Criança de 10 anos morre ao cair de tirolesa
Rikelmy Oliveira teve morte trágica no último domingo/ Foto: Divulgação
Ads

Uma fatalidade tirou a vida do pequeno Rikelmy Rodrigues de Oliveira, 10 anos, filho da dona de casa Celina Rodrigues de Oliveira. O garoto caiu de uma tirolesa após tentar se segurar nas costas de um colega que descia o objeto para cair nas águas do Rio Moju, na tarde de domingo (8).

Ads

Era para ser um dia recreativo de um grupo de oração da Igreja Católica, que aproveitou o dia para promover uma confraternização entre os participantes. Na manhã de domingo o grupo seguiu para uma propriedade rural a cerca de 15 quilômetros do centro da cidade de Jacundá, onde passaria o dia. A fatalidade aconteceu por volta de 13h30.

Cleuzinete Romás, madrinha da vítima e uma das organizadoras do evento retiro, conta que o grupo se divertia nas margens do Rio Moju, entre eles a criança de 10 anos de idade, Rikelmy Rodrigues, quando ocorreu o fato. “Inesperadamente ele pulou nas costas de um colega que iria descer a tirolesa. O colega não resistiu ao peso e os dois caíram em uma área de área”, conta a mulher.

Segundo ela, Rikelmy foi socorrido pelo grupo e levado ao Hospital Municipal de Jacundá, Maria Cecília de Oliveira, onde recebeu atendimento médico e autorização para ser transferido ao Hospital Regional de Tucuruí. O garoto faleceu duas horas depois do acidente quando era transportado dentro de uma ambulância, próximo a cidade de Goianésia do Pará. “Parecia que ele iria ficar bem, pois chegou a conversar com nós, com a mãe dele e com o médico que o atendeu”.

Estudante do terceiro ano do ensino fundamental da escola Tancredo de Almeida Neves, o garoto recebeu homenagens de professores e colegas de turma. Ele era considerado um aluno atencioso e inteligente.

A mãe de Rikelmy, Celina Rodrigues de Oliveira não teve condições psicológicas para conversar com a Reportagem. O velório aconteceu na residência da família, localizada à Rua Goiás, 31, no Bairro Palmares. Ele foi sepultado na tarde de segunda-feira, 9, no cemitério local. (Antônio Barroso/Freelancer)

Ads