Correio de Carajás

Fogo no Rabo faz ode ao Rei do Baião e carimba passaporte para a final

Ulisses Pompeu

Os organizadores estimam que cerca de 7 mil pessoas assistiram à segunda noite de apresentações culturais na arena junina montada na Orla do Rio Tocantins, no último domingo (25). O grande público vibrou com as apresentações, que começaram com duas demonstrações que não concorriam aos prêmios oferecidos pela Prefeitura de Marabá: Quadrilha de Idosos da Seasp e o boi-bumbá “Encantos da Minha Terra”.

Aliás, o boi da Encantos apresentava uma contradição: era vistoso, bem trabalhado, mas sua dança não seguia a magia dos bois tradicionais. Quem roubou a cena mesmo foi a bela Sinharzinha Fran Araújo, que ostentou um vestido belíssimo no final da apresentação e roubou a cena do boi.

Leia mais:

Ligado à Igreja dos Capuchinhos, o Encantos da Minha Terra não disputa competição do gênero e apresenta-se apenas para manter a tradição cultural na comunidade. Neste mês de junho já foram feitas três apresentações, sendo a principal a deste domingo, com direito a uma banda musical na arena.

O Boi Flor do Campo entrou em seguida com o objetivo de arrebatar o caneco de campeão de 2017. Fez uma bela apresentação e, apesar de o boi ser relativamente pequeno, mostrou versatilidade e encantou o público.

Mas o melhor da noite estava reservado mesmo para a Fogo no Rabo, do Grupo A dos Festejos Juninos. Sempre se reinventando, a mais tradicional quadrilha de Marabá – 29 anos de existência – ressuscitou o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, e centrou aí o tema. Um dos diferenciais para quadrilhas candidatas ao título é a animação e harmonia de seus casais, cantando o tempo todo a música que está sendo tocada no som. Isso não faltou à Fogo no Rabo que, com certeza, carimbou o passaporte para a final.

Agora, é esperar para ver o que Ademar Gomes Dias, coordenador da Fogo no Rabo, e seus 20 pares vão aprontar na final. É comum deixarem um coelho na cartola para a grande final.

Para fechar a noite de domingo, a quadrilha adulta do Grupo A, Sedução Junina, também parece ter batido ponto para a grande final, no próximo sábado (1º). O tema escolhido pela Sedução foi “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, uma paródia ao filme de 1971 que virou um clássico do cinema. Willy Wonka entrou na arena de bicicleta, agitou a galera e deu início ao espetáculo junino. Ao final, a meninada também foi contagiada pela quadrilha, quando os membros lançaram balas para a plateia.

Hoje, segunda-feira (26), a festa continua na arena. Vai ter apresentação dos bois-bumbás Treme-Treme e Estrela Dalva e das quadrilhas Gigantes do Norte, Águia de Fogo, Arrastão do Amor e Splendor Junino.

Ulisses Pompeu

Os organizadores estimam que cerca de 7 mil pessoas assistiram à segunda noite de apresentações culturais na arena junina montada na Orla do Rio Tocantins, no último domingo (25). O grande público vibrou com as apresentações, que começaram com duas demonstrações que não concorriam aos prêmios oferecidos pela Prefeitura de Marabá: Quadrilha de Idosos da Seasp e o boi-bumbá “Encantos da Minha Terra”.

Aliás, o boi da Encantos apresentava uma contradição: era vistoso, bem trabalhado, mas sua dança não seguia a magia dos bois tradicionais. Quem roubou a cena mesmo foi a bela Sinharzinha Fran Araújo, que ostentou um vestido belíssimo no final da apresentação e roubou a cena do boi.

Ligado à Igreja dos Capuchinhos, o Encantos da Minha Terra não disputa competição do gênero e apresenta-se apenas para manter a tradição cultural na comunidade. Neste mês de junho já foram feitas três apresentações, sendo a principal a deste domingo, com direito a uma banda musical na arena.

O Boi Flor do Campo entrou em seguida com o objetivo de arrebatar o caneco de campeão de 2017. Fez uma bela apresentação e, apesar de o boi ser relativamente pequeno, mostrou versatilidade e encantou o público.

Mas o melhor da noite estava reservado mesmo para a Fogo no Rabo, do Grupo A dos Festejos Juninos. Sempre se reinventando, a mais tradicional quadrilha de Marabá – 29 anos de existência – ressuscitou o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, e centrou aí o tema. Um dos diferenciais para quadrilhas candidatas ao título é a animação e harmonia de seus casais, cantando o tempo todo a música que está sendo tocada no som. Isso não faltou à Fogo no Rabo que, com certeza, carimbou o passaporte para a final.

Agora, é esperar para ver o que Ademar Gomes Dias, coordenador da Fogo no Rabo, e seus 20 pares vão aprontar na final. É comum deixarem um coelho na cartola para a grande final.

Para fechar a noite de domingo, a quadrilha adulta do Grupo A, Sedução Junina, também parece ter batido ponto para a grande final, no próximo sábado (1º). O tema escolhido pela Sedução foi “A Fantástica Fábrica de Chocolate”, uma paródia ao filme de 1971 que virou um clássico do cinema. Willy Wonka entrou na arena de bicicleta, agitou a galera e deu início ao espetáculo junino. Ao final, a meninada também foi contagiada pela quadrilha, quando os membros lançaram balas para a plateia.

Hoje, segunda-feira (26), a festa continua na arena. Vai ter apresentação dos bois-bumbás Treme-Treme e Estrela Dalva e das quadrilhas Gigantes do Norte, Águia de Fogo, Arrastão do Amor e Splendor Junino.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.