Correio de Carajás

Dois policiais e ex-PM de Marabá são denunciados por morte de advogado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
30 Visualizações

O Ministério Público denunciou na última sexta-feira (10) os suspeitos de envolvimento na morte do advogado Danillo Sandes Pereira, em Araguaína-TO, a 280 km de Marabá. Conforme apurado pela polícia, a morte da vítima foi encomendada por R$ 40 mil. O farmacêutico Robson Barbosa da Costa foi apontado como mandante do crime e os policiais militares Rony Marcelo Alves Paiva e João Oliveira dos Santos Júnior, e o ex-PM Wanderson Silva de Souza, todos de Marabá, teriam executado o causídico.

Wanderson Silva de Souza deixou a PM depois de ser submetido a um procedimento administrativo militar que o exonerou da corporação após ele ter apontado uma arma para um superior. Todos devem responder por homicídio triplamente qualificado, associação criminosa e ocultação de cadáver.

O caso aconteceu em Araguaína, norte do Tocantins, no final de julho. Os investigadores acreditam que Costa tenha decidido matar Danilo após ele se recusar a participar de uma fraude. Danillo representava Robson na disputa por uma herança de R$ 7 milhões e não quis ajudar o farmacêutico a esconder parte do dinheiro dos outros herdeiros.

Leia mais:

As investigações apontaram o farmacêutico como envolvido após quebra de sigilo telefônico. Depois disso, ele fez acordo de delação com o Ministério Público e contou os detalhes do crime.

A polícia verificou que o farmacêutico se desentendeu com o advogado no momento de acertar o pagamento. Para receber o dinheiro, Danillo Sandes inclusive entrou com ação judicial contra o acusado e conseguiu uma decisão que obrigou Costa a vender um caminhão.

Depois disso, Robson Barbosa da Costa passou a planejar a morte do advogado com a ajuda de um conhecido de Marabá (PA), o ex-PM Rone Macedo Alves Paiva. Ele teria contratado os dois policiais militares no Pará, para executarem o advogado. Os PMs inclusive são suspeitos de integrar um grupo de extermínio.

Conforme a denúncia, um dos pistoleiros chegou a visitar a vítima com o pretexto de que queria contratar os serviços do advogado para um inventário de R$ 800 mil. O suspeito teria dito que também possuía gado e imóveis em Filadélfia, norte do Tocantins.

O advogado desapareceu no dia 25 de julho, após se encontrar com os pistoleiros e entrar em um veículo com eles. A denúncia diz ainda que, durante o percurso, os suspeitos deram dois tiros na nuca de Danilo Sandes.

Entenda

O advogado desapareceu na manhã do dia 25 de julho. O amigo do advogado, José Ribamar Júnior, disse que ele foi visto pela última vez em um supermercado. “Ele deixou a mãe dele numa agência bancária, onde ela trabalha, e depois foi tomar café em um supermercado. Por volta das 9h, ele falou com a prima por telefone e disse que iria para Filadélfia, provavelmente resolver alguma questão ligada a um processo”. O advogado estava em uma motocicleta.

O advogado foi procurado durante quatro dias. O corpo dele foi encontrado no dia 29 às margens da TO-222, em decomposição. Ele estava apenas de cueca, com marcas de lesões, sangue e fogo, a 18 km de Araguaína, perto de entroncamento com Babaçulândia. A perícia recolheu um par de sapatos encontrado no local.

O delegado responsável pela investigação, Rerisson Macedo, disse que ele foi morto com dois disparos de arma de fogo. (globo.com – com informações da Polícia Civil do Tocantins)

O Ministério Público denunciou na última sexta-feira (10) os suspeitos de envolvimento na morte do advogado Danillo Sandes Pereira, em Araguaína-TO, a 280 km de Marabá. Conforme apurado pela polícia, a morte da vítima foi encomendada por R$ 40 mil. O farmacêutico Robson Barbosa da Costa foi apontado como mandante do crime e os policiais militares Rony Marcelo Alves Paiva e João Oliveira dos Santos Júnior, e o ex-PM Wanderson Silva de Souza, todos de Marabá, teriam executado o causídico.

Wanderson Silva de Souza deixou a PM depois de ser submetido a um procedimento administrativo militar que o exonerou da corporação após ele ter apontado uma arma para um superior. Todos devem responder por homicídio triplamente qualificado, associação criminosa e ocultação de cadáver.

