Correio de Carajás

Indígenas ocupam prédio do Ministério da Saúde em Brasília

Indígenas no prédio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), em Brasília — Foto: Afonso Ferreira/Divulgação
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Um grupo de indígenas ocupou o prédio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) do Ministério da Saúde, em Brasília, por volta das 10h desta segunda-feira (12).

Os manifestantes estão acampados no gramado da Funarte desde domingo (11) e vieram de diferentes regiões do país para a 1ª Marcha das Mulheres Indígenas.

Os indígenas acessaram o 4º andar do prédio, fizeram danças e cantaram. O ato, segundo a organização, é pela “defesa do subsistema de atenção à saúde indígena”.

Leia mais:

Servidores do edifício acionaram a Polícia Militar, que reforçou a segurança no local.

Em 20 de março deste ano, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou mudanças na pasta. Entre elas, a extinção da Sesai.

De acordo com a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), a mudança prevê ainda a municipalização dos serviços de saúde para os povos indígenas, o que pode não assegurar a diversidade no atendimento.

Segundo a coordenadora nacional da APIB, Sônia Guajajara, o protesto reuniu cerca de 115 etnias diferentes. “Não vamos aceitar a municipalização da saúde indígena. Nós, mulheres, não temos a obrigação de aceitar qualquer imposição que venha destruir a nossa saúde, a nossa vida”, disse.

Indígenas no prédio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), em Brasília — Foto: Afonso Ferreira/TV Globo
Indígenas no prédio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), em Brasília — Foto: Afonso Ferreira/TV Globo

A atriz Maria Paula Fidalgo também participou da mobilização. Durante o ato, ela fez críticas contra as possíveis modificações na política indigenista brasileira:

“Não pode colocar a mulher indígena dentro de hospital fazendo parto de cesariana e submetida a tratamento com antibióticos. Não tem cabimento isso”.

O ato desta segunda-feira (12), em Brasília, integra uma série de protestos que vem acontecendo no Brasil.

Em manifestações anteriores, o Ministério da Saúde comunicou que “eventuais mudanças no desenvolvimento dessas ações de vigilância e assistência à saúde aos povos indígenas ainda estão sendo objeto de análise e discussão”. (Fonte:G1)

Mais

Inauguração de prisões é momento histórico, diz governador

Inauguração de prisões é momento histórico, diz governador

Durante a inauguração da Unidade Semiaberto Masculino de Marabá (com 200 vagas) e da Cadeia Pública de Marabá (306 vagas…
Ray Athie toma posse como vereador na Câmara

Ray Athie toma posse como vereador na Câmara

Por volta de meio dia desta quarta-feira, dia 12 de maio, a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Marabá deu…
Wajngarten fala sobre campanha contra covid e vacina da Pfizer

Wajngarten fala sobre campanha contra covid e vacina da Pfizer

O ex-secretário especial de Comunicação Social Fábio Wajngarten disse nesta quarta-feira (12) que tanto a pasta que comandou quanto o…
Helder Barbalho visita Marabá nesta quarta-feira (12)

Helder Barbalho visita Marabá nesta quarta-feira (12)

O governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, participa de uma série de eventos nesta quarta-feira (12) no município. A…
Anvisa explica entraves na aprovação da vacina Sputink V

Anvisa explica entraves na aprovação da vacina Sputink V

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia nesta terça-feira (11), o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância…
Guedes diz que reforma administrativa será moderada

Guedes diz que reforma administrativa será moderada

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou como bastante moderada a proposta do governo de reforma administrativa, em audiência pública,…