Correio de Carajás

Deputados britânicos aprovam saída da União Europeia

Reuters
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O Brexit, nome dado à saída do Reino Unido da União Europeia (UE), foi aprovado nesta quinta-feira (9) pelo Parlamento britânico depois de três anos e meio de impasse. Por 330 votos a 231, os deputados da Câmara dos Comuns aprovaram a saída do país do bloco europeu em 31 de janeiro. A Câmara dos Comuns é amplamente dominada pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson.

Agora, o tema será debatido na Câmara dos Lordes – equivalente ao Senado no Brasil. Os debates começam na próxima segunda-feira (13), e a expectativa é votar o Brexit ainda na semana que vem. Johnson não tem na Câmara dos Lordes o mesmo domínio, mas, ainda assim, espera uma vitória, a tomar pelo resultado favorável a ele nas eleições legislativas, em dezembro do ano passado.

Aprovado também câmara alta, o Brexit deverá ser ratificado pelo Parlamento Europeu a 29 de janeiro, dois dias antes da data limite. A saída britânica da União Europeia foi aprovada em 2016 em um referendo apertado: foram 52% dos votos favoráveis à medida. No entanto, o processo tem-se mostrado mais complexo do que parecia a princípio. A data limite para confirmar a saída já foi adiada três vezes, enquanto o Parlamento discutia o tema.

O ministro britânico para o Brexit, Steve Barclay, afirmou que é “tempo de avançar”. “Esse texto vai assegurar a nossa saída da União Europeia com um acordo que dá certezas às empresas, protege os direitos dos nossos cidadãos e assegura que retomamos o controlo do nosso dinheiro, das nossas fronteiras, das nossas leis e da nossa política comercial”, enfatizou.

Depois do Brexit

Confirmada a saída da União Europeia, terá início um período de transição, no qual as relações entre o Reino Unido e o bloco permanecerão inalteradas até 31 de dezembro deste ano. O dia 1º de julho é o prazo final para prolongar essa fase por um ou dois anos, pedido que terá de partir sempre de Londres.

Leia mais:

As partes terão de definir uma nova fórmula para as suas relações comerciais e de segurança. Não havendo prorrogação do prazo, o dia 31 de dezembro de 2020 marcará o fim dos laços entre a Europa continental e a Grã-Bretanha tal como vigoraram ao longo de 47 anos. (Agência Brasil)

*Com informações RTP, emissora pública de TV de Portugal

Mais

Anvisa explica entraves na aprovação da vacina Sputink V

Anvisa explica entraves na aprovação da vacina Sputink V

Em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia nesta terça-feira (11), o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância…
Guedes diz que reforma administrativa será moderada

Guedes diz que reforma administrativa será moderada

O Ministro da Economia, Paulo Guedes, classificou como bastante moderada a proposta do governo de reforma administrativa, em audiência pública,…
Estados e municípios poderão utilizar saldos de fundos de saúde

Estados e municípios poderão utilizar saldos de fundos de saúde

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei complementar que estende até o fim de 2021 a autorização concedida a estados,…
Senadores avaliam semana da CPI da Pandemia como positiva

Senadores avaliam semana da CPI da Pandemia como positiva

Os senadores avaliaram de forma positiva a primeira semana de oitivas da CPI da Pandemia. Foram ouvidos os ex-ministros da…
Brasil precisa fortalecer produção de insumos, diz Queiroga

Brasil precisa fortalecer produção de insumos, diz Queiroga

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quinta-feira (6) em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia…
Queiroga diz que enfrentamento à pandemia requer união de forças

Queiroga diz que enfrentamento à pandemia requer união de forças

Em depoimento nesta quinta-feira (6) à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia no Senado, o ministro da Saúde, Marcelo…