O caso aconteceu em Araguaína, norte do Tocantins, no final de julho. Os investigadores acreditam que Costa tenha decidido matar Danilo após ele se recusar a participar de uma fraude. Danillo representava Robson na disputa por uma herança de R$ 7 milhões e não quis ajudar o farmacêutico a esconder parte do dinheiro dos outros herdeiros.

As investigações apontaram o farmacêutico como envolvido após quebra de sigilo telefônico. Depois disso, ele fez acordo de delação com o Ministério Público e contou os detalhes do crime.

A polícia verificou que o farmacêutico se desentendeu com o advogado no momento de acertar o pagamento. Para receber o dinheiro, Danillo Sandes inclusive entrou com ação judicial contra o acusado e conseguiu uma decisão que obrigou Costa a vender um caminhão.

Depois disso, Robson Barbosa da Costa passou a planejar a morte do advogado com a ajuda de um conhecido de Marabá (PA), o ex-PM Rone Macedo Alves Paiva. Ele teria contratado os dois policiais militares no Pará, para executarem o advogado. Os PMs inclusive são suspeitos de integrar um grupo de extermínio.

Conforme a denúncia, um dos pistoleiros chegou a visitar a vítima com o pretexto de que queria contratar os serviços do advogado para um inventário de R$ 800 mil. O suspeito teria dito que também possuía gado e imóveis em Filadélfia, norte do Tocantins.

O advogado desapareceu no dia 25 de julho, após se encontrar com os pistoleiros e entrar em um veículo com eles. A denúncia diz ainda que, durante o percurso, os suspeitos deram dois tiros na nuca de Danilo Sandes.

Entenda

O advogado desapareceu na manhã do dia 25 de julho. O amigo do advogado, José Ribamar Júnior, disse que ele foi visto pela última vez em um supermercado. “Ele deixou a mãe dele numa agência bancária, onde ela trabalha, e depois foi tomar café em um supermercado. Por volta das 9h, ele falou com a prima por telefone e disse que iria para Filadélfia, provavelmente resolver alguma questão ligada a um processo”. O advogado estava em uma motocicleta.

O advogado foi procurado durante quatro dias. O corpo dele foi encontrado no dia 29 às margens da TO-222, em decomposição. Ele estava apenas de cueca, com marcas de lesões, sangue e fogo, a 18 km de Araguaína, perto de entroncamento com Babaçulândia. A perícia recolheu um par de sapatos encontrado no local.

O delegado responsável pela investigação, Rerisson Macedo, disse que ele foi morto com dois disparos de arma de fogo. (globo.com – com informações da Polícia Civil do Tocantins)

Comentários

Mais

Casal morre em acidente de trânsito na Transamazônica

Casal morre em acidente de trânsito na Transamazônica

Um casal morreu em trágico acidente de trânsito na Rodovia BR-230 (Transamazônica) na tarde de domingo (11). As vítimas foram…
Polícia Civil apreende mais de R$ 1 milhão em espécie durante operação contra o tráfico de drogas no Pará

Polícia Civil apreende mais de R$ 1 milhão em espécie durante operação contra o tráfico de drogas no Pará

A Polícia Civil realizou na manhã desta terça-feira (13), a operação ‘Farinha’ que investiga crimes de associação ao tráfico, milícia…
Após acidente de trânsito, homem agride mulher e vai parar na delegacia

Após acidente de trânsito, homem agride mulher e vai parar na delegacia

Na madrugada desta terça-feira (13) por volta de 00h30, a Polícia Militar foi acionada para averiguar um acidente de trânsito…
Mulher é ameaçada de morte pelo ex-companheiro na F. 33

Mulher é ameaçada de morte pelo ex-companheiro na F. 33

Na noite desta segunda (12), um homem ameaçou de morte sua ex-companheira. O fato aconteceu na Folha 33, bairro Nova…
Casal morre em acidente de trânsito na Transamazônica

Casal morre em acidente de trânsito na Transamazônica

Um casal morreu em trágico acidente de trânsito na Rodovia BR-230 (Transamazônica) na tarde de domingo (11). As vítimas foram…
Condutores alcoolizados provocam acidentes e mulher é detida

Condutores alcoolizados provocam acidentes e mulher é detida

Frequentemente, a ingestão de bebida alcoólica provoca acidentes no trânsito, ocasionalmente com vítimas fatais. Nesse último final de semana, Conceição…