Correio de Carajás

Economia cresceu 7,5% do segundo para o terceiro trimestre, diz FGV

Foto: Marcello Casal Jr

O Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, teve crescimento de 7,5% no terceiro trimestre deste ano, na comparação com o segundo trimestre. O dado é do Monitor do PIB, da Fundação Getulio Vargas (FGV), divulgado hoje (19).

“O forte crescimento de 7,5% da economia brasileira no terceiro trimestre, reverte, em parte, a forte retração de 9,7% registrada no segundo trimestre deste ano, em função da chegada da pandemia de covid-19 ao Brasil, a partir de março. No entanto, este crescimento não é suficiente para recuperar o nível de atividade econômica que ainda se encontra 5% abaixo do observado no quarto trimestre do ano passado”, afirma o coordenador da pesquisa, Claudio Considera.

Segundo ele, apesar da recuperação disseminada entre as atividades econômicas, o setor de serviços ainda encontra dificuldades para se recuperar. Os serviços tiveram alta de 5,5%, bem abaixo dos 13,4% da indústria.

Leia mais:

“Mesmo com a flexibilização das medidas de isolamento e pequena melhora marginal dos setores de alojamento, alimentação, serviços prestados às famílias, educação e saúde, o crescimento observado ainda é muito pouco em comparação a deterioração, causada pela pandemia, observada nestes segmentos. A elevada incerteza quanto ao futuro da pandemia tem inibido a recuperação mais robusta do setor de serviços, que é a atividade mais relevante da economia brasileira”, explica Considera.

A agropecuária recuou 0,3%. Sob a ótica da demanda, houve altas de 9,9% no consumo das famílias e de 16,5% na formação bruta de capital fixo (investimentos). O consumo do governo cresceu 0,5%. Já as exportações e importações tiveram quedas de 0,6% e de 8,8%, respectivamente.

Outras comparações

Apesar da alta de 7,5% na comparação com o segundo trimestre, na comparação com o terceiro trimestre de 2019, houve uma queda de 4,4%. Analisando-se apenas o mês de setembro, houve alta de 1,1% na comparação com agosto e de 2,3% na comparação com setembro do ano passado.

Na comparação com o segundo trimestre deste ano, o consumo das famílias recuou 5,1%, enquanto a formação bruta de capital fixo (investimento) caiu 2,2%. As exportações cresceram 1,7%, enquanto as importações tiveram queda de 24,4%. (Agência Brasil)

Comentários

Mais

Padre Patrick esgota ingressos para show em Curitiba

Padre Patrick esgota ingressos para show em Curitiba

O fenômeno da internet chega à capital paranaense com sua turnê nesta sexta-feira (27). O Teatro Fernanda Montenegro recebe o…
Senai de Conceição realiza aula inaugural de cursos de qualificação profissional

Senai de Conceição realiza aula inaugural de cursos de qualificação profissional

Tiveram início, nesta semana, as aulas do Programa de Capacitação para Desenvolvimento Profissional, uma iniciativa da Horizonte Minerals em parceria…
Auxiliar de serviços gerais devolve pix de R$ 95 mil feito por engano

Auxiliar de serviços gerais devolve pix de R$ 95 mil feito por engano

Jayro Pimentel, morador de Gurupi, no sul do Tocantins, é auxiliar de serviços gerais em uma fábrica de produtos de…
Veja os voos que ficaram mais caros para viajar nas férias de julho

Veja os voos que ficaram mais caros para viajar nas férias de julho

Viajar de avião nas férias de julho ficou mais caro do que antes da pandemia para muitos lugares, principalmente para o…
Planos de saúde poderão subir até 15,5%; é o maior reajuste já aprovado

Planos de saúde poderão subir até 15,5%; é o maior reajuste já aprovado

Após um inédito reajuste negativo no ano passado, os planos de saúde individuais ou familiares poderão subir até 15,5% este ano.…
Lei que amplia Prouni para estudantes de escolas privadas é sancionada

Lei que amplia Prouni para estudantes de escolas privadas é sancionada

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou a Lei 14.350/2022 que amplia o acesso ao Programa Universidade para Todos (Prouni) para alunos…