Correio de Carajás

Celpa se posiciona após recomendação do MPF

A Celpa, por meio da assessoria de comunicação, se posicionou acerca da recomendação do Ministério Público Federal (MPF) enviada à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para que passe a fiscalizar efetivamente os serviços fornecidos pela concessionária, dando prioridade ao volume de denúncias de aumentos elevados e súbitos nas contas de luz. Segue, na íntegra, a nota enviada ao Correio de Carajás.

“A Celpa informa que cumpre rigorosamente a legislação do setor elétrico e que está à disposição dos órgãos instituídos à Defesa do Consumidor para prestar quaisquer esclarecimentos necessários.

Informa ainda que o número de reclamações representa apenas 0,005% do número total de seus clientes. A Celpa tem compromisso com a qualidade de seu atendimento, por isso realiza diversas ações para diminuir essas demandas, como, por exemplo, a participação em conciliações e realizando negociações, a fim de explicar aos clientes, de forma transparente, a motivação das cobranças.

Leia mais:

A Taxa de Fiscalização dos Serviços de Energia Elétrica, citada no release e na recomendação do Ministério Público Federal (MPF – PA), é instituída por Lei e tem o objetivo de custear o funcionamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e representa 0,4% do benefício econômico anual dos agentes, sendo ela arrecadada mensalmente através da conta de luz. Portanto, não é uma taxa que custeia apenas as atividades de fiscalização, mas sim, todo o funcionamento da Agência.

Por fim, no caso de dúvidas em relação ao valor da conta de energia, o cliente deve buscar informações por meio dos canais de atendimento: o 0800 091 01 96, o site www.celpa.com.br, o aplicativo da Celpa que pode ser baixado gratuitamente em smartphones e tablets, e as agências de atendimento presencial.”  

A Celpa, por meio da assessoria de comunicação, se posicionou acerca da recomendação do Ministério Público Federal (MPF) enviada à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para que passe a fiscalizar efetivamente os serviços fornecidos pela concessionária, dando prioridade ao volume de denúncias de aumentos elevados e súbitos nas contas de luz. Segue, na íntegra, a nota enviada ao Correio de Carajás.

“A Celpa informa que cumpre rigorosamente a legislação do setor elétrico e que está à disposição dos órgãos instituídos à Defesa do Consumidor para prestar quaisquer esclarecimentos necessários.

Informa ainda que o número de reclamações representa apenas 0,005% do número total de seus clientes. A Celpa tem compromisso com a qualidade de seu atendimento, por isso realiza diversas ações para diminuir essas demandas, como, por exemplo, a participação em conciliações e realizando negociações, a fim de explicar aos clientes, de forma transparente, a motivação das cobranças.

A Taxa de Fiscalização dos Serviços de Energia Elétrica, citada no release e na recomendação do Ministério Público Federal (MPF – PA), é instituída por Lei e tem o objetivo de custear o funcionamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) e representa 0,4% do benefício econômico anual dos agentes, sendo ela arrecadada mensalmente através da conta de luz. Portanto, não é uma taxa que custeia apenas as atividades de fiscalização, mas sim, todo o funcionamento da Agência.

Por fim, no caso de dúvidas em relação ao valor da conta de energia, o cliente deve buscar informações por meio dos canais de atendimento: o 0800 091 01 96, o site www.celpa.com.br, o aplicativo da Celpa que pode ser baixado gratuitamente em smartphones e tablets, e as agências de atendimento presencial.”  

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.