Correio de Carajás

Defesa suspende realização de desfile cívico-militar em 7 de setembro

COVID-19

Foto: Fabio Pozzebom
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

É o segundo ano sem desfile por causa da pandemia da covid-19

Pelo segundo ano consecutivo, o governo federal não realizará o tradicional desfile cívico-militar de 7 de setembro, para celebrar o Dia da Independência. O evento costuma reunir populares e autoridades dos Três Poderes, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Em nota enviada à Agência Brasil, o Ministério da Defesa informou que a comemoração do 199º aniversário da Proclamação da Independência acontecerá no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente da República, com restrição de público.

“A apresentação do tradicional desfile cívico está suspensa, ainda em razão da pandemia da covid-19”, informa a pasta, acrescentando que a programação geral da solenidade no Alvorada será coordenada pela Presidência da República, e que as Forças Armadas realizarão apenas uma cerimônia de hasteamento da bandeira nacional.

Leia mais:

Ministro da Defesa

Esta manhã, ao participar de uma audiência conjunta na Câmara dos Deputados, o ministro da Defesa, Braga Netto, disse não haver impedimento para a participação militar em eventos que venham a ocorrer em outras unidades da federação.

“[Em Brasília] a celebração será restrita apenas a convidados. Não haverá desfiles. Nada impede que, dependendo da situação de cada localidade, haja exposições e demonstrações feitas normalmente, mas desfiles não estão previstos”, disse Braga Netto.

Em 2020, mesmo com as restrições ao desfile cívico-militar devido à pandemia, a solenidade, que contou com exibição da Esquadrilha da Fumaça, do hasteamento da bandeira nacional e da execução do Hino Nacional, pela Banda do Batalhão da Guarda Presidencial, atraiu muitas pessoas até a frente do Palácio da Alvorada.

Na ocasião, uma portaria ministerial foi publicada no Diário Oficial da União, com quase um mês de antecedência, orientando às Forças Armadas a não participarem de desfiles, paradas, demonstrações ou outros eventos comemorativos que pudessem causar concentração de pessoas. (Agência Brasil)

Comentários

Mais

Isolados, moradores de São Domingos reclamam de pontes da zona rural

Isolados, moradores de São Domingos reclamam de pontes da zona rural

Moradores da zona rural de São Domingos do Araguaia, cidade localizada a 55 Km de Marabá, entraram em contato com…
Banco do Brasil faz mutirão de renegociação de dívidas

Banco do Brasil faz mutirão de renegociação de dívidas

O Banco do Brasil (BB) começa nesta segunda-feira (6) um mutirão de negociação de dívidas que vai até o dia…
Brasil recebe mais 1,5 milhão de doses da vacina da Pfizer

Brasil recebe mais 1,5 milhão de doses da vacina da Pfizer

O país recebeu mais 1,5 milhão de doses do imunizante da Pfizer, que chegaram nesta segunda (6) no Aeroporto Internacional…
Papa diz que jovens estão nas redes sociais, mas são pouco sociáveis

Papa diz que jovens estão nas redes sociais, mas são pouco sociáveis

O papa Francisco alertou hoje (6) que muitos jovens “estão nas redes sociais, mas não são muito sociáveis”, vivendo “prisioneiros…
Comissão aprova vaga em escola para filho de vítima de violência

Comissão aprova vaga em escola para filho de vítima de violência

A Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Câmara dos Deputados aprovou nesta segunda-feira (6) projeto de lei que…
Brasil supera marca de 90% da população-alvo vacinada com a 1ª dose

Brasil supera marca de 90% da população-alvo vacinada com a 1ª dose

A Campanha de Vacinação contra a covid-19 do Brasil ultrapassou a marca de 90% da população-alvo com a primeira dose…