A Quadrilha Explode Coração fez e aconteceu nos festejos juninos este ano. Ganhou o prêmio máximo, conquistou a unanimidade do público e, de quebra, atraiu prêmios individuais para seus membros. O que estava em disputa na competição municipal foi parar nas mãos da Explode. Entre as premiadas, a jovem Iara Cristina Lopes Silva, 25 anos, que teve um mês de junho turbulento e, ao mesmo tempo, glorioso.

HOME DESTAQUE
gasparim
TH SISTEMAS
ALICERCE

Como acadêmica de Engenharia Civil, ela defendeu o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), em meio aos festejos em alguns municípios da região e aos preparativos para o maior evento, em Marabá. “Defendi meu TCC no dia 22 de junho, agora aguardo as comemorações. Minha colação é dia 26 de agosto, porém o baile é só final de setembro”, conta.

A rainha-dançarina diz que 2017 está sendo seu “ano azul”, referindo-se ao convite que recebeu do amigo e “chefe” Cláudio Roberto (Yaguara/Explode Coração) ao lhe presentear duas vezes. “Primeiro com o posto de rainha da quadrilha ao lado da pessoa mais incrível que se empenhou ao máximo pra realizar o meu sonho no São João: Derlan Reis. Não tenho palavras pra ele, sempre disposto a me ajudar, me corrigir, ensaiar incansavelmente quando aparecia uma folga. E pra completar, o Cláudio também me escolheu pra ser madrinha do príncipe Arthur Guilherme, filho dele que nasceu dia 6 de junho deste ano. Fiquei muito feliz por toda essa confiança”, conta.

Natural de Marabá, Iara está solteira, diz que dança quadrilha desde de criança na escola, e na Explode é vedete desde 2009. Com 50 quilos e 1,67m de altura, ela conta o que faz para manter-se sempre em forma, o que possibilitou uma acrobacia avassaladora na final, sendo lançada a 3 metros de altura pelos quadrilheiros. “Não faço nada pra manter o corpo, não curto malhar, eu só danço e a magreza é de ruim mesmo, porque como de tudo”, diz, rindo bastante.

Além de elogiar a contribuição de amigos, Iara não esquece de sua raiz. Diz que a ajuda de sua mãe e irmãos tem sido fundamental para ter tempo de ensaiar e dançar. “Eles estão sempre apostos, me apoiam em tudo a que me proponho a fazer e se eu falhar, o apoio é maior ainda porque eles não deixam eu desistir”, conta”.

Além do resultado de Rainha dos festejos municipais em Marabá, ela também ganhou o mesmo prêmio nos festejos em Bom Jesus do Tocantins e o segundo lugar no Estadual (quem venceu foi uma garota de Jacundá, mas o resultado foi bastante questionado).

A Iara de carne e osso tem um pouco da Iara da lenda amazônica. De acordo com a lenda, de origem indígena, Iara é uma linda sereia (corpo de mulher da cintura para cima e de peixe da cintura para baixo) morena de cabelos negros e olhos castanhos.

A lenda conta que a linda sereia fica nos rios do Norte do país, onde costuma viver. Passa grande parte do tempo admirando sua beleza no reflexo das águas, brincando com os peixes e penteando seus cabelos com um pente de ouro.

Nas pedras das encostas, costuma atrair os homens com seu belo e irresistível canto, que ecoa pelas águas e florestas da região. As vítimas costumam seguir Iara até o fundo dos rios, local de onde nunca mais voltam. Os poucos que conseguem voltar acabam ficando loucos em função dos encantamentos da sereia. Neste caso, conta a lenda, somente um ritual realizado por um pajé (chefe religioso indígena, curandeiro) pode livrar o homem do feitiço.

