Correio de Carajás

CCZ tenta controlar Leishmaniose

CCZ tenta controlar Leishmaniose
Animais diagnosticados com leishmaniose canina são retirados das ruas imediatamente/ Foto: Josseli Carvalho
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no whatsapp

O Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) tem intensificado as ações de controle da Leishmaniose para tentar diminuir o número de casos da doença, principalmente em humanos. De acordo com o sistema da Vigilância Epidemiológica de Marabá, em 2019 a ocorrência foi menor que em 2018. Os casos de leishmaniose visceral caíram de 35 para 20 e os de leishmaniose tegumentar diminuíram de 43 para 22.

Apesar disso, o coordenador do CCZ alerta que se a população não colaborar, principalmente com a limpeza dos quintais, os números podem subir, pois de acordo com o último levantamento da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) feito em 2017, houve diagnósticos da doença em humanos em oito bairros da cidade.

“O animal contaminado o risco maior é a presença do vetor [mosquito]. Se tiver a presença do vetor aí há risco de contaminação porque o vetor pode ir lá picar ele e depois picar a pessoa”, explica Nagilvan.

Leia mais:

O transmissor é popularmente conhecido como mosquito palha e se reproduz em locais com concentração de lixo orgânico, como por exemplo, restos de comida, frutas apodrecidas, fezes de animais (galinhas, porcos, cachorros, etc.). Por isso, é importante fazer a limpeza diária de quintais e ter cuidado com lixeiras sem tampa para não atrair o mosquito.

O cachorro infectado pode não apesentar sintomas porque a leishmaniose tem um período de incubação de até sete anos, por isso é importante fazer o diagnóstico com o exame. A equipe do CCZ realiza a coleta de sangue em três dias da semana (segunda, quarta e sexta) e o resultado do teste sai em 15 minutos. Em caso de resultado positivo a amostra de sangue é enviada para Belém para comprovação e o resultado final sai com 60 dias.

Alguns animais podem apresentar sintomas, como falta de apetite, perda de peso, atrofia muscular, queda de pelos, lesões nos olhos, crescimento exagerado das unhas, e em estágios mais avançados causa problemas nos rins e no baço.

Tipos de Leishmaniose

A infecção transmitida aos humanos pelo mosquito palha pode se manifestar de duas formas. No caso da leishmaniose visceral causa febre, aumento do fígado e do baço, perda de peso, fraqueza, redução da força muscular e anemia.

Se for a leishmaniose tegumentar, a pessoa infectada pode apresentar sintomas como úlceras na pele e nas mucosas (boca, nariz e garganta), e essas lesões no nariz podem causar entupimentos, sangramentos, coriza, aparecimento de crostas e feridas. Na garganta os sintomas são dor ao engolir, rouquidão e tosse. (Fabiane Barbosa com informações de Josseli Carvalho)

Comentários

Mais

IFPA de Conceição abre seleção para especialização em docência

IFPA de Conceição abre seleção para especialização em docência

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Pará – Campus Conceição do Araguaia/PA, abrirá nesta segunda-feira (20/09) indo…
Prefeitura de Parauapebas deixa mais de 500 famílias sem ter onde morar

Prefeitura de Parauapebas deixa mais de 500 famílias sem ter onde morar

Um total de 514 famílias ocupam área de loteamento, destinada à implantação da nona fase do projeto habitacional Cidade Jardim,…
Base curricular deve ajudar a recuperar atrasos na aprendizagem

Base curricular deve ajudar a recuperar atrasos na aprendizagem

A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) deverá ajudar as escolas de todo o país a recuperar os atrasos na aprendizagem…
Fiscais fazendários da Unidade de Carajás apreendem minério de ferro em Marabá

Fiscais fazendários da Unidade de Carajás apreendem minério de ferro em Marabá

Fiscais da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa), da Unidade de Mercadorias em Trânsito de Carajás, no sudeste do Pará,…
Buraco na camada de ozônio ultrapassa o tamanho da Antártida

Buraco na camada de ozônio ultrapassa o tamanho da Antártida

“O buraco da camada de ozônio cresceu consideravelmente na última semana e agora é maior do que 75% dos buracos…
Pará recebe nesta quinta-feira (16) mais 39.245 mil doses de vacina contra a Covid-19

Pará recebe nesta quinta-feira (16) mais 39.245 mil doses de vacina contra a Covid-19

Chegou a Belém, na manhã desta quinta-feira (16), a 82ª remessa de vacinas contra a Covid-19, enviada pelo Ministério da…