Correio de Carajás

Cinefront: Em sua 5ª edição, Festival de cinema da Unifesspa homenageia a CPT

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

No próximo dia 12 de abril, a Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) inicia a 5ª edição do seu Festival Internacional Amazônida de Cinema de Fronteira (FIA Cinefront).

O Cinefront é um evento organizado pela Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis (Proex) da Unifesspa em parceria com movimentos sociais, outras universidades e a Secretaria Municipal de Cultura de Marabá, ofertando sessões gratuitas de cinema com caráter de mostra e debate de obras cinematográficas que abordam a realidade de regiões consideradas de fronteiras, como a Amazônia.

Sempre em abril, o Cinefront integra o calendário de eventos realizados em referência à Semana da Luta pela Terra. Em âmbito nacional, a ação principal é a Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária (JURA), e na Unifesspa, é a Semana Camponesa, realizada em memória do Massacre de Eldorado dos Carajás, ocorrido em 17 de abril de 1996.

Leia mais:

Este ano, o Festival faz homenagem à Comissão Pastoral da Terra (CPT), entidade ligada à Igreja Católica, que desde a década de 1970 realiza trabalho de base junto aos trabalhadores rurais, posseiros e peões, sobretudo, na Amazônia, explorados em seu trabalho, submetidos a condições análogas ao trabalho escravo e expulsos das terras que ocupavam.

A CPT destaca-se no meio cinematográfico como colaboradora em documentários que envolviam o trabalho da própria pastoral junto às comunidades camponesas e na defesa dos direitos humanos. E, desde 2006, é produtora de documentários, reconhecendo o potencial do cinema como um instrumento político-pedagógico.

Por isso, o cartaz do Cinefront, com imagens cedidas pela CPT do ato em memória ao Massacre de São Bonifácio, em analogia ao filme “Igreja dos Oprimidos” (1985), de Jorge Bodanzki. A obra narra as atividades dos padres católicos ligados à Teologia da Libertação e à CPT que auxiliavam os camponeses em sua organização política e nas denúncias dos assassinatos de líderes sindicais cometidos por pistoleiros.

“Mais que denúncia aos processos de “desenvolvimento” pautados por interesses econômicos e políticos, o Festival expõe por meio da imagem, da fala e do fazer cinematográfico que se produz desde a fronteira, a dinâmica social própria que envolve vida, trabalho, cultura, modos singulares de existir, de se organizar politicamente e de se relacionar com o mundo e com o meio em que se vive, independentemente daquilo que é engendrado pelos interesses dos chamados “centros”. Assim, o festival se coloca também como momento de celebrar as lutas sociais e a re-existência popular que fazem da fronteira, front de batalha por direitos, igualdade, justiça e dignidade”, destacou o professor Evandro Medeiros, um dos idealizadores do Festival e membro da curadoria.

Desde sua primeira edição em 2014, Cinefront já exibiu mais de 50 produções em 130 sessões, atingindo um público de cerca de 8 mil expectadores em Marabá e nas cidades em que a Unifesspa tem campus instalado, no Acampamento da Juventude Sem Terra e comunidades indígenas, assim como em outras regiões brasileiras e outros países, como Peru e Alemanha, consolidando-se como uma das principais ações culturais da Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Estudantis da Unifesspa.

Programação

O Cinefront inicia no Cine Marrocos, em Marabá, com a exibição dos filmes “Bandeiras Verdes” (Murilo Santos, 1987), “Manu: essa história não é minha só”, (Giovanna Vale, 2018) e “A Lenda da Terra Dourada”, (Stéphane Brasey, 2007), dia 12 de abril. As sessões e debate sobre as obras seguem até o dia 18 em Marabá e nas outras cidades em que a Unifesspa tem campus instalado e no Acampamento da Juventude Sem Terra, na Curva do ‘S’. O Festival também terá programação nas cidades de Araguaína (TO), Porto Grande (AP), Imperatriz (MA). Em Lima (Peru), a programação na Pontifícia Universidad Católica será de 10 a 12 de abril com as seguintes obras: Amazônia, masato e petróleo (Produção: Liga dels drets dels pobles), El verdadero Avatar (Direção: David Suzuki) e La espera, historias del Baguazo (Direção: Fernando Vílchez Rodríguez).

