Correio de Carajás

Justiça Federal de Marabá bloqueia matrículas de fazenda de Marcos Fachetti

(Foto: PF)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

Foram bloqueadas pela Justiça Federal de Marabá, as matrículas da fazenda Beira-Rio, localizadas em Marabá e Itupiranga, em acatamento de um pedido do Ministério Público Federal (MPF). O motivo, seria por conta da maior parte do imóvel ser área de várzea, considerada como extensão do Rio Tocantins.

A decisão também impede que Marcos Antônio Fachetti e seu filho, ambos proprietários da fazenda Beira-Rio, de invadir ou de promover atividades econômicas na área de várzea, principalmente a pecuária.

A liminar do juiz federal, Marcelo Honorato, também adverte que se os donos da fazenda, desrespeitarem a decisão, estarão sujeitos a até seis meses de detenção, por crime de desobediência, e multa de R$ 100 mil para cada proprietário.

Leia mais:

“O perigo ou risco ao resultado útil do processo ganha assento, em cognição sumária, nas conclusões oficiais do processo administrativo n. 10154.129283/2019-33 (ID 152873386, fls. 06/23), de que referida extensão de terras refere-se à área de várzea, que, além de propriedade da União, ostenta qualidade de área de preservação permanente”, diz o juiz Marcelo na decisão.

Ele ainda enfatiza que “o exercício de atividades agropecuárias privadas sem se considerar esta particularidade e à revelia de qualquer fiscalização estatal, guarda a probabilidade de causar danos de potencial irreversível não apenas ao patrimônio da União, mas de toda a sociedade, a quem se dirige a garantia constitucional de um meio ambiente equilibrado e de exploração dos recursos naturais de forma sustentável”, acrescentou.

MPF TOMA PROVIDÊNCIAS

Devido ao caso do pai e filho Fachetti, o MPF vai encaminhar recomendação a todos os cartórios da região para que informem as matrículas de todos os imóveis próximos ao Rio Tocantins.

Assim, será investigada a eventual ocorrência de outros casos de uso ilegal de áreas da União e, se necessário, para que possam ser feitos novos pedidos judiciais de bloqueios de matrículas e de reintegração de posse à União, segundo o autor da ação, o procurador da República Alexandre Aparizi.

RELEMBRE

Marcos Antônio Fachetti e seu filho foram acusados pelo MPF de liderarem a formação de milícia rural armada, para expulsar da área famílias que estão em fase de obtenção do título das áreas que ocupam.

O órgão pediu, então, à Justiça a anulação do título de domínio particular e a desocupação da área de várzea pertencente à União. Acatando o pedido, duas vezes a Justiça Federal determinou a prisão preventiva de Marcos Antônio Fachetti e de Marcos Antônio Fachetti Filho, sendo que a última foi cumprida no dia 13.

Os moradores ribeirinhos do Lago dos Macacos, Comunidade Flor do Brasil e do Projeto de Assentamento Diamante, que fica nas margens do Rio Tocantins, informaram ao MPF que a atuação da milícia é extremamente violenta e que vivem um cotidiano de muita tensão.

Isso desde que os fazendeiros, contrataram a empresa Marca Vigilância e passaram a invadir os pequenos lotes dos ribeirinhos e a ameaçá-los, apontando armas até para crianças, ordenando que saíssem de suas casas, chegando, inclusive, a atear fogo em alguns barracos.

Os fazendeiros também contrataram um trator de esteira para abrir caminho em meio à vegetação, destruindo plantações, com possível impacto ambiental de substancial proporção, e funcionários de uma empresa de vigilância contratada por eles fizeram uma barreira armada na estrada que leva à comunidade ribeirinha, para impedir que moradores saíssem ou voltassem para suas casas. A barreira ficava localizada em terras da União. (Zeus Bandeira – Com informações do MPF)

Comentários

Mais

Residentes do Cidade Jardim clamam por auxílio da gestão de Parauapebas

Residentes do Cidade Jardim clamam por auxílio da gestão de Parauapebas

Dentre os manifestantes que acamparam em frente à Prefeitura de Parauapebas de terça (3) para quarta (4) estavam moradores do…
Justiça determina que manifestantes deixem a Prefeitura de Parauapebas

Justiça determina que manifestantes deixem a Prefeitura de Parauapebas

O prefeito de Parauapebas Darci Lermen não se reuniu com os manifestantes que ocupam o prédio do Executivo e correu…
Moradores de 6 setores acampam na Prefeitura de Parauapebas

Moradores de 6 setores acampam na Prefeitura de Parauapebas

A manifestação iniciada na terça-feira (3) em frente à Prefeitura de Parauapebas não esmoreceu e continua ainda na tarde desta…
Principal emissor de carbono, Pará se compromete a reduzir 86% das emissões de gases do efeito estufa até 2036

Principal emissor de carbono, Pará se compromete a reduzir 86% das emissões de gases do efeito estufa até 2036

O Pará entrou nesta quarta-feira, 4, na lista de estados que aderiram à campanha Race to Zero (Corrida para o…
Primeira escola cívico-militar do sul do Pará é inaugurada em Redenção

Primeira escola cívico-militar do sul do Pará é inaugurada em Redenção

A primeira escola cívico-militar do sul do Pará foi inaugurada em Redenção, nesta terça-feira (3). Denominada Escola Municipal Cívico-Militar Eva…
Despejados do Nova Carajás protestam na Prefeitura de Parauapebas

Despejados do Nova Carajás protestam na Prefeitura de Parauapebas

A terça-feira (3) foi marcada por manifestações em Parauapebas, em que associações de diferentes bairros mandaram representantes para a porta…