Familiares e amigos deram último adeus a Gustavo Lopes no final da manhã de ontem/ Foto: Josseli Carvalho

Foi enterrado na manhã de ontem (21), no Cemitério da Saudade, na Folha 29 (Nova Marabá) o corpo do adolescente Gustavo Alvares Versiani Lopes, de 16 anos. Ele morreu vítima de acidente de trânsito por volta das 4h30 da madrugada do último domingo (20), no cruzamento das avenidas da Getúlio Vargas e Antônio Maia, na Marabá Pioneira, bem no centro da cidade. Gustavo era filho do saudoso Paulinho Lopes, ex-presidente do Sindicom, e foi a terceira vítima fatal de acidente de trânsito no final de semana em Marabá.

[pro_ad_display_adzone id="528"]

De acordo com o registro de ocorrência policial feito por Rita de Cássia Assis Lopes, mãe de Gustavo, ou “Gugu”, como era chamado entre os amigos, o rapaz estava em uma moto Biz pertencente aos pais de um amigo. Junto com ele estava mais um amigo e uma amiga, os três menores de idade.

Gustavo havia acabado de apanhar o amigo que mora na Praça Duque de Caxias, pegou a Avenida Getúlio Vargas e estava entrando na Antônio Maia, quando a moto deles colidiu com um carro de características ainda não identificadas, que seguia em direção ao final da avenida (sentido Bairro Cabelo Seco).

O acidente com Gustavo Lopes aconteceu no centro da cidade / Foto: Evangelista Rocha

Gustavo, que pilotava a moto, embora estivesse de capacete, acabou levando a pior, assim como o amigo, que estava no meio e também sofreu fraturas, quase todas no rosto. Já a menina, que seguia atrás, teria conseguido pular do veículo e sofreu apenas escoriações.

Os três foram socorridos por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e levados para o Hospital Municipal de Marabá (HMM), onde os rapazes foram encaminhados para a Unidade de Cuidados Intermediários (UCI), enquanto a moça ficou sob observação e foi liberada na manhã de domingo.

Gustavo não resistiu aos ferimentos e morreu antes das 10h da manhã. O corpo dele deu entrada no Instituto Médico Legal (IML) por volta das 11h40, enquanto o colega foi transferido para uma UTI do Hospital da Unimed, no Núcleo Cidade Nova, e deve passar por cirurgias, devido às várias fraturas no rosto, além de ter fraturado também o punho esquerdo, segundo informou o pai dele, Jorge Brasil.

Ainda de acordo com Jorge Brasil, o filho dele seria avaliado ainda ontem por um buco-maxilo devido ter fraturado a mandíbula. Além disso, segundo ele, existe a previsão de cirurgias também no nariz e até mesmo cirurgia plástica.

No velório, sob clima de extrema comoção, na manhã de ontem, a mãe de Gustavo não quis gravar entrevista sobre o ocorrido. A reportagem apurou que o jovem saiu de casa na moto depois que a mãe estava dormindo, sem o consentimento dela, mesmo procedimento usado pelo amigo, que agora está internado.

Mais dois motociclistas perdem a vida

Enquanto o jovem Gustavo ainda agonizava no Hospital Municipal de Marabá, após se acidentar de moto na madrugada, outro motociclista perdia a vida na RodoviaBR-222, nas proximidades da ponte rodoferroviária do Rio Tocantins, à altura do Núcleo São Félix. Trata-se de Iremar de Moura Souza, de 32 anos.

De acordo com informações colhidas pela reportagem do Jornal CORREIO no local do acidente, por volta das 6h da manhã, Iremar seguia de moto pela rodovia em direção à ponte, quando tentou ultrapassar um caminhão, mas não percebeu que outro veículo pesado vinha em sentido contrário. Ele bateu no veículo e foi arremessado contra o outro e morreu na hora.

Iremar teve morte instantânea ao colidir a moto que pilotava em dois caminhões

Essa versão foi confirmada pelos dois motoristas dos caminhões envolvidos. Visivelmente nervoso com a situação, o Ronilton Vieira Batista, que dirigia o caminhão baú, relatou de forma resumida o acontecido: “O motoqueiro (Iremar) foi me ultrapassar, mas bateu em outro caminhão e foi jogado no meu”.

Já o motorista Claudemir Soares Santos, que conduzia o outro veículo envolvido na batida (um caminhão prancha), disse que estava dirigindo “de boa”, no sentido Marabá-São Félix, quando o motociclista saiu detrás da carreta e colidiu com ele. “Eu tentei tirar, fazer o possível, mas nessa hora não tem como… Ainda fiz o máximo pra tirar, mas ainda pegou no canto”, explica, acrescentando que a situação é “triste”.

Também ouvido pela reportagem o policial militar, Eilel Silva Oliveira, do Posto Policial Destacado, que organizou o trânsito no local junto com o soldado Esdras, observou que o local escolhido para a ultrapassagem é indevido, pois há uma curva no local.

Perguntado se a vítima teria ficado em um clube noturno ingerindo bebida alcoólica durante a madrugada, o militar disse que não tinha como confirmar essa informação e ponderou apenas que houve imprudência por parte da vítima.

MAIS UM

Na noite anterior (sábado, 19), por volta das 21h, a cerca de cinco quilômetros dali, na mesma BR-222, perto do Residencial Tiradentes, José Ribamar Ferreira de Sousa, de 26 anos, conhecido como “Zezinho”, que pilotava uma moto, também morreu vítima de acidente. Ele seguia em uma moto sendo reboado pelo primo dele, que estava em outro moto, quando foram atingidos por um terceiro motociclista.

Com a batida os três motociclistas foram ao chão, mas dois deles caíram no mato, o que possivelmente pode ter amortecido algum impacto. Somente Zezinho caiu na pista e bateu com a cabeça, tendo morte instantânea.

(Chagas Filho com informações de Josseli Carvalho)

[pro_ad_display_adzone id="530"]