Correio de Carajás

Flamengo infernal, São Paulo forte e Palmeiras pipoqueiro

Esta semana foi marcada por duelos de tirar o fôlego no futebol brasileiro, mais precisamente nas oitavas de final da Copa do Brasil, que reuniu clássicos e colocou em pé de guerra várias torcidas esparramadas pelos quatro cantos do País e em Marabá não foi diferente. As atrações ficaram por conta principalmente das torcidas de Flamengo, São Paulo e Palmeiras. As duas primeiras estão comemorando até agora, já a última…

Mas, antes de tudo, é preciso contextualizar o leitor, explicando detalhadamente a história dos confrontos. Como diria “Jack, o estripador”, vamos por partes!

Ato 1: Infernal!

Leia mais:

O Flamengo havia perdido o jogo de ida para o Atlético (MG) por 2×1. Aquela partida terminou com uma promessa do craque Gabigol, do Flamengo, dizendo que o Galo iria enfrentar o inferno quando fosse ao Maracanã. Dito e feito: o Mengão atropelou o Atlético e o placar de 2×0 não disse o que foi o jogo. Os mineiros, liderados pelo incrível Hulk, não deram um chute sequer na meta do goleiro Santos. O super herói atleticano saiu de campo dentro do bolso do zagueiro Davi Luiz.

E os cariocas foram comandados pelo brilhante uruguaio Arrascaeta, que desfilou toda sua categoria e crueldade (contra o Galo) no gramado do “Maraca”.

O maestro Arrascaeta anotou dois gols e mandou o Atlético-MG para casa/ Foto: Alexandre Neto/Photopress/Estadão Conteúdo

Tudo bem que a torcida do Atlético-MG praticamente inexiste em Marabá, mas se o Flamengo perde e é eliminado da Copa do Brasil, a zoeira dos chamados “anti” seria insuportável. Os memes de “cheirinho” iriam viralizar nos grupos de WhatsApp. Mas não foi dessa vez. O Mengão continua vivo… e infernal.

Ato 2: superação e pipocada

O outro jogo que reuniu duas torcidas de potência nacional foi o embate entre Palmeiras e São Paulo, dois tricampeões da Libertadores. O Verdão tinha perdido no jogo de ida por 1×0 e precisava reverter o resultado em casa. Rapidinho, com 13 minutos de jogo, o “Palestra” já enfiava 2×0.

E no segundo tempo teve a chance de fazer 3×0 com Raphael Veiga, na sua especialidade: cobrança de pênalti. Mas o meia mandou pra fora. Como quem não faz leva: o São Paulo diminuiu a diferença convertendo seu pênalti em gol, com Luciano.

Raphael Veiga foi de herói a vilão em dois pênaltis errados na decisão/ Foto: Reprodução/Twitter

A decisão foi para os tiros livres da marca do penal e, novamente, Veiga desperdiçou a cobrança e o Verdão – candidato a ganhar tudo – deu adeus à Copa do Brasil.

A eliminação obviamente ainda é assunto entre os grupos de WhatsApp dos boleiros da cidade, de modo que os torcedores do Palmeiras estão sendo zoados até agora, enquanto os tricolores estão em êxtase. O time do Morumbi se superou, para alegria de sua torcida, que anda carente de grandes títulos.

Ato 3: Olho na “Liberta”

É bom lembrar que Palmeiras e Atlético-MG, já eliminados da Copa BR, vão medir forças nas quartas de final da Libertadores e somente um deles vai continuar tendo chance em duas competições. Ao perdedor, caberá focar suas energias no Campeonato Brasileiro, que é a maior competição do País.

Já o Flamengo, chamado por muitos de “Malvadão”, está na outra perna da competição e pega o Corinthians, que também avançou na Copa BR, só deve cruzar com Palmeiras ou Atlético-MG numa eventual final. Será que teremos a reedição da última decisão da Liberta? Quem duvida?

Rogério Ceni talvez tenha conquistado seu maior triunfo no retorno ao SP/ Foto: Ricardo Moreira/Getty Images

(Chagas Filho)

Comentários