Correio de Carajás

Combate ao crime: Laboratório da Unifesspa vai auxiliar perícias criminais em todo o Estado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
1 Visualizações

Na tarde desta quinta-feira (17/05), a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) assinou o acordo de cooperação institucional com Centro de Perícias Científicas Renato Chaves para operacionalizar o Laboratório de Análises por Microscópio Eletrônico de Varredura (LabMEV) do Instituto de Geociências e Engenharias (IGE), objetivando realizar análises e exames periciais que necessitem de microscopia eletrônica na comarca de Marabá, além de manter operacional o Microscópio de Varredura Eletrônica (MEV) com fornecimento regular de materiais consumíveis, bem como ofertar cursos de capacitação para operação do MEV.

O acordo prevê que a Unifesspa disponibilizará o laboratório e o equipamento para Microscopia Eletrônica de Varredura, estabelecendo auxílio por meio de seu corpo técnico e docentes na análise dos resultados dos exames periciais, além de ofertar cursos de capacitação aos peritos criminais disponibilizados pelo CPC Renato Chaves, direcionados ao manuseio do MEV e análise dos exames laboratoriais, disponibilizando acesso à rede de fibra conforme condições de atendimento da Universidade.

Leia mais:

O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves vai garantir a presença de pelo menos um perito criminal para o manuseio das amostras, com o intuito de manter a Cadeia de Custódia, disponibilizando técnico para o LabMEV, fornecer material consumível para realização de análises e exames periciais com o Microscópio de Varredura Eletrônica, fornecer e manter a integridade das amostras a serem examinadas no LabMEV das perícias a serem analisadas, além de ofertar cursos de capacitação aos docentes da Unifesspa, relacionadas à aplicabilidade e interpretação dos exames periciais.

O CPC Renato Chaves deixará responsáveis pela manutenção da cadeia de custódia das evidências que serão utilizadas os peritos Antônio Carlos Machado e Souza e Walldiney Pedra Gurgel. O acordo firmado entre as duas instituições não envolve e não obriga a transferência de recursos financeiros – ficando as despesas decorrentes das atividades pactuadas por conta dos respectivos orçamentos, de acordo com as obrigações assumidas pela Unifesspa e CPC Renato Chaves.

A cooperação técnica entre a Unifesspa e o CPC Renato Chaves terá duração de 2 anos, podendo ser prorrogado, mediante celebração de termo aditivo.

“O Laboratório de Análises por Microscópio Eletrônico de Varredura produz imagens ampliadas em até 400 mil vezes. Ele será utilizado na identificação de qualquer tipo de material, em especial, material metálico ou rochoso e até biológico. Essa cooperação com o Centro de Perícias Renato Chaves é muito importante, pois vai possibilitar o aprendizado das técnicas da perícia científica, permitindo-nos a análise das amostras que são utilizadas no CPC Renato Chaves, e a utilização do equipamento de modo mais amplo e direto para resolução de problemas nessa área da perícia científica”, argumentou a diretora da faculdade de Geologia (FaGeo) e Profª. Drª Gilmara Regina Lima Feio.

Para o coordenador das Unidades Regionais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e perito criminal Celso Felipe Bandeira de Sá “o termo de cooperação técnica entre a Unifesspa e o CPC Renato Chaves é de uma grandeza singular para toda região; é a utilização da tecnologia científica com o objetivo de produzirmos laudos mais corretos, dentro das metodologias científicas, isso vai fazer com que nossos resultados sejam mais seguros. O termo de cooperação técnica firmado entre as duas instituições vai permitir ciência aplicada e o desenvolvimento de pesquisas nessa área que vai ajudar muito no combate ao crime. Isso é de extrema importância e passa a ser referência no estado.

Os crimes que ocorrerem até mesmo fora dessa região serão encaminhados para cá. O caminho é sempre este: a regional sobe à sede para fazer um exame mais específico, agora o caminho será inverso: eles virão para cá, para Universidade e, com isso, ganhamos em significância, importância – isso traz um brilho diferenciado para a Unifesspa. Os peritos do Renato Chaves vão ministrar treinamento aos docentes da Unifesspa e a Universidade ganhará essa expertise em análise criminalística, ficando preparada para qualificar outros profissionais”, destacou o perito.

Ainda segundo o coordenador, o CPC Renato Chaves está abrindo outras unidades de perícia na região sul do Pará e que já estão à disposição da Unifesspa dois peritos criminais (Farmacêutico e de Física) que vão fazer as análises no LabMEV da Unifesspa, conforme a necessidade e as ocorrências. 

