Correio de Carajás

Cuidados com os animais seguem no Parque Zoobotânico Vale durante a pandemia

"Me sinto grato por fazer parte do trabalho de conservação, de cuidar deles", diz tratador Camilo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

No último dia 5 de março, sexta-feira, o Parque Zoobotânico Vale comemorou 36 anos de criação. Em virtude da pandemia, o espaço está fechado para visitação desde março do ano passado, mas os cuidados com os animais não pararam. Todos os dias, uma equipe de tratadores se dedica à limpeza dos recintos e ao preparo da alimentação desses bichinhos, exemplos da beleza e da importância da Amazônia. Por mês, chegam a ser 4 toneladas de alimentos preparados com cuidado conforme a dieta especial de cada um.

Frutas, carnes, peixes, ração e amêndoas. O cardápio é balanceado. O grupo de tratadores seleciona, corta, pesa e separa em potes de acordo com a dieta de cada espécie. “Todo dia tem um cardápio diferente que é descrito e seguimos com o preparo.  Trabalho com gosto. Sou contente com o que faço”, conta o tratador Raimundo Morais Mendes, que há 19 anos trabalha no Parque. Depois das refeições separadas, segue a entrega “delivery” pela manhã e pela tarde passando por cada recinto. Os espaços também são higienizados diariamente.

Na rota, prato variado de frutas para os macacos. O peixe é pego ligeiro pela lontra. Já para espécies como os felinos há área específica para o manejo, que contém diferentes salas com acesso por portas corrediças distintas, onde a carne é colocada e depois as onças são liberadas para adentrar cada uma em um recinto separado.

Leia mais:
Os tratadores Raimundo Morais Mendes e José Raimundo Brito Barros cortam e pesam frutas e carnes para dieta balanceada dos animais

Bastou o tratador Camilo Cutrim Sousa colocar as frutas e a ração no recipiente do viveiro de imersão, para as aves logo se empoleirarem ao redor. Há 11 anos, ele compõe a equipe de tratadores e define com a palavra gratidão o sentimento que tem pelo trabalho de cuidar dos animais do Parque.  O espaço conta atualmente com um plantel de 360 animais, entre aves, mamíferos e répteis, incluindo algumas espécies raras ou ameaçadas de extinção, como o gavião-real, ararajuba, onça pintada, suçuarana, macaco-aranha-da-testa-branca e macaco cuxiú.

“Para mim, que gosto muito do meio ambiente e da conservação, todos os dias eu me sinto grato por vir trabalhar nesse local, porque além da exposição para as pessoas conhecerem os animais que existem aqui na fauna da Amazônia, a gente fica aqui no bastidor, cuidando desse animal que vem do resgate, de apreensões. E todos esses animais têm um cuidado especial, uma alimentação balanceada, tudo tratado, animal por animal. E isso é muito gratificante, sabendo que a gente está fazendo parte da conservação, cuidando deles”, diz Camilo.

No final da rota, após ter alimentado as onças atento ao manejo, Ivaldo dos Santos Braga revela que a relação com os animais é tão forte que vira um maior sentimento e envolve a família e os amigos. “Minha filha sempre pergunta: – Papai, como está seu Parque? E eu respondo: – Minha filha, meu parque está ótimo”. Já meus amigos chegam a me dizer: – Vamos trocar de trabalho? E eu digo não! Não tem como, porque o que eu faço eu faço com amor”.

Preservação

Os animais que estão hoje no Parque Zoobotânico Vale, em grande parte foram entregues por órgãos ambientais, como o IBAMA, ICMBio e SEMAS vindos de apreensões ou criações ilegais. Também vieram de permuta com outros zoológicos do país ou nasceram em cativeiro no próprio parque. No PZV, eles recebem acompanhamento diário e atendimento veterinário. Fundado em 1985, o Parque é hoje uma das principais atrações turísticas da região e, principalmente, espaço para educação ambiental e sensibilização para a importância de preservação do meio ambiente.

Entre as principais atividades desenvolvidas no PZV está o programa voltado à reprodução em cativeiro de espécies do bioma amazônico e que estão ameaçadas de extinção. Já foram alcançados importantes resultados, como o nascimento de filhotes de ararajuba, onça-pintada e harpia. O espaço contribui com a preservação das espécies, servindo como estoque genético e formando profissionais especializados para trabalhar em benefício da preservação da fauna e flora brasileiras, dentro do Programa de Manejo Reprodutivo para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção e Relevância Biológica.

Tour virtual

E mesmo na pandemia, você pode visitar o Parque Zoobotânico Vale sem sair de casa. O espaço já conta com um tour virtual, um ambiente que proporciona a experiência de visitar os principais recintos, os animais, a botânica do local, além de apresentar algumas curiosidades do Parque. O tour virtual está disponível no vale.com/pzv. (Divulgação/Vale)

Comentários

Mais

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

Dr. Naves retorna a Marabá e é recebido com festa por familiares e amigos

José Divino Naves, mais conhecido como Dr. Naves, desembarcou às 16h30 deste sábado (18) em Marabá, após passar 5 meses…
Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Índice reúne dados sobre a inclusão de brasileiros com deficiência

Passados 11 anos desde a realização do último censo nacional, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, uma associação sem…
Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

Anvisa aprova indicação de baricitinibe para covid-19

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou na noite desta sexta-feira que aprovou a indicação do medicamento baricitinibe para…
Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

Pará registra 587.922 casos de Covid-19 e 16.578 mortes pela doença

O Pará contabilizou mais 51 casos de Covid-19 e 4 mortes causadas pela doença. Segundo o boletim divulgado pela Secretaria…
“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“Forma Pará” recepciona calouros de Jacundá e Itupiranga

“O Forma Pará, antes de qualquer coisa, é um programa que cuida de pessoas. E vocês também serão profissionais que…
Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

Família de adolescente morto por “Trem da Alegria” não recebeu apoio financeiro da empresa

A família do adolescente Marcos Henrique dos Santos, de 14 anos, que foi morto na noite desta quinta-feira (16), no…