A “rainha das águas” como também é conhecida Iara, possui o poder de enfeitiçar os homens que olham diretamente em seus olhos. E já tem muitos homens da cidade enfeitiçada pela Iara Lopes, a Rainha dos Festejos Juninos. (Ulisses Pompeu)

A Quadrilha Explode Coração fez e aconteceu nos festejos juninos este ano. Ganhou o prêmio máximo, conquistou a unanimidade do público e, de quebra, atraiu prêmios individuais para seus membros. O que estava em disputa na competição municipal foi parar nas mãos da Explode. Entre as premiadas, a jovem Iara Cristina Lopes Silva, 25 anos, que teve um mês de junho turbulento e, ao mesmo tempo, glorioso.

Como acadêmica de Engenharia Civil, ela defendeu o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), em meio aos festejos em alguns municípios da região e aos preparativos para o maior evento, em Marabá. “Defendi meu TCC no dia 22 de junho, agora aguardo as comemorações. Minha colação é dia 26 de agosto, porém o baile é só final de setembro”, conta.

A rainha-dançarina diz que 2017 está sendo seu “ano azul”, referindo-se ao convite que recebeu do amigo e “chefe” Cláudio Roberto (Yaguara/Explode Coração) ao lhe presentear duas vezes. “Primeiro com o posto de rainha da quadrilha ao lado da pessoa mais incrível que se empenhou ao máximo pra realizar o meu sonho no São João: Derlan Reis. Não tenho palavras pra ele, sempre disposto a me ajudar, me corrigir, ensaiar incansavelmente quando aparecia uma folga. E pra completar, o Cláudio também me escolheu pra ser madrinha do príncipe Arthur Guilherme, filho dele que nasceu dia 6 de junho deste ano. Fiquei muito feliz por toda essa confiança”, conta.

Natural de Marabá, Iara está solteira, diz que dança quadrilha desde de criança na escola, e na Explode é vedete desde 2009. Com 50 quilos e 1,67m de altura, ela conta o que faz para manter-se sempre em forma, o que possibilitou uma acrobacia avassaladora na final, sendo lançada a 3 metros de altura pelos quadrilheiros. “Não faço nada pra manter o corpo, não curto malhar, eu só danço e a magreza é de ruim mesmo, porque como de tudo”, diz, rindo bastante.

Além de elogiar a contribuição de amigos, Iara não esquece de sua raiz. Diz que a ajuda de sua mãe e irmãos tem sido fundamental para ter tempo de ensaiar e dançar. “Eles estão sempre apostos, me apoiam em tudo a que me proponho a fazer e se eu falhar, o apoio é maior ainda porque eles não deixam eu desistir”, conta”.

Além do resultado de Rainha dos festejos municipais em Marabá, ela também ganhou o mesmo prêmio nos festejos em Bom Jesus do Tocantins e o segundo lugar no Estadual (quem venceu foi uma garota de Jacundá, mas o resultado foi bastante questionado).

A Iara de carne e osso tem um pouco da Iara da lenda amazônica. De acordo com a lenda, de origem indígena, Iara é uma linda sereia (corpo de mulher da cintura para cima e de peixe da cintura para baixo) morena de cabelos negros e olhos castanhos.

A lenda conta que a linda sereia fica nos rios do Norte do país, onde costuma viver. Passa grande parte do tempo admirando sua beleza no reflexo das águas, brincando com os peixes e penteando seus cabelos com um pente de ouro.

Nas pedras das encostas, costuma atrair os homens com seu belo e irresistível canto, que ecoa pelas águas e florestas da região. As vítimas costumam seguir Iara até o fundo dos rios, local de onde nunca mais voltam. Os poucos que conseguem voltar acabam ficando loucos em função dos encantamentos da sereia. Neste caso, conta a lenda, somente um ritual realizado por um pajé (chefe religioso indígena, curandeiro) pode livrar o homem do feitiço.

A “rainha das águas” como também é conhecida Iara, possui o poder de enfeitiçar os homens que olham diretamente em seus olhos. E já tem muitos homens da cidade enfeitiçada pela Iara Lopes, a Rainha dos Festejos Juninos. (Ulisses Pompeu)

ROMANCE FAVORITA
DEPNEUS
RADIO CORREIO HORIZONTAL
PIZZARIA O SEGREDO DO CHEFF