Correio de Carajás

FBI fez alerta sobre ataques em massa na véspera de massacre

Agente de segurança no Texas leva flores para a escola de ensino fundamental onde 19 crianças foram mortas, no Texas, em 25 de maio de 2022 — Foto: Marco Bello/Reuters

Um dia antes do massacre no Texas, o FBI divulgou um documento em que fazia um alerta para a alta de casos de ataques em massa nos Estados Unidos.

Segundo o “New York Times”, o órgão afirmou, na segunda-feira (23), que em 2021 houve 61 ataques semelhantes ao do Texas. Na soma, 103 pessoas morreram e 130 ficaram feridas.

É uma alta de 52% em relação ao número de 2020, e quase o dobro do número de ataques de 2017.

Quase todos os ataques foram executados por homens —dos 61 assassinatos em massa do ano passado, apenas um foi cometido por uma mulher.

A idade desses assassinos varia entre 12 e 67 anos.

As armas usadas nesses crimes são geralmente compradas de forma legal. Frequentemente, no entanto, os assassinos alteram as armas para conseguir efetuar mais disparos em pouco tempo.

O FBI identificou uma tendência entre os agressores: mais deles estão indo a mais de um local para executar seus ataques.

Combinação de fotos mostra algumas das vítimas do massacre em uma escola de ensino fundamental de Uvalde, no Texas. Da esquerda para a direita, os estudantes: Uziyah Garcia, 8 anos; Xavier Lopez, 10 anos; Amerie Jo Garza, 10 anos; Xavier Lopez, 10 anos; e as professoras Eva Mireles e Irma Garcia — Foto: Reprodução/Redes Sociais; AP
Combinação de fotos mostra algumas das vítimas do massacre em uma escola de ensino fundamental de Uvalde, no Texas. Da esquerda para a direita, os estudantes: Uziyah Garcia, 8 anos; Xavier Lopez, 10 anos; Amerie Jo Garza, 10 anos; Xavier Lopez, 10 anos; e as professoras Eva Mireles e Irma Garcia — Foto: Reprodução/Redes Sociais; AP

Dados de outras entidades

 

As organizações Everytown for Gun Safety e Gun Violence Archive divulgaram alguns números de mortes violentas causadas por armas de fogo nos EUA.

Veja abaixo algumas das estatísticas da violência por armas de fogo no país:

  • Foram mais de 17 mil mortos em 2022; quase 650 das vítimas eram menores;
  • Além dos 650 mil menores que morreram, outros 1.600 ficaram feridos;
  • O número de crianças de até 11 anos que foram mortas por armas de fogo é de 140 neste ano;
  • A média de vítimas por armas de fogo no país é de 111 por dia;
  • No Texas a média anual é de 3.647 mortes por ano;
  • O número de feridos nos últimos 7 meses é de 14.247;
  • Nos EUA, mais de 23 milhões de armas foram vendidas em 2020, um recorde, e quase 20 milhões em 2021, segundo dados compilados pelo site Small Arms Analytics;
  • Em junho de 2021, 30% dos adultos americanos disseram que possuíam ao menos uma arma, segundo uma pesquisa do Centro de Investigação Pew.

(Fonte:G1)

Comentários

Mais

Agrediu vítima, roubou celular e foi preso em flagrante

Agrediu vítima, roubou celular e foi preso em flagrante

Alex Soares de Sousa foi preso na manhã de domingo (3) após derrubar uma mulher no chão e tomar, à…
Adolescente morre afogado no Rio Parauapebas

Adolescente morre afogado no Rio Parauapebas

Uma tragédia tirou a vida do jovem Victor Tarcísio Silva dos Santos, de 12 anos, neste final de semana, em…
Trânsito violento de Marabá mata 35 pessoas em 6 meses

Trânsito violento de Marabá mata 35 pessoas em 6 meses

Férias escolares, praia, lazer, curtição e bebedeira são alguns sinônimos do verão amazônico. O mês de julho marca o ápice…
Fim de semana é marcado por casos de violência contra mulher

Fim de semana é marcado por casos de violência contra mulher

Sábado e domingo seguem sendo dias conturbados para mulheres em Marabá. Como de (péssimo) costume, casos de violência foram registrados…
Condutor de caminhão atropela homem, foge, mas é pego momentos depois

Condutor de caminhão atropela homem, foge, mas é pego momentos depois

Um homem identificado como Elvis Santos Rondon dos Reis morreu na madrugada deste sábado (2), vítima de um acidente de…
Paciente xinga funcionários e quebra porta no HMM

Paciente xinga funcionários e quebra porta no HMM

Um paciente identificado como Cristiano Eduardo Campos ficou revoltado com o atendimento do Hospital Municipal de Marabá (HMM), xingou funcionários…