Correio de Carajás

Feirantes estão revoltados com mudança de local

A retirada de ambulantes da Avenida Getúlio Vargas, na Marabá Pioneira, ainda vem gerando discussão na cidade. Muitos barraqueiros procuraram a reportagem do Correio de Carajás para reclamar do local para onde foram transferidos pelo Departamento de Postura do Município, na Praça Duque de Caxias. A queixa deles é endossada por vários clientes que também não gostaram da mudança.

“Eu tenho quase dois anos trabalhando nessa área, mas tem feirantes bem mais antigos, com 30 anos de ponto. Nós fomos enganados, eles [equipe da Postura] falaram para a gente que íamos ficar três dias aqui e já fez uma semana. Um fala uma coisa, outro fala outra. Pelo que estou vendo, nós não vamos voltar para lá”, disse a feirante Dineia Pereira Santos.

Segundo ela, a mudança afastou os clientes que estariam acostumados ao ponto antigo e acabaram deixando de ir ao novo local. Um dos feirantes mais antigos, Joserides Soares Gomes, conhecido como Pernambuco, disse que a transferência foi muito repentina e que, por isso, houve prejuízos. “Eu já estava há 25 anos lá na Getúlio Vargas e, de repente, chegou essa mudança. Muitas pessoas chegaram a comprar produtos e acabaram se endividando, porque não sabiam que isso ia acontecer”, disse, acrescentando que os vendedores ambulantes aguardam uma reunião com o Departamento de Postura para resolver a situação. “Queremos uma solução o mais rápido possível”, emendou.

Leia mais:

Edson Abílio da Silva, relojoeiro, disse que a prefeitura de Marabá atuou de forma irresponsável. “Porque aqui, eu fui um dos primeiros feirantes e não é possível que a prefeitura vai tirar a gente”, reclamou. Paulo da Silva Monteiro, que é ambulante há 18 anos, lamentou que tem dia que não volta com um real no bolso para casa.

Quem também não gostou nem um pouco da nova localização das barracas foi Pamella de Almeida, cliente assídua da feira. “Eu estou achando péssimo e está muito quente aqui, a gente não aguenta. Estou para passar mal, quase não acho as bancas, era melhor no corredor [onde estava antes]”.

O que diz a Prefeitura

Procurada pelo CORREIO, a assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal informou que “em função de revitalização da Avenida Getúlio Vargas, os ambulantes daquela localidade foram transferidos para a Praça Duque de Caxias em caráter provisório. A prefeitura ainda estuda um local definitivo para que estes ambulantes possam, após regularização de funcionamento, serem realocados definitivamente”.

Foi informado também que a gestão municipal, em nenhum momento, quis prejudicar o trabalho dos ambulantes, mas sim ordenar os espaços da cidade, seguindo o Código de Postura. “A gestão informa que está empenhada na busca por este novo espaço e que conta com o apoio da comissão de ambulantes neste processo de reacomodação”.

Entenda o caso

A retirada dos ambulantes aconteceu no dia 25 de agosto e foi coordenada pelo Departamento Municipal de Postura. Na data, muitas pessoas reclamaram da ação e até vereadores criticaram a atuação da prefeitura.

Na época, a Ascom da PMM chegou a rebater as críticas, informando que todas as pessoas que atuavam de maneira irregular na Avenida Getúlio Vargas tinham sido notificadas com antecedência, no dia 2 de junho deste ano, sobre a necessidade da regularização da atividade. (Nathália Viegas com informações de Josseli Carvalho)

 

A retirada de ambulantes da Avenida Getúlio Vargas, na Marabá Pioneira, ainda vem gerando discussão na cidade. Muitos barraqueiros procuraram a reportagem do Correio de Carajás para reclamar do local para onde foram transferidos pelo Departamento de Postura do Município, na Praça Duque de Caxias. A queixa deles é endossada por vários clientes que também não gostaram da mudança.

“Eu tenho quase dois anos trabalhando nessa área, mas tem feirantes bem mais antigos, com 30 anos de ponto. Nós fomos enganados, eles [equipe da Postura] falaram para a gente que íamos ficar três dias aqui e já fez uma semana. Um fala uma coisa, outro fala outra. Pelo que estou vendo, nós não vamos voltar para lá”, disse a feirante Dineia Pereira Santos.

Segundo ela, a mudança afastou os clientes que estariam acostumados ao ponto antigo e acabaram deixando de ir ao novo local. Um dos feirantes mais antigos, Joserides Soares Gomes, conhecido como Pernambuco, disse que a transferência foi muito repentina e que, por isso, houve prejuízos. “Eu já estava há 25 anos lá na Getúlio Vargas e, de repente, chegou essa mudança. Muitas pessoas chegaram a comprar produtos e acabaram se endividando, porque não sabiam que isso ia acontecer”, disse, acrescentando que os vendedores ambulantes aguardam uma reunião com o Departamento de Postura para resolver a situação. “Queremos uma solução o mais rápido possível”, emendou.

Edson Abílio da Silva, relojoeiro, disse que a prefeitura de Marabá atuou de forma irresponsável. “Porque aqui, eu fui um dos primeiros feirantes e não é possível que a prefeitura vai tirar a gente”, reclamou. Paulo da Silva Monteiro, que é ambulante há 18 anos, lamentou que tem dia que não volta com um real no bolso para casa.

Quem também não gostou nem um pouco da nova localização das barracas foi Pamella de Almeida, cliente assídua da feira. “Eu estou achando péssimo e está muito quente aqui, a gente não aguenta. Estou para passar mal, quase não acho as bancas, era melhor no corredor [onde estava antes]”.

O que diz a Prefeitura

Procurada pelo CORREIO, a assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal informou que “em função de revitalização da Avenida Getúlio Vargas, os ambulantes daquela localidade foram transferidos para a Praça Duque de Caxias em caráter provisório. A prefeitura ainda estuda um local definitivo para que estes ambulantes possam, após regularização de funcionamento, serem realocados definitivamente”.

Foi informado também que a gestão municipal, em nenhum momento, quis prejudicar o trabalho dos ambulantes, mas sim ordenar os espaços da cidade, seguindo o Código de Postura. “A gestão informa que está empenhada na busca por este novo espaço e que conta com o apoio da comissão de ambulantes neste processo de reacomodação”.

Entenda o caso

A retirada dos ambulantes aconteceu no dia 25 de agosto e foi coordenada pelo Departamento Municipal de Postura. Na data, muitas pessoas reclamaram da ação e até vereadores criticaram a atuação da prefeitura.

Na época, a Ascom da PMM chegou a rebater as críticas, informando que todas as pessoas que atuavam de maneira irregular na Avenida Getúlio Vargas tinham sido notificadas com antecedência, no dia 2 de junho deste ano, sobre a necessidade da regularização da atividade. (Nathália Viegas com informações de Josseli Carvalho)

 

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.