Correio de Carajás

Casal do tráfico usava cafeína para aumentar volume da cocaína

Erika foi presa ao lado do companheiro, Fernando, que era procurado por homicídio

Erika Soares da Silva e Fernando Rafael Rodrigues dos Reis, conhecido como Radinha, foram presos na madrugada do sábado (23), na esquina entre as ruas Araguaia e Arame, no Bairro da Paz, em Parauapebas, após serem denunciados por um cidadão que observou o casal comercializando droga perto de um bar.

A denúncia foi feita para o Grupamento Tático Operacional, da Polícia Militar, durante policiamento ostensivo no perímetro. O denunciante chegou a relatar que a substância suspeita estaria armazenada em uma bolsa vermelha que era carregada pela mulher.

Os policiais foram ao ponto e identificaram o casal em questão. Os dois foram abordados e na bolsa foi apreendido um pequeno estojo preto contendo 16 pequenas embalagens plásticas com o pó branco (pesando 5,10 gramas), outro pacote do mesmo conteúdo pesando 3,20 gramas e mais dois embrulhos com a substância em pedra, pesando 160 gramas.

Leia mais:
Droga estava armazenada na bolsa da mulher

Quando questionados, afirmam os policiais, ambos confessaram se tratar de cocaína e que estavam comercializando o entorpecente. Erika Soares informou também possuir em casa embalagens plásticas utilizadas para armazenamento da substância, uma balança de precisão e, ainda, um frasco plástico contendo cafeína, a qual utilizava para misturar à droga a fim de aumentar o volume, rendendo maior quantidade de embalagens para a venda. No frasco havia várias embalagens plásticas, além de cápsulas de caféina abertas e outras intactas.

Os aparelhos celulares do casal foram apreendidos e a dupla foi conduzida e apresentada na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, juntamente com o entorpecente.

HOMICÍDIO

Na delegacia foi pesquisada a vida pregressa dos dois e descobriu-se que Fernando, que confessou já ter sido preso por dois crimes de homicídio, possuía contra si um mandado de prisão.

Segundo o documento, emitido em 2019 pela Comarca de Abaetetuba, ele e Nazareno Nascimento Pinheiro são acusados pelo assassinato de Emanuel Silva da Alcântara.

Conforme a denúncia do Ministério Público do Estado do Pará, em uma madrugada de março de 2019 os dois se envolveram em uma briga com a vítima, desferiram socos contra Emanuel e golpeando-o com uma faca. O motivo do crime seria uma rixa alimentada por preferências por times de futebol. (Com informações de Ronaldo Modesto)

Comentários