno dessas barragens. Um desabamento poderia provocar, além de mortes, danos ambientais, como a poluição dos rios Parauapebas, Rio Verde, Itacaiúnas e Tocantins; e Igarapé Salobo.

Ainda segundo Cristiano Medina, esse modelo de construção de barragens de rejeito existente no Brasil é ultrapassado. “Estamos atentos a toda essa situação de exploração brutal que prevê o lucro acima de tudo sem se importar se vai ocorrer crime”, observa.

Para ele, é urgente repensar um novo modelo de mineração para o País que esteja sob o controle do Estado brasileiro e dos trabalhadores e que vise a vida em primeiro lugar e não os lucros. “A ideia é que, a partir desse ato, a gente possa fazer debates, fazer seminários e denunciar esse modelo de mineração que é muito presente no Estado, sobretudo nesta região”, alerta Medina.

Dom Vital: A igreja está preocupada. Queremos vida e não a morte”

IGREJA PREOCUPADA

Presente ao protesto, o bispo diocesano de Marabá, Dom Vital Corbellini, conversou com a reportagem do Jornal CORREIO. Segundo ele, o rompimento das barragens é uma tragédia que poderia ter sido evitada. “Como igreja e também como cidadãos, nós precisamos preservar a vida”, adverte.

Ainda de acordo com o religioso, as mineradoras precisam repensar o modelo adotado porque não favorece a vida. “Precisamos repensar a questão da mineração do Brasil. A igreja está muito preocupada. Queremos vida e não a morte”, asseverou o clérigo.

SAIBA MAIS

O rompimento da barragem em Mariana ocorreu na tarde de 5 de novembro de 2015, causando 17 mortos e deixando duas pessoas desaparecidas até hoje. O rompimento da barragem de Brumadinho aconteceu dia 25 do mês passado e ainda não se sabe exatamente o número de vítimas. Até ontem (27), o número de mortos era de 180 e 130 desaparecidos. As buscas continuam.

(Chagas Filho)

Comentários

Mais

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

José Divino Naves, mais conhecido como Dr. Naves, desembarcou às 16h30 deste sábado (18) em Marabá, após passar 5 meses…
Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Passados 11 anos desde a realização do último censo nacional, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, uma associação sem…
Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na noite desta sexta-feira que aprovou a indicação do medicamento baricitinibe para…
Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

O Pará contabilizou mais 51 casos de Covid-19 e 4 mortes causadas pela doença. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria…
“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“O Forma Pará, antes de qualquer coisa, é um programa que cuida de pessoas. E vocês também serão profissionais que…
Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

A família do adolescente Marcos Henrique dos Santos, de 14 anos, que foi morto na noite desta quinta-feira (16), no…