Correio de Carajás

Marabá entre os 40 que mais geram emprego no Brasil

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Na última terça-feira (14), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) liberou os dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), por município, referentes a julho. Marabá figura como o 33º melhor do Brasil para encontrar trabalho, no acumulado de janeiro a julho deste ano, com o saldo positivo de 1.707 empregos. É uma posição inédita e a melhor já ocupada pela “Capital Nacional do Cobre” desde que os dados do Caged passaram a ser disponibilizado em 2002.

A boa performance de Marabá veio pelo setor da construção civil, que reaqueceu e gerou em sete meses 1.036 oportunidades. Pedreiros, serventes, ajudantes, carpinteiros e pintores foram contratados às centenas para reerguer Marabá dos destroços de uma crise — mais política que econômica ? nacional que, num passado não muito distante, sepultou quase 10 mil postos de trabalho no município.

Os setores de serviços, com 369 oportunidades, e comércio, com 302, somados à indústria de transformação, com 122 empregos criados, e à agropecuária, com outros dez postos gerados, fecham o pacote marabaense de oportunidades. O nó do pacote, por outro lado, são 131 baixas no setor de serviços industriais de utilidade pública e uma demissão na indústria mineral.

Leia mais:

Considerando-se apenas o mês de julho, Marabá se posicionou entre as 20 principais praças do país em geração de emprego, com o excelente saldo positivo de 649 postos, o triplo da capital paraense. Atualmente, de cada quatro empregos formais criados no Pará, um está em Marabá.

Financeiramente, o ano de 2017 vai se tornar inesquecível para o município de Marabá, cuja prefeitura arrecadou entre 1º de janeiro e este 16 de agosto R$ 447,65 milhões, ou 54% da meta prevista de arrecadação para o exercício.

A empregabilidade local não está relacionada com a capacidade de a prefeitura arrecadar no caso específico, mas é um claro sinal de que Marabá está caminhando em novos tempos e se preparando para entrar na mira de investimentos cada vez mais sólidos — investidores geralmente fogem de cidades inundadas em desemprego, que geralmente faz proliferar a criminalidade. Com a chegada de novos empreendimentos, por outro lado, a prefeitura ganha com taxas e impostos e a população ganha, sendo empregada, aumentando a renda e o potencial de consumo. Que Marabá siga firme. (Assopem/Divulgação)

 

Na última terça-feira (14), o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) liberou os dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), por município, referentes a julho. Marabá figura como o 33º melhor do Brasil para encontrar trabalho, no acumulado de janeiro a julho deste ano, com o saldo positivo de 1.707 empregos. É uma posição inédita e a melhor já ocupada pela “Capital Nacional do Cobre” desde que os dados do Caged passaram a ser disponibilizado em 2002.

A boa performance de Marabá veio pelo setor da construção civil, que reaqueceu e gerou em sete meses 1.036 oportunidades. Pedreiros, serventes, ajudantes, carpinteiros e pintores foram contratados às centenas para reerguer Marabá dos destroços de uma crise — mais política que econômica ? nacional que, num passado não muito distante, sepultou quase 10 mil postos de trabalho no município.

Os setores de serviços, com 369 oportunidades, e comércio, com 302, somados à indústria de transformação, com 122 empregos criados, e à agropecuária, com outros dez postos gerados, fecham o pacote marabaense de oportunidades. O nó do pacote, por outro lado, são 131 baixas no setor de serviços industriais de utilidade pública e uma demissão na indústria mineral.

Considerando-se apenas o mês de julho, Marabá se posicionou entre as 20 principais praças do país em geração de emprego, com o excelente saldo positivo de 649 postos, o triplo da capital paraense. Atualmente, de cada quatro empregos formais criados no Pará, um está em Marabá.

Financeiramente, o ano de 2017 vai se tornar inesquecível para o município de Marabá, cuja prefeitura arrecadou entre 1º de janeiro e este 16 de agosto R$ 447,65 milhões, ou 54% da meta prevista de arrecadação para o exercício.

A empregabilidade local não está relacionada com a capacidade de a prefeitura arrecadar no caso específico, mas é um claro sinal de que Marabá está caminhando em novos tempos e se preparando para entrar na mira de investimentos cada vez mais sólidos — investidores geralmente fogem de cidades inundadas em desemprego, que geralmente faz proliferar a criminalidade. Com a chegada de novos empreendimentos, por outro lado, a prefeitura ganha com taxas e impostos e a população ganha, sendo empregada, aumentando a renda e o potencial de consumo. Que Marabá siga firme. (Assopem/Divulgação)

 

Comentários

Mais

INSS orienta sobre saque irregular feito após óbito de beneficiário

INSS orienta sobre saque irregular feito após óbito de beneficiário

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) publicou no Diário Oficial da União de hoje (19) portaria que estabelece fluxo de comunicação com a Polícia…
Para celebrar Dia do Exército, 23ª Brigada presta honras a militares e civis

Para celebrar Dia do Exército, 23ª Brigada presta honras a militares e civis

Hoje, dia 19 de abril, é o Dia do Exército. E para celebrar a data antecipadamente, a 23ª Brigada de…
Escola de Governança abre cursos gratuitos para servidores paraenses

Escola de Governança abre cursos gratuitos para servidores paraenses

A Escola de Governança Pública do Estado do Pará (EGPA) abriu no sábado (17) as inscrições para os cursos livres…
Mercado financeiro prevê inflação em 4,92% neste ano

Mercado financeiro prevê inflação em 4,92% neste ano

A previsão do mercado financeiro para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), neste ano, subiu de 4,85%…
Uepa prorroga inscrições para especialização em Parauapebas

Uepa prorroga inscrições para especialização em Parauapebas

Foram prorrogadas até o dia 23 de abril as inscrições ao Processo Seletivo para o Curso de Especialização em Teorias…
Parauapebas terá 1º Seminário de Educação Escolar Indígena

Parauapebas terá 1º Seminário de Educação Escolar Indígena

Com o objetivo de valorizar ainda mais a educação indígena, além de levantar debates e reflexões acerca da temática, a…