Correio de Carajás

Incêndio destrói tudo e Prefeitura de Parauapebas já fala em “reconstrução”

Imagem aérea mostra parte da destruição do prédio da Prefeitura de Parauapebas, que deve ser reconstruída/ Imagens: Mateus Cirilo e Clein Ferreira

O incêndio que se iniciou por volta das 11h dessa sexta-feira (29) no prédio da Prefeitura de Parauapebas pode ter começado por conta de curto-circuito em uma central de ar-condicionado da Procuradoria Geral do Município.

Rondenele Fraga Bezerra, motorista da Procuradoria Geral do Município – primeiro setor atingido pelo fogo –, estava em sua residência quando soube do acidente, e se dirigiu imediatamente ao local quando foi informado.

Segundo o motorista, assim que notaram a fumaça no ar condicionado, os funcionários que estavam na sala pegaram extintores de incêndio para tentar conter o fogo, que se espalhou rapidamente.

Leia mais:

Comandando o Corpo de Bombeiros, o Capitão Sandro Tavares afirmou que as equipes se dirigiram ao local assim que foram acionadas, mas as condições não permitiram um melhor combate às chamas, que já atingiram todo o prédio, causando perda total.

A Polícia Civil e a Guarda Municipal também se digiram ao local para dar apoio ao Corpo de Bombeiros, retirando os veículos próximos e também os civis, devido às janelas de vidro que estavam estilhaçando e espalhando cacos de vidro pelo local, além de fechar a passagem para o prédio e auxiliar no trânsito.

Servidores da Prefeitura e curiosos foram retirados de perto do prédio por causa dos estilhaços de vidros

Em nota, a Prefeitura de Parauapebas confirmou que não houve vítimas no incêndio, visto que havia a presença de poucas pessoas dentro do prédio no momento devido ao recesso municipal, ressaltando que ocorreram apenas perdas materiais.

As salas do Programa de Saneamento Ambiental, Macrodrenagem e Recuperação de Igarapés e Margens do Rio Parauapebas, Controladoria, Gabinete do Prefeito, Secretaria Especial de Governo e Secretaria de Administração, todos no segundo piso, foram atingidas rapidamente pelas chamas.

O Corpo de Bombeiros se dirigiu ao local, mas as equipes não conseguiram conter as chamas, ainda que tenha havido o suporte de carros-pipa da Prefeitura e da Vale, por conta tanto do vento, quanto dos materiais inflamáveis que se encontravam dentro do prédio.

A nota informa, também, que foi feito um boletim de ocorrência e está sendo aguardada a perícia dos bombeiros para confirmar as causas do acidente.

DESCOFIANÇA GENERALIZADA

Tão logo a notícia do fogaréu na PMP se espalhou pelas redes sociais, muitos comentários de internautas questionavam se o incêndio não teria sido provocado intencionalmente para apagar possíveis crimes cometidos em setores da Prefeitura de Parauapebas.

Alaides Menezes comentou sucintamente na matéria do Correio de Carajás no Instagram que houve “queima de arquivo”. Vidal Negreiro perguntou: “Queima de prova”?

Dr. William Araújo alfinetou, pensando na reconstrução: “A gente só aguarda a licitação de milhões agora”.

Heliandro Noleto completou: “Oportunidade boa para desvio de verba na nova licitação para reformar a já caríssima prefeitura… só lamento pelo os servidores”.

Mas Fernando Mendes rebateu e defendeu o Executivo: “Pessoal fala que é queima de arquivo, mas esquece que hoje no serviço público é tudo digitalizado e salvo em nuvem”.

Leia, abaixo, a íntegra da Nota: NOTA OFICIAL

“A Prefeitura de Parauapebas vem a público informar e esclarecer à população sobre o incêndio que tomou conta do prédio do Morro dos Ventos na manhã desta sexta-feira, 29, no final do recesso municipal.

Mas antes de tudo é preciso ressaltar que, felizmente, o sinistro provocou apenas perdas materiais tendo em vista que o prédio foi imediatamente evacuado assim que iniciou.

O fogo começou na sala da Procuradoria Geral do Município (PGM), no segundo piso da prefeitura, com um curto-circuito em um ar condicionado. A partir daí, uma intensa fumaça invadiu o espaço e o fogo se alastrou rapidamente por outras salas.

Acionado, o Corpo de Bombeiros chegou ao prédio da PMP, mas apesar de todos os esforços as equipes não conseguiam conter as chamas, mesmo com a ajuda dos carros-pipas da prefeitura. Além do vento, materiais inflamáveis contribuíram para que as labaredas se expandissem rapidamente.

Um boletim de ocorrência do incêndio já foi feito na Delegacia de Polícia. A prefeitura irá aguardar a perícia dos bombeiros, para saber as causas do sinistro, e irá se reunir para adotar as medidas a serem tomadas para a reconstrução da prefeitura e locais de funcionamento das secretarias lotadas no prédio. O trabalho não vai parar!

A Prefeitura de Parauapebas aproveita para alertar a população de que mentiras sobre as causas do incêndio estão sendo veiculadas por seus opositores. E repudia esse tipo de ataque numa hora em que a equipe de governo e servidores públicos vivem momentos de angústia e de tensão.

A Prefeitura de Parauapebas se mantém e continuará firme em trabalhar pelo engrandecimento do município e bem-estar da sua população”.

A rica Prefeitura de Parauapebas já planeja construir um novo Centro Administrativo

PRÉDIO NOVO VEM AÍ

Enquanto a Prefeitura de Parauapebas calcula os prejuízos do mega incêndio, a gente lembra que em 2021 a gestão municipal anunciou a construção de um Centro Administrativo Integrado, ao lado do Quartel do Corpo de Bombeiros. Pelo projeto arquitetônico, se trata de um conjunto de prédios modernos que vão abrigar a grande maioria das secretarias municipais. (Clein Ferreira, Ulisses Pompeu e Luciana Araújo)

Comentários