Correio de Carajás

Justiça condena ex-agente da Guarda Municipal de Marabá por porte ilegal de arma de fogo

Justiça condena agente da Guarda Municipal de Marabá por porte ilegal de arma de fogo
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A decisão é da juíza titular da 1ª Vara Criminal de Marabá, Renata Guerreiro Milhomem de Souza, que condenou Yago Costa Alves a dois anos e 11 meses de reclusão e ao pagamento de multa no valor de um salário mínimo, valor atual de R$ 998,00. Conforme o documento, a sentença foi agravada pela “culpabilidade em grau elevado, pois o crime foi praticado por agente público – guarda Municipal, responsável pela garantia da segurança e incolumidades dos bens e valores municipais, incluídos aí a segurança dos munícipes, o que evidencia dolo acima da média”.

Ainda de acordo com a sentença, “as circunstâncias do delito são desfavoráveis ao imputado, pois o crime foi praticado nas imediações de uma escola pública, expondo docentes e discentes ao risco, deixando-os mais vulneráveis à situação de perigo”.

Apesar disso, a pena de prisão foi substituída por prestação de serviços à comunidade, que deverá ser realizada durante o mesmo período de dois anos e 11 meses a uma entidade filantrópica do município, além do pagamento da multa no valor de um salário mínimo. Yago foi condenado pelos crimes de porte ilegal de arma de fogo e lesão corporal.

Leia mais:

Ainda conforme a decisão, “o acusado poderá recorrer em liberdade, uma vez que permaneceu nesta condição durante a maior parte da instrução processual”.

Relembre o caso

O fato ocorreu em agosto de 2015, quando uma guarnição da Guarda Municipal de Marabá foi chamada para atender uma ocorrência na Escola Judith Gomes Leitão, na Velha Marabá, onde a vítima Willian Gomes Oliveira aguardava a namorada, Sara Maria da Silva Ramalho, sair da aula. As irmãs de Sara chamaram a GMM porque, segundo elas, o casal havia brigado na noite anterior e Willian queria levar Sara contra vontade para a casa dele no Bairro São Félix.

Os guardas municipais pediram que Willian saísse das dependências da escola e momentos depois fizeram uma segunda abordagem na rua, conforme o depoimento dele registrado na decisão de sentença.

“A vítima afirmou que foi durante a segunda abordagem que levou um tiro de um dos guardas municipais, aduzindo que nesta ocasião um dos agentes puxou pelo seu braço dizendo que ia conduzir a vítima para a delegacia, momento em que a vítima respondeu que não ia, pois não estava cometendo nada de errado e correu, mas logo em seguida foi alcançado pelos GMs e, nesse momento, um GM lhe acertou com um tiro que atingiu a região do glúteo”, diz o documento.

Segundo uma testemunha, o agente da GMM Marcos Robert da Silva Trindade, foi ele quem acompanhou Willian até o portão da escola e que o rapaz saiu correndo. “No entanto, afirmou que não presenciou nenhuma cena de disparo de arma de fogo”, conforme depoimento registrado na sentença de condenação.

Ainda segundo o documento, “foi confirmado nos autos que as pessoas que estavam na escola ouviram o barulho do disparo da arma de fogo”, e ainda que a condenação do acusado foi executada, pois “a prova colhida sob o crivo do contraditório e da ampla defesa é suficiente para a imposição de um  decreto condenatório, pois a vítima ouvida em juízo foi clara em confirmar que no dia dos fatos após ser abordado e perseguido pelos guardas municipais, o acusado, que era único GM que usava óculos, estava portando uma arma de fogo, sacou a referida arma e ainda efetuou um disparo em sua direção que ocasionou lesão na região do glúteo”.

(Fabiane Barbosa)

Mais

Adolescente é encontrada, mas colega segue desaparecida

Adolescente é encontrada, mas colega segue desaparecida

Após boletim de ocorrência ter sido registrado na manhã desta sexta-feira (14), a adolescente de 13 anos Isabela Cruz Costa,…
Envolvido em assalto ao BMG de Marabá é preso

Envolvido em assalto ao BMG de Marabá é preso

José Lúcio Barroso da Silva foi preso nesta sexta-feira (14) em cumprimento de mandado de prisão, pela Superintendência Regional do…
Mulher aplica golpe em farmácia do Cidade Jardim

Mulher aplica golpe em farmácia do Cidade Jardim

A Polícia Civil prendeu Kamila Morais Alves, de 24 anos, por estelionato, nesta quinta-feira (13), em Parauapebas. A mulher emitia…
Adolescentes de 13 anos estão desaparecidas em Parauapebas

Adolescentes de 13 anos estão desaparecidas em Parauapebas

As adolescentes Ana Clara Moraes de Souza e Isabela Cruz Costa estão desaparecidas desde a manhã da quinta-feira (13). As…
Corpo é encontrado degolado na beira do rio, na Folha 8

Corpo é encontrado degolado na beira do rio, na Folha 8

Foi identificado como Wallame Franco de Mesquita, de 30 anos, o corpo localizado na quarta-feira (12). por volta das 19h10,…
Foragido por homicídio no Tocantins é preso em Parauapebas

Foragido por homicídio no Tocantins é preso em Parauapebas

Eliwelton Carneiro da Silva foi preso na noite desta quinta-feira (13), no Bairro Cidade Jardim, em Parauapebas. Consta contra ele…