Correio de Carajás

CURIONÓPOLIS: Fraudes em licitação podem chegar a R$ 5 milhões

Com apenas seis meses de mandato, o prefeito de Curionópolis, Adonei Aguiar (DEM), foi afastado do cargo pela Justiça, durante a Operação Alçapão, deslanchada hoje (30) pelo Ministério Público do Pará (MPPA), por meio do Núcleo de Combate à Improbidade Administrativa e Corrupção (NCIAC).

O prefeito é acusado de liderar uma quadrilha de fraude em licitação e desvio de verba pública, que teria causado um rombo aos cofres públicos de cerca de R$ 5 milhões.

O prefeito, que está em seu primeiro mandato, foi afastado em duas instâncias, pela juíza da Comarca de Curionópolis, Priscila Mousinho, e pelo Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE). O pedido foi feito pelo Ministério Público, com relatoria do desembargador Ronaldo Vale.

Leia mais:

Com afastamento temporário, assume o cargo a vice-prefeita, Queila Rosa. Ela chegou ainda na manhã de hoje à prefeitura e disse que ia colaborar com as investigações do Ministério Público.

Durante a operação, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão. Foram cumpridos três deles em Curionópolis: na prefeitura, em uma farmácia e na residência do prefeito Adonei. Neste último imóvel, foram apreendidos, além de documentos, diversos cheques moradias, que chamaram atenção dos promotores.

O outro mandado de prisão foi cumprido em Parauapebas, na casa da presidente da Comissão de Licitações, Aline Prudente, onde foram encontradas diversas armas de fogo, as quais alegou serem do marido dela, que teria uma empresa de segurança. Segundo o procurador do MPPA, Nelson Medrado, que coordenou a operação, contra o prefeito foi instaurado um inquérito civil e uma investigação criminal conduzida em primeiro grau pelo promotor Josiel Gomes da Silva, da Comarca de Curionópolis, e em segundo grau pelo Tribunal de Justiça e a Procuradoria do Ministério Público.

Por isso, foi dado cumprimento simultâneo de mandados de busca e apreensão pela Comarca de Curionópolis e Tribunal de Justiça. Assim que a notícia da operação se espalhou, diversas pessoas se concentraram em frente à casa do prefeito e da prefeitura.

O clima na cidade era de comemoração para muitos populares, que aplaudiam a operação do Ministério Público, dizendo que “a Justiça estava livrando a cidade de um mal”. (Tina Santos)

Com apenas seis meses de mandato, o prefeito de Curionópolis, Adonei Aguiar (DEM), foi afastado do cargo pela Justiça, durante a Operação Alçapão, deslanchada hoje (30) pelo Ministério Público do Pará (MPPA), por meio do Núcleo de Combate à Improbidade Administrativa e Corrupção (NCIAC).

O prefeito é acusado de liderar uma quadrilha de fraude em licitação e desvio de verba pública, que teria causado um rombo aos cofres públicos de cerca de R$ 5 milhões.

O prefeito, que está em seu primeiro mandato, foi afastado em duas instâncias, pela juíza da Comarca de Curionópolis, Priscila Mousinho, e pelo Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJE). O pedido foi feito pelo Ministério Público, com relatoria do desembargador Ronaldo Vale.

Com afastamento temporário, assume o cargo a vice-prefeita, Queila Rosa. Ela chegou ainda na manhã de hoje à prefeitura e disse que ia colaborar com as investigações do Ministério Público.

Durante a operação, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão. Foram cumpridos três deles em Curionópolis: na prefeitura, em uma farmácia e na residência do prefeito Adonei. Neste último imóvel, foram apreendidos, além de documentos, diversos cheques moradias, que chamaram atenção dos promotores.

O outro mandado de prisão foi cumprido em Parauapebas, na casa da presidente da Comissão de Licitações, Aline Prudente, onde foram encontradas diversas armas de fogo, as quais alegou serem do marido dela, que teria uma empresa de segurança. Segundo o procurador do MPPA, Nelson Medrado, que coordenou a operação, contra o prefeito foi instaurado um inquérito civil e uma investigação criminal conduzida em primeiro grau pelo promotor Josiel Gomes da Silva, da Comarca de Curionópolis, e em segundo grau pelo Tribunal de Justiça e a Procuradoria do Ministério Público.

Por isso, foi dado cumprimento simultâneo de mandados de busca e apreensão pela Comarca de Curionópolis e Tribunal de Justiça. Assim que a notícia da operação se espalhou, diversas pessoas se concentraram em frente à casa do prefeito e da prefeitura.

O clima na cidade era de comemoração para muitos populares, que aplaudiam a operação do Ministério Público, dizendo que “a Justiça estava livrando a cidade de um mal”. (Tina Santos)

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.