Correio de Carajás

Crônica Ouriço Cheio: Comer manga com leite e emborcar a havaianas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

“E como eu precisei correr para desemborcar a havaianas. Era uma alegoria do bestiário da existência e passada de infância em infância. Ainda vejo alguns adultos correndo com a criança deles para desvirar o chinelo emborcado no caminho”.

A infância da gente é irrigada por crendices populares que nos assustavam e nos fazem sorrir hoje. Certamente em algum momento da sua vida você já foi impedido de comer manga e tomar leite em seguida, senão você morreria.

Mas havia um temor grande entre meninos de todas as idades, que era infundido pelos adultos. Deixar o chinelo virado de cabeça pra baixo era um pecado capital, pois nos fizeram crer que “chinelo virado de cabeça pra baixo a mãe morre”.

Leia mais:

E como eu precisei correr para desemborcar a havaianas. Era uma alegoria do bestiário da existência e passada de infância em infância. Ainda vejo alguns adultos correndo com a criança deles para desvirar o chinelo emborcado no caminho. Eu, ainda hoje, desviro os meus. Pura herança mágica.

Seria do tempo medievo, da moral e da tônica punitiva perpetuada por monges antibruxas de lá para cá? E ainda hoje disseminada por um punhado nocivo de pessoas de várias acreditações diferentes nas tvs, lives e zaps?

Também podem ser permanências ainda da Era da Peste, por exemplo, e da matança de gatos (principalmente os negros), que teria dado mais ainda no desequilíbrio de um cotidiano insustentável e a multiplicação exponencial de ratos e pulgas para a finalização antecipada da vida de milhares.

São as narrativas simbólicas, tão contemporâneas e maldosas, urdidas para se acreditar que a morte é isso mesmo, “todos vamos morrer” e não é uma gripezinha que nos fará perder dinheiro e empregos. É assim ou a morte é posta no campo do bestial e só os apavorados trombam nela.

Assistir próspero bispo brasileiro se vacinando com o melhor dos imunizantes em Miami é a confirmação de que Jesus, para ele, é apenas uma artimanha para encher as burras.

Foi esse mesmo cidadão quem disse que a covid-19 é uma tática de Satanás e da mídia para gerar dúvida e medo. Pelo visto, Deus não deu imunidade para Macedo. E ainda mais no cemitério em que o Brasil se transformou.

Numa outra ponta ionesca da covid, muitos médicos fiadores das políticas negacionistas de Bolsonaro têm pensamento lesivo semelhante ao de Macedo. Em meio à pandemia que desnaturaliza o ato perfeito da morte, eles creem na invenção de uma persona que “derramou o próprio sangue pelo Brasil”.

É tão manicurta a crendice no mito do Messias esfaqueado quanto foi a creditação na última propaganda da campanha de 2002 para presidente da República. Na narrativa cafona-marqueteira, várias mulheres vestidas de branco e grávidas da “esperança” vendiam o nascimento de um Salvador – no caso Lula.

Entre um e outro, menos medonho, sou obrigado a me iludir com o enredo imperfeito da ciência, porque é esta quem pesquisa, quem analisa a situação dos entubados e não classifica o choro, pela morte alheia, como “frescura”.

Dá vergonha alguns médicos prescreverem um tratamento precoce da covid-19. Será que a OMS é tão sacana assim com mais de dois milhões de mortes?

Receitar cibalena como medicação (isso aqui é uma alegoria), e a pessoa ter a sorte ou o organismo mais resistente ao novo coronavírus, pode criar a ilusão de que o comprimido é um escudo eficiente contra a covid. Será que centenas de pesquisas científicas do mundo são tão desonestas com a vida dos outros?

Quando vi o governo local instalar uma tenda para colocar na frente do Hospital Municipal de Marabá para entregar “kit covid”, tive a impressão que a próxima crise da pandemia no município será um colapso funerário. E não haverá chinela desemborcada que dê jeito. (Ulisses Pompeu)

* O autor é jornalista há 24 anos e escreve crônica na edição de quinta-feira

Comentários

Mais

Bolsonaro faz 'motociata' em SP ao lado de apoiadores

Bolsonaro faz 'motociata' em SP ao lado de apoiadores

O presidente Jair Bolsonaro está em passeata pela cidade de São Paulo, em manifestação organizada por integrantes de clubes de…
Aos 80 anos, morre o ex-vice-presidente Marco Maciel

Aos 80 anos, morre o ex-vice-presidente Marco Maciel

Morreu neste sábado (12), aos 80 anos, o ex-vice-presidente da República Marco Maciel. Segundo o genro do político, Joel Braga,…
Capacitação de profissionais é aposta para combater trabalho infantil

Capacitação de profissionais é aposta para combater trabalho infantil

No lugar da boneca e do carrinho, a enxada e a vassoura. No lugar do tempo para estudo e descanso,…
Casal passou a morar junto e construiu sua “família”

Casal passou a morar junto e construiu sua “família”

  A história de Juliana Milhomem e Victoria Kaline é semelhante à de Polyana e Amanda. Ambas se conheceram em…
Mulheres que são felizes com outras mulheres

Mulheres que são felizes com outras mulheres

“Consideramos justa toda forma de amor”. Parafraseando Lulu Santos, começamos essa história com o trecho da emblemática música “Toda forma…
Namoro que floresce no meio na pandemia

Namoro que floresce no meio na pandemia

Sílvia e Moisés e se tornaram amigos inseparáveis, contavam tudo um para o outro, até se ajudaram a ficar com…