Estiveram presentes o coordenador das Unidades Regionais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e perito criminal Celso Felipe Bandeira de Sá, que no ato – representou o diretor geral do CPC José Edmílson Lobato, diretor regional do CPC Renato Chaves em Marabá – Enaldo Ferreira, diretor adjunto do Instituto de Geociências e Engenharias (IGE) – Adriano de Araújo Gomes, diretora da faculdade de Geologia (FaGeo) e Profª. Drª Gilmara Regina Lima Feio, professor da Faculdade da FaGeo Leonardo Brasil Felipe, a pró-reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação Tecnológica Prof.ª Dr.ª Cindy Stella Fernandes, além do Diretor de Pesquisa e Inovação Tecnológica – Prof. Dr. Francisco Ribeiro da Costa, alunos, outros peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e comunidade em geral.

“É muito importante a assinatura deste acordo de cooperação técnica com o Centro de Perícias Renato Chaves, pois nós vamos citar esse acordo numa proposta que vamos enviar à Capes para a implantação de um Mestrado Profissional em Ciências Forenses – destacando que já temos a partir dessa cooperação, uma relação concreta com essa ciência. Nossa parceria vai trazer resultados muito importantes – e ela já nasce vitoriosa. Estamos de parabéns por esta conjunção de esforços individuais e coletivos que vai beneficiar toda a sociedade”, concluiu o reitor da Unifesspa Maurílio Monteiro.

O reitor da Unifesspa Maurílio Monteiro e o coordenador das Unidades Regionais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e perito criminal Celso Felipe Bandeira de Sá assinaram o Termo de Cooperação Técnica entre as duas instituições, celebrando essa parceria que promete ser muito duradoura. Após a assinatura do Termo de Cooperação Técnica – todos os presentes se dirigiram para conhecer o Laboratório de Análises por Microscópio Eletrônico de Varredura (LabMEV) da Unifesspa – localizado no bloco da Geologia, na Unidade II, do campus de Marabá.

(Divulgação Unifesspa)

Na tarde desta quinta-feira (17/05), a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) assinou o acordo de cooperação institucional com Centro de Perícias Científicas Renato Chaves para operacionalizar o Laboratório de Análises por Microscópio Eletrônico de Varredura (LabMEV) do Instituto de Geociências e Engenharias (IGE), objetivando realizar análises e exames periciais que necessitem de microscopia eletrônica na comarca de Marabá, além de manter operacional o Microscópio de Varredura Eletrônica (MEV) com fornecimento regular de materiais consumíveis, bem como ofertar cursos de capacitação para operação do MEV.

O acordo prevê que a Unifesspa disponibilizará o laboratório e o equipamento para Microscopia Eletrônica de Varredura, estabelecendo auxílio por meio de seu corpo técnico e docentes na análise dos resultados dos exames periciais, além de ofertar cursos de capacitação aos peritos criminais disponibilizados pelo CPC Renato Chaves, direcionados ao manuseio do MEV e análise dos exames laboratoriais, disponibilizando acesso à rede de fibra conforme condições de atendimento da Universidade.

O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves vai garantir a presença de pelo menos um perito criminal para o manuseio das amostras, com o intuito de manter a Cadeia de Custódia, disponibilizando técnico para o LabMEV, fornecer material consumível para realização de análises e exames periciais com o Microscópio de Varredura Eletrônica, fornecer e manter a integridade das amostras a serem examinadas no LabMEV das perícias a serem analisadas, além de ofertar cursos de capacitação aos docentes da Unifesspa, relacionadas à aplicabilidade e interpretação dos exames periciais.

O CPC Renato Chaves deixará responsáveis pela manutenção da cadeia de custódia das evidências que serão utilizadas os peritos Antônio Carlos Machado e Souza e Walldiney Pedra Gurgel. O acordo firmado entre as duas instituições não envolve e não obriga a transferência de recursos financeiros – ficando as despesas decorrentes das atividades pactuadas por conta dos respectivos orçamentos, de acordo com as obrigações assumidas pela Unifesspa e CPC Renato Chaves.

A cooperação técnica entre a Unifesspa e o CPC Renato Chaves terá duração de 2 anos, podendo ser prorrogado, mediante celebração de termo aditivo.

“O Laboratório de Análises por Microscópio Eletrônico de Varredura produz imagens ampliadas em até 400 mil vezes. Ele será utilizado na identificação de qualquer tipo de material, em especial, material metálico ou rochoso e até biológico. Essa cooperação com o Centro de Perícias Renato Chaves é muito importante, pois vai possibilitar o aprendizado das técnicas da perícia científica, permitindo-nos a análise das amostras que são utilizadas no CPC Renato Chaves, e a utilização do equipamento de modo mais amplo e direto para resolução de problemas nessa área da perícia científica”, argumentou a diretora da faculdade de Geologia (FaGeo) e Profª. Drª Gilmara Regina Lima Feio.

Para o coordenador das Unidades Regionais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e perito criminal Celso Felipe Bandeira de Sá “o termo de cooperação técnica entre a Unifesspa e o CPC Renato Chaves é de uma grandeza singular para toda região; é a utilização da tecnologia científica com o objetivo de produzirmos laudos mais corretos, dentro das metodologias científicas, isso vai fazer com que nossos resultados sejam mais seguros. O termo de cooperação técnica firmado entre as duas instituições vai permitir ciência aplicada e o desenvolvimento de pesquisas nessa área que vai ajudar muito no combate ao crime. Isso é de extrema importância e passa a ser referência no estado.

Os crimes que ocorrerem até mesmo fora dessa região serão encaminhados para cá. O caminho é sempre este: a regional sobe à sede para fazer um exame mais específico, agora o caminho será inverso: eles virão para cá, para Universidade e, com isso, ganhamos em significância, importância – isso traz um brilho diferenciado para a Unifesspa. Os peritos do Renato Chaves vão ministrar treinamento aos docentes da Unifesspa e a Universidade ganhará essa expertise em análise criminalística, ficando preparada para qualificar outros profissionais”, destacou o perito.

Ainda segundo o coordenador, o CPC Renato Chaves está abrindo outras unidades de perícia na região sul do Pará e que já estão à disposição da Unifesspa dois peritos criminais (Farmacêutico e de Física) que vão fazer as análises no LabMEV da Unifesspa, conforme a necessidade e as ocorrências. 

Estiveram presentes o coordenador das Unidades Regionais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e perito criminal Celso Felipe Bandeira de Sá, que no ato – representou o diretor geral do CPC José Edmílson Lobato, diretor regional do CPC Renato Chaves em Marabá – Enaldo Ferreira, diretor adjunto do Instituto de Geociências e Engenharias (IGE) – Adriano de Araújo Gomes, diretora da faculdade de Geologia (FaGeo) e Profª. Drª Gilmara Regina Lima Feio, professor da Faculdade da FaGeo Leonardo Brasil Felipe, a pró-reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação Tecnológica Prof.ª Dr.ª Cindy Stella Fernandes, além do Diretor de Pesquisa e Inovação Tecnológica – Prof. Dr. Francisco Ribeiro da Costa, alunos, outros peritos do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e comunidade em geral.

“É muito importante a assinatura deste acordo de cooperação técnica com o Centro de Perícias Renato Chaves, pois nós vamos citar esse acordo numa proposta que vamos enviar à Capes para a implantação de um Mestrado Profissional em Ciências Forenses – destacando que já temos a partir dessa cooperação, uma relação concreta com essa ciência. Nossa parceria vai trazer resultados muito importantes – e ela já nasce vitoriosa. Estamos de parabéns por esta conjunção de esforços individuais e coletivos que vai beneficiar toda a sociedade”, concluiu o reitor da Unifesspa Maurílio Monteiro.

O reitor da Unifesspa Maurílio Monteiro e o coordenador das Unidades Regionais do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves e perito criminal Celso Felipe Bandeira de Sá assinaram o Termo de Cooperação Técnica entre as duas instituições, celebrando essa parceria que promete ser muito duradoura. Após a assinatura do Termo de Cooperação Técnica – todos os presentes se dirigiram para conhecer o Laboratório de Análises por Microscópio Eletrônico de Varredura (LabMEV) da Unifesspa – localizado no bloco da Geologia, na Unidade II, do campus de Marabá.

(Divulgação Unifesspa)

Comentários
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

Mais

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Músicos fecham acesso à ponte rodoferroviária com barreira

Conforme prometido previamente, a categoria dos músicos da noite de Marabá, que estão sem poder trabalhar há várias semanas, em…
Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

Pará se destaca na Amazônia em transparência de dados ambientais

O relatório “Transparência das informações ambientais na Amazônia Legal: o acesso à informação e a disponibilização de dados públicos”, lançado…
MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

MEC abrirá em maio inscrições para bolsas remanescentes

O Ministério da Educação (MEC) vai abrir, nos dias 3 e 4 de maio, as inscrições para as bolsas remanescentes…
Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

Casa da Cultura de Canaã celebra o Mês do Índio

A cultura paraense é marcada por forte influência indígena. A contribuição do povo mais antigo no solo brasileiro pode ser…
Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Pandemia de covid-19 "está longe de terminar", diz chefe da OMS

Confusão e negligência no combate à Covid-19 fazem com que a pandemia esteja longe de terminar, mas a situação pode…
MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

MST programa ações em torno dos 25 anos do Massacre de Eldorado

Entre os dias 10 e 21 de abril, o Movimento Sem Terra (MST) tem ações afirmativas programadas em torno da…