Confira os 14 filmes que serão exibidos na programação do Brasil:

“A Lenda da Terra Dourada”. Ano: 2007. Duração: 55 min. Direção: Stéphane Brasey

“Anel de Tucum”. Ano: 1994. Duração 1 h 09 min. Direção: Conrado Berning.

“Ararandeua”. Ano: 2018. Duração: 25 min. Direção: Ricardo d’Almeida

“As hiper mulheres”. Ano: 2011. Duração: 01 h 20 min. Direção: Carlos Fausto, Leonardo Sette e Takumã Kuikuro.

“Bandeiras Verdes”. Ano: 1987. Duração 30 min. Direção: Murilo Santos

“Conservadorismo em Foco – Um filme sobre a ideologia burguesa”. Ano: 2018. Duração: 01 h 11 min. Direção: Arthur Moura e Felipe Xavier.

“Dezinho: vida, sonho e luta”. Ano: 2006. Duração 42 min. Direção: Evandro Medeiros.

“Dois pesos”. Ano: 2017. Duração: 18 min. Direção: Rejane Neves

“Ex-Pajé”. Ano: 2018. Duração: 1h 21min. Direção: Luiz Bolognesi.

“Expedito em Busca de Outros Nortes”. Ano: 2006. Duração: 01 h 15 min. Direção: Aída Marques e Beto Novaes.

“Ferida Amazônica”. Ano: 2018. Duração: 8 min 30 s. Direção: Bruna Soares, Athos Reis, Delma Pompeu, Gabrielly Siqueira, Raphaela Max e Kerollen Paulina.

“Manu: essa história não é minha só”. Ano: 2018. Duração 15 min. Direção: Giovanna Vale.

“Mulheres, Mães e Viúvas da Terra: Sobrevivência da Luta e Esperança de Justiça”. Ano: 2009. Duração 25 min. Direção: Evandro Medeiros.

‘‘Quilombo Rio dos Macacos’’. Ano: 2017. Duração 120 min. Direção: Josias Pires.

(Ascom/Unifesspa)

Comentários

Mais

DIREITO DE RESPOSTA

DIREITO DE RESPOSTA

A empresa Carreta Furacão, situada na cidade de São Paulo, entrou em contato com o Portal CORREIO DE CARAJÁS e…
Anvisa pede inclusão de eventos adversos na bula da vacina da Janssen

Anvisa pede inclusão de eventos adversos na bula da vacina da Janssen

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) requereu à farmacêutica estadunidense Janssen e a sua representante no Brasil Cilag a…
Vídeo omite ações de governos anteriores para exaltar obras de Bolsonaro na Transamazônica

Vídeo omite ações de governos anteriores para exaltar obras de Bolsonaro na Transamazônica

Enganoso UOL Poder360 Correio do Estado A Gazeta (ES) Folha GZH CORREIO (BA) BandNews FM EstadãoVídeo engana ao indicar que…
Luiza Trajano entra na lista de 100 pessoas mais influentes da Time

Luiza Trajano entra na lista de 100 pessoas mais influentes da Time

A presidente do conselho de administração da rede varejista Magazine Luiza, Luiza Helena Trajano, entrou para a lista das 100…
Produtores celebram safra e doam melancias à merenda escolar

Produtores celebram safra e doam melancias à merenda escolar

A Associação de Hortifrutigranjeiros, Pescadores e Ribeirinhos de Marabá, localizada na comunidade Boa Esperança, distante 15 quilômetros, próximo à região…
MEC autoriza escolas a usarem verbas do PDDE para aulas presenciais

MEC autoriza escolas a usarem verbas do PDDE para aulas presenciais

Uma resolução do Ministério da Educação publicada no Diário Oficial da União de hoje (17) autoriza os gestores das escolas públicas de educação básica…