Correio de Carajás

Fevereiro Roxo: Médica alerta para o diagnóstico precoce do Alzheimer

“Se não houver cura, que ao menos haja conforto”, diz a neurologista Kristel Back / Foto: NM Comunicação
“Se não houver cura, que ao menos haja conforto”, diz a neurologista Kristel Back / Foto: NM Comunicação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O mês de fevereiro, apesar de curto, traz muitas campanhas importantes de conscientização sobre doenças, dentre elas, o “fevereiro roxo”, que alerta sobre o Alzheimer, doença progressiva que destrói a memória e outras funções mentais importantes.

O Alzheimer atinge, especialmente, pessoas idosas, por isso, muitos sintomas podem ser confundidos com sintomas normais da idade, o que torna, muitas vezes, o diagnóstico difícil. A médica Kristel Back, neurologista do Sistema Hapvida, explica como funciona esta doença: “a doença de Alzheimer é uma doença neurológica, neurodegenerativa e progressiva, em que algumas estruturas do cérebro não funcionam direito, levando ao prejuízo ou a uma perda neuronal. O Alzheimer afeta, principalmente, a função cognitiva, ou seja, a linguagem, a memória, a capacidade de raciocínio e de atenção. Algumas tarefas que antes eram fáceis de executar, como administrar as contas da casa, ir ao supermercado, ou até organizar o lar, começam a se tornar difíceis. A pessoa que desenvolve Alzheimer não consegue mais fazer atividades básicas do dia a dia”, ressalta a médica.

A neurologista explica que o diagnóstico precoce é essencial para que o tratamento traga mais conforto para a vida do paciente. “O tratamento com as medicações melhora a qualidade de vida e retarda as fases mais graves da doença em até cinco anos.”

Leia mais:

A Abraz (Associação Brasileira de Alzheimer) aponta que 1,2 milhões de brasileiros convivem com o Alzheimer, que é a forma mais comum de demência no mundo. Kristel Back explica que as causas da doença não são totalmente compreendidas, mas que é muito importante compreender os quatro estágios dela:

1. Pré-demência: sintomas sutis e muitas vezes atribuídos ao envelhecimento natural, como a perda da memória recente;

2. Estágio inicial: os sintomas de pré-demência se agravam e o paciente começa a esquecer palavras simples, fica desorientado no tempo e no espaço, esquece de pagar contas e tem dificuldades para tomar decisões;

3. Estágio intermediário: as dificuldades ficam mais evidentes, como esquecer o nome das pessoas; fatos importantes do dia a dia; dificuldade para formular frases; esquecer o endereço de casa; a memória recente é afetada, enquanto consegue lembrar de memórias mais antigas sem muita dificuldade;

4. Estágio avançado (terminal): o prejuízo da memória se agrava, o paciente não reconhece pessoas e locais; têm comportamentos inadequados; perde a capacidade do autocuidado; de tomar banho; de se vestir; dificuldade para se alimentar sozinho; além de poder haver incontinência urinária e fecal, passando a depender do cuidado de terceiros, como familiares e cuidadores.

O diagnóstico precoce aumenta a qualidade de vida do paciente

O diagnóstico é feito através da entrevista médica, “além da entrevista médica, são pedidos alguns exames, laboratoriais e de imagem, para excluir outras doenças e diagnosticar o Alzheimer. Ainda não existe nenhum exame que assegure que o paciente tem Alzheimer, portanto, o diagnóstico é clínico e muitas vezes é necessária uma avaliação neuropsicológica, que é uma avaliação mais estendida das capacidades cognitivas”, orienta Kristel.

Para melhorar a qualidade de vida da pessoa com Alzheimer, a médica aconselha: “além do tratamento médico, quando indicado a terapia medicamentosa, manter um estilo de vida saudável, praticar atividade física adequada para a idade e condições do paciente, ter uma boa nutrição, cuidar do sistema cardiovascular; controlar hipertensão, diabetes, pressão alta e colesterol para não acelerar o quadro da doença. Além de praticar exercícios mentais, terapias cognitivas e manter a interação social, todos esses cuidados são muito importantes para estimular o cérebro e retardar o estágio final da doença”, finaliza. (NM Comunicação)

Comentários

Mais

Fiocruz pede inclusão de BioManguinhos como produtor de IFA nacional

Fiocruz pede inclusão de BioManguinhos como produtor de IFA nacional

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz), encaminhou à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o…
OMS declara a B.1.1.529 como 'variante de preocupação' e dá o nome de 'ômicron'

OMS declara a B.1.1.529 como 'variante de preocupação' e dá o nome de 'ômicron'

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a B.1.1.529 como uma “variante de preocupação” e escolheu como nome “ômicron”. Com essa classificação, a nova…
Prefeitura de Marabá cancela réveillon, mas divulga no mesmo dia grande evento esportivo

Prefeitura de Marabá cancela réveillon, mas divulga no mesmo dia grande evento esportivo

Nesta quinta-feira (25), a Prefeitura Municipal de Marabá, por meio do seu site oficial, divulgou uma nota confirmando o cancelamento…
Folha não publicou tuíte questionando se absolvição de jovem nos EUA pode estimular bolsonaristas a atirarem contra manifestantes no Brasil

Folha não publicou tuíte questionando se absolvição de jovem nos EUA pode estimular bolsonaristas a atirarem contra manifestantes no Brasil

Falso É falsa a montagem que circula no Facebook simulando tuíte do jornal Folha de S.Paulo com o título “A…
Turismo nacional deve encerrar o ano com crescimento de 16%

Turismo nacional deve encerrar o ano com crescimento de 16%

O turismo brasileiro deve terminar o ano com crescimento de 16% e faturamento de R$ 130 bilhões, 22% inferior ao…
Atraso na entrega e propaganda enganosa lideram reclamações na Black Friday

Atraso na entrega e propaganda enganosa lideram reclamações na Black Friday

As reclamações de consumidores devido a atrasos em entregas de produtos lideram o ranking nesta Black Friday, representando 20,94%. Segundo levantamento…