Correio de Carajás

Conselho recomenda vacinação de presos e servidores de presídios

Foto: Thathiana Gurgel
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

O Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária publicou, no Diário Oficial da União de hoje (9), resolução que recomenda, a autoridades da saúde, dar prioridade à vacinação de servidores e pessoas privadas de liberdade, no âmbito do Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra o Covid-19.

Citando dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), a Resolução nº14 lembra que 42.517 presos foram contaminados pela covid-19 entre março de 2020 e janeiro de 2021. Desses, 133 presos morreram por causa da doença. Na comparação com a população brasileira, a taxa de infecção foi 47% maior, Já a de letalidade foi 87% menor.

As visitas sociais foram interrompidas em todos os presídios do país desde março de 2020. Apenas as visitas presenciais e atendimentos de advogados estão sendo retomados, mas de forma gradual em alguns estados. Em meio a esse contexto, o principal contato entre a população prisional e o mundo exterior passou a ser o de servidores dessas instituições penais.

Leia mais:

A resolução acrescenta que “quanto maior a demora da vacinação no sistema prisional, maiores serão os gastos em 2021 com a prevenção e assistência à saúde da massa carcerária”. Além disso, lembra que o aumento de infectados na população prisional pode acabar demandando ocupação de vagas em estabelecimentos hospitalares, “sobrecarregando ainda mais o sistema de saúde pública”, além de possibilitar a libertação de mais presos, conforme previsto pela Resolução 62 do Conselho Nacional de Justiça.

Diante dessa situação, a resolução publicada hoje recomenda às secretarias estaduais de Saúde que preparem planos operacionais, em parceria com as administrações penitenciarias, para viabilizar a vacinação de policiais penais e pessoas privadas de liberdade, observando as fases e o calendário previstos no Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19.

Ao Ministério da Saúde e às secretarias estaduais de Saúde, a resolução recomenda que incluam, no rol das pessoas a integrar o grupo prioritário de vacinação, “todos os demais profissionais (estagiários, terceirizados, policiais militares, etc) que atuem nas unidades de custódia de pessoas privadas de liberdade, dado o risco inerente às atribuições”. (Agência Brasil)

Comentários

Mais

MPPA firma Termo de Ajuste de Conduta para garantir material e ações educativas para alunos com autismo

MPPA firma Termo de Ajuste de Conduta para garantir material e ações educativas para alunos com autismo

A 13ª Promotoria de Justiça de Justiça de Marabá firmou no último dia 9 de junho, Termo de Ajuste de Conduta com…
MPF cobra cumprimento da Reforma Agrária e Regularização Fundiária a Eldorado do Carajás e INCRA

MPF cobra cumprimento da Reforma Agrária e Regularização Fundiária a Eldorado do Carajás e INCRA

O Ministério Público Federal (MPF) expediu nesta terça-feira (15) recomendações ao município de Eldorado dos Carajás, no sudeste do Pará,…
SUS não recebeu vacinas prometidas por Wizard e Hang

SUS não recebeu vacinas prometidas por Wizard e Hang

Cem dias após o Brasil autorizar a compra e doação de vacinas ao SUS pelo setor privado, nenhuma dose foi…
Vacinas Sputnik V serão enviadas ao Brasil em julho, diz Camilo Santana

Vacinas Sputnik V serão enviadas ao Brasil em julho, diz Camilo Santana

As vacinas russas contra a Covid-19, a Sputnik V, serão entregues ao Brasil no mês de julho, conforme o governador…
PL prevê semana educativa no combate ao cerol em Parauapebas

PL prevê semana educativa no combate ao cerol em Parauapebas

Foi aprovado em Sessão Ordinária da Câmara dos Vereadores de Parauapebas nesta terça-feira (15) um projeto de lei que prevê…
Aneel prorroga proibição de corte de luz por inadimplência

Aneel prorroga proibição de corte de luz por inadimplência

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) decidiu hoje (15) que vai prorrogar por mais três meses a proibição de…