Correio de Carajás

Com cenas gravadas em Parauapebas, “Feitiço” estreia em breve

CINEMA

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp

A cineasta paraense Rosilene Cordeiro, em co-produção com a produtora Matou o Cinema e foi a Família, lança, em breve, o filme “Feitiço”. O trabalho é um retrato entre a ficção e o documentário, das memórias cotidianidades e encantarias do território amazônico, registrados em dois anos de viagens da diretora pelas cidades do Pará, inclusive em Parauapebas, na região sudeste.

“Feitiço” teve a pré-estreia no dia 2 de abril, durante o VI Festival Internacional de Cinema do Caeté (Ficca). No próximo dia 14 de maio (sexta-feira), o projeto realiza uma live com os atuantes a partir das 19h na página do facebook Hashtag Feitiço – O Filme.

“O ‘Feitiço’ surge das andanças que faço no meu Estado. Através do trabalho como professora, desde 2004 venho conhecendo esse Pará de dimensões continentais. Nesse processo, a gente vai descobrindo que, além da questão territorial, o Pará tem muitas histórias para contar, muitos mistérios e questões características muito bonitas em comum. Como sou uma pessoa ligada à arte, à performance e ao audiovisual, senti a necessidade de mostrar um pouco das paisagens da minha memória, durante esses anos de itinerários entre trabalho, arte e religiosidade”, conta Rosilene Cordeiro.

Leia mais:

Por meio de ritos propostos por Rosilene, os atuantes Denis Bezerra, Francisco Weyl, Mateus Moura e Rubens Santa Brígida falam, dançam, peregrinam, cantam e se banham por cenários naturais das cidades de Bragança, Parauapebas, Irituia, Capanema, Soure, Ponta de Pedras e os quilombos Tartarugueiro e Santana, na Ilha do Marajó. Os artistas carregam, em comum, memórias afetivas ligadas a esses territórios. Rosilene nasceu em Belém, mas as crenças populares típicas da região interiorana sempre fizeram parte do seu dia-a-dia, já que sua família paterna é de São Miguel do Guamá e a materna, da região do Marajó.

“Eu sou, antes de tudo, uma criança que conhece o Pará pelas histórias contadas pela minha família, que vem desse lugar que chamam de ‘interior do Estado’. A gente vem fazendo imersões imaginativas desde a infância através dessas histórias, desses registros memoriais dos meus parentes. Aí surge essa ideia, de poder voltar a esses locais e fazer uma vivência artística lá”, explica.

omo contrapartida social, o projeto busca exibir o “Feitiço” nas cidades onde as cenas foram coletadas. Para isso, a direção executiva do filme está articulando junto às prefeituras locais, a melhor forma de fazer a transmissão, atendendo protocolos de segurança contra a covid-19. “Já estamos contatando as secretarias locais para veicular essa produção nesses municípios, onde a gente quer primeiramente estrear o filme”, finaliza.

O projeto

Com o incentivo do Edital Aldir Blanc Pará Audiovisual e apoio de Associação dos Artistas Visuais do Sul e Sudeste do Pará, o ‘Feitiço’ vai além do filme. Também visando a contrapartida social, entre os dias 22 de março e 1º de abril, o projeto realizou oficinas de cinema on-line e gratuitas, com 70% das vagas destinadas a mulheres e cursos direcionadas para professores da educação básica, atendendo à nova base curricular da educação, que propõe a utilização do audiovisual no apoio ao aprendizado. Ministradas pelo cineasta Rafael Ferreira, as oficinas discutiram temas como roteiro, imagem e cinema na sala de aula.

A cineasta

Rosilene Cordeiro é cineasta, performer e atriz de formação pela Universidade Federal do Pará com especialização em Estudos Contemporâneos do Corpo e mestrado em Comunicação, Linguagens e Cultura pela Universidade de Amazônia. No audiovisual, sua trajetória começa em 2010, quando atuou como preparadora de elenco do videoteatro “Dalcidiano”, dirigido por Francisco Weyl e Isabela do Lago, em Soure, na Ilha do Marajó. Ela foi homenageada na segunda edição do Festival de Cinema Negro Zélia Amador de Deus. (Divulgação)

Comentários
Ximbinha lança música “Nova Redenção” nesta quinta-feira

Ximbinha lança música “Nova Redenção” nesta quinta-feira

Cumprindo o isolamento social durante a pandemia da Covid-19, o guitarrista paraense Ximbinha está aproveitando esse tempo para produzir novas…
Festival In-Edit começa amanhã e terá 50 documentários musicais

Festival In-Edit começa amanhã e terá 50 documentários musicais

Memórias, histórias e trajetórias de grandes nomes da música mundial, exploradas pelo cinema documental, estão novamente em foco na 13ª…
Mestres do Universo | Trailer da nova série tem He-Man, nostalgia e ação; veja

Mestres do Universo | Trailer da nova série tem He-Man, nostalgia e ação; veja

Mestres do Universo: Salvando Eternia, a nova série animada dedicada ao bravo guerreiro-príncipe He-Man produzida pela Netflix, ganhou seu primeiro trailer.…
William Bonner diz que fará anúncio no Jornal Nacional e web questiona aposentadoria

William Bonner diz que fará anúncio no Jornal Nacional e web questiona aposentadoria

O apresentador William Bonner contou em publicação nas redes sociais que o Jornal Nacional desta quinta-feira (10) terá um anúncio especial. Com…
Indiana Jones 5: filme pode trazer um jovem Indy

Indiana Jones 5: filme pode trazer um jovem Indy

Esta semana conferimos as primeiras fotos das filmagens de Indiana Jones 5, a produção está a todo vapor no Reino…
'Quero que as pessoas se sintam orgulhosas de serem quem são', diz Iza

'Quero que as pessoas se sintam orgulhosas de serem quem são', diz Iza

“Fecha a rua lá no gueto, vai ter samba lá no gueto, joga bola lá no gueto, ela é cria…