Correio de Carajás

Carro voador será lançado nesta quinta, 21, em Fortaleza e custará R$ 2 milhões

Um futuro em que carros voadores estarão presentes no cotidiano dos cearenses não parece tão distante assim.

O modelo que pretende ser a junção de um carro e um helicóptero elétrico, denominado eVTOL Genesis X1, será apresentado nesta quinta-feira, 21, no BS Design, em Fortaleza, com preço médio de R$ 2,1 milhões por aeronave.

Projeto tem investimento de R$ 100 milhões

O projeto, desenvolvido pela startup cearense Vertical Connect e pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE), conta com investimentos de R$ 100 milhões dos sócios-fundadores para a instalação de uma fábrica no Ceará.

Leia mais:

No entanto, o município que irá receber a construção ainda não foi definido. A expectativa é que as obras comecem até fevereiro de 2024 e tenham duração de seis meses, com a geração de 30 vagas de emprego durante a implementação.

Após ser concluída, a unidade contará com 50 a 70 postos de trabalho no primeiro ano.

De acordo com o diretor-presidente da Vertical Connect, Ruan Carlo Ferreira, o Ceará foi o Estado escolhido para sediar o projeto devido a incentivos fiscais, bem como o apoio do IFCE e interesse do Banco do Nordeste (BNB). “(O Ceará) é um polo de empresas de tecnologia mundial”, afirmou o CEO.

Além da alta tecnologia, o carro voador é planejado para operar voos 100% elétricos, sem uso de combustíveis fósseis, o que, segundo Ferreira, “vem para deixar o mundo mais leve, mais barato e infinitamente menos poluente”.

Saiba como será o carro voador

O modelo Genesis X1 terá capacidade para duas pessoas, com um tempo máximo de voo de 60 minutos e velocidade de até 130 km/h.

A ideia é fazer voos mais curtos e silenciosos do que helicópteros tradicionais, além de necessitar de locais de pouso e decolagem menores.

Com cinco metros de comprimento e altura de 1,40 metros, o veículo terá ainda oito hélices, oito motores elétricos, sistemas anticolisão, paraquedas balísticos e fuselagem composta de fibra de carbono aeronáutico.

“A perspectiva é que o modelo seja usado para os deslocamentos urbanos em um futuro que esteja pronto para a utilização dos carros voadores, com ajustes na infraestrutura e nas regulações”, conforme comunicado pela Vertical Connect.

(O Povo)