Correio de Carajás

Força Nacional chegará ao Pará dia 25 de março

A chegada da Força Nacional atende ao pedido do governador Helder Barbalho, que solicitou o apoio no início do ano (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

A portaria do Ministério de Estado da Justiça e Segurança Pública que determina a vinda da Força Nacional ao Párá já está pronta e com publicação prevista no Diário Oficial da União para o próximo dia 23. Nesta data, 200 agentes e 40 viaturas da Força Nacional serão deslocados ao Pará, com previsão de chegada em 25 de março. A confirmação ao governador do Pará, Helder Barbalho, foi feita nesta quinta-feira (7), pelo general Guilherme Theophilo, secretário nacional de segurança pública, que veio ao Pará apresentar também, ao governador, as diretrizes do Programa Nacional de Enfrentamento à Criminalidade Violenta.

Inicialmente, os agentes da Força Nacional atuarão na implantação dos primeiros sete territórios de pacificação na Região Metropolitana de Belém (RMB), sendo cinco em Belém, um em Ananindeua e um em Marituba, nas áreas que apresentam os maiores índices de criminalidade. “Nessas áreas atuaremos em duas frentes. A primeira com a força policial, e a segunda com as ações de presença do Estado nesses locais, porque entendemos que a segurança pública está muito mais em atuar na atenção às pessoas em áreas fundamentais para a prevenção à criminalidade, como são por exemplo a educação e a proteção social. Temos a clareza de que somente com a força policial não é possível fazer segurança pública”, ressaltou o governador.

Atuação – De acordo com o plano de trabalho, nas áreas já determinadas pelo Governo do Pará por meio dos órgãos do Sistema de Segurança Pública, o emprego da Força Nacional ocorrerá por 90 dias, que poderão ser prorrogados se houver necessidade. A atuação se dará tanto nas ações de policiamento ostensivo, quanto em áreas como a polícia judiciária e a perícia forense.

Leia mais:

O pedido dos agentes da Força Nacional foi feito por meio do ofício 001/2019, no dia 2 de janeiro, como primeiro ato do governador Helder Barbalho após tomar posse. “E esta foi nossa primeira medida exatamente pelo compromisso em resolver, com a máxima urgência, o grave problema da segurança pública em nosso Estado. Nosso plano de trabalho para implantar os territórios de pacificação está pronto para ser implantado, e faremos isso junto com ações sociais importantes para que a segurança seja uma realidade e uma continuidade após a saída das forças ostensivas”, afirmou o governador.

Comentários

Mais

Barbados se torna república e declara Rihanna heroína nacional

Barbados se torna república e declara Rihanna heroína nacional

Barbados se tornou oficialmente uma república na segunda-feira (29) à noite, em uma cerimônia na qual a rainha Elizabeth II deixou de ser…
Presidente Bolsonaro assina filiação ao PL

Presidente Bolsonaro assina filiação ao PL

O presidente Jair Bolsonaro se filiou hoje (30) ao Partido Liberal (PL). O ato de assinatura da ficha de filiação…
Governo pede devolução de auxílio emergencial recebido indevidamente

Governo pede devolução de auxílio emergencial recebido indevidamente

O Ministério da Cidadania envia até esta terça-feira (30) mensagens de celular (SMS) orientando a devolução voluntária de recursos recebidos…
Ministério lança campanha de combate ao mosquito da dengue

Ministério lança campanha de combate ao mosquito da dengue

O Ministério da Saúde lançou hoje (30) a campanha nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e…
Congresso vota na segunda-feira regras de transparência nas emendas

Congresso vota na segunda-feira regras de transparência nas emendas

O Congresso Nacional analisa na próxima segunda-feira (29) o Projeto de Resolução nº 4/2021, que cria regras para a destinação de…
Alepa aprova novo mínimo de investimentos para PPP’s

Alepa aprova novo mínimo de investimentos para PPP’s

Os parlamentares aprovaram no dia 23 três Projetos de Lei do executivo estadual. O Projeto de Lei Complementar cria a…