Correio de Carajás

Hospital Regional de Marabá sensibiliza para a prevenção de transtornos mentais

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Como parte da campanha “Janeiro Branco”, realizada por diversas instituições em todo o País, o Hospital Regional do Sudeste do Pará – Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá, realizará uma série de bate-papos sobre transtornos mentais, como ansiedade, depressão, distúrbios alimentares, hipocondria e esquizofrenia. Infelizmente, o assunto ainda é considerado tabu para muitas pessoas, mas, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a principal causa de suicídios e atinge mais de 700 milhões de pessoas no mundo.

Na Unidade, a programação ocorrerá nos dias 28, 29, 30 e 31/1, direcionada aos usuários que passarem pelo Ambulatório para realizar exames e consultas médicas. Na ocasião, os participantes poderão esclarecer dúvidas com o psicólogo da Unidade. A ação será estendida aos colaboradores também ao longo da semana.

Para os pacientes internados e seus acompanhantes, o Hospital programou uma ação especial na qual eles serão incentivados a refletir a partir de frases que abordam a saúde mental, relacionamentos e comportamentos positivos.

Leia mais:

Segundo a analista de Humanização do HRSP, Flávia Fernandes, a campanha “Janeiro Branco” já faz parte do calendário oficial da Unidade. “O nosso objetivo é desmistificar os transtornos mentais e mostrar a necessidade das pessoas saberem reconhecer os seus limites e procurarem ajuda especializada se notarem que têm dificuldade para lidar com as emoções, e não deixar o problema de lado e seguir sem tratamento, até porque a qualidade de vida está diretamente ligada à saúde mental. Por isso é preciso discutir essa temática sempre. No caso do ambiente hospitalar, mais ainda, porque o dia a dia de quem atua na área é delicado, cheio de desafios e exige muitos dos profissionais, afinal, nós estamos lidando o tempo inteiro, de perto, com a vida e a morte”, explicou a colaboradora.

Janeiro Branco

Idealizado por psicólogos de Uberlândia (MG), o movimento “Janeiro Branco” incentiva a reflexão sobre as condições emocionais de vida das pessoas. A escolha do mês para intensificar essa discussão, no caso janeiro, se deve à proximidade desse período com a virada do ano, período em que a maioria das pessoas reflete sobre os desafios vivenciados e novos planos. Já a cor é uma referência à ideia de que o branco é um espaço onde pode ser escrita uma nova história. (Ascom/Hospital Regional)

Mais

Sintepp anuncia greve na educação de Marabá para esta terça-feira

Sintepp anuncia greve na educação de Marabá para esta terça-feira

Por meio de seu blog na Internet, a Subsede local do Sindicato dos Trabalhadores na Educação (Sintepp) anunciou, nesta segunda-feira,…
Banco Central abre consultas para saques e trocos via Pix

Banco Central abre consultas para saques e trocos via Pix

Até 9 de junho, correntistas e clientes de todo o país poderão apresentar sugestões para que o Banco Central (BC)…
Mais de 38 mil pessoas já participaram de contações de história durante a pandemia

Mais de 38 mil pessoas já participaram de contações de história durante a pandemia

A pandemia da covid-19 consolidou a internet como principal plataforma de entretenimento no Brasil. A rede está repleta de programações…
Petrobras firma contrato para construção de sétima plataforma

Petrobras firma contrato para construção de sétima plataforma

A Petrobras divulgou hoje (10) que assinou contrato para construção da P-78, sétima unidade a ser instalada no campo de…
79% de mulheres que atuam na música são discriminadas

79% de mulheres que atuam na música são discriminadas

Pesquisa realizada pela União Brasileira de Compositores (UBC) junto a compositoras, intérpretes, musicistas, produtoras fonográficas e técnicas, não necessariamente associadas…
Fiocruz investiga transmissão da covid-19 entre crianças e adultos

Fiocruz investiga transmissão da covid-19 entre crianças e adultos

Um estudo coordenado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) em parceria com outras instituições de pesquisa constatou uma transmissão mais